Pela primeira vez no Brasil, orquestra revive sons da ancestralidade da América

A apresentação ocorre na próxima terça (22) e integra a celebração pelos 20 anos do Salão de Extensão


16 outubro, 2019
Foto: divulgação

Após apresentar a ancestralidade ameríndia por meio do som para países de todos os continentes, a Orquesta de Instrumentos Autóctonos y Nuevas Tecnologías chega pela primeira vez ao Brasil. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul recebe, no dia 22 de outubro, às 19h, no Salão de Atos, o concerto que é considerado um museu vivo pela crítica especializada. O grupo conta a história da América Latina na voz dos povos originários – ou melhor, através dos sons. Aliando tradição e tecnologia, o projeto, fundado em 2004, é resultado de um intenso trabalho de pesquisa histórico-musical realizado na Universidade Nacional de Tres de Febrero (UNTREF), na Argentina. A apresentação integra a celebração pelos 20 anos do Salão de Extensão da UFRGS.

O espetáculo visa representar as simbologias e as mitologias da cultura americana através de instrumentos autóctones – próprios e originários de uma região, como o ehecatl maia, o pututu inca e o teponaztli e o huehuetl astecas. O grupo evidencia a pluralidade cultural inclusive em sua formação, já que conta com integrantes de diferentes nacionalidades, vindos do Brasil, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México e Venezuela. Assim, contemplando a sensibilidade, a espiritualidade e a emocionalidade de todo um continente, a Orquestra percorre desde a música popular de América até a música electroacústica contemporânea.

“Assistir a orquestra de instrumentos autóctones e novas tecnologias é proporcionar um encontro com a ancestralidade americana, é religar o que temos de mais atual e criativo aos conhecimentos e à memória que constituem nuestra América, que também é indígena e popular”, revela a pesquisadora em cultura indígena, Maria Aparecida Bergamaschi, sobre a experiência.

Sobre a Orquestra de Instrumentos Autóctones e Novas Telecnologias

A Orquestra de Instrumentos Autóctones e Novas Telecnologias foi fundada em 2004, na UNTREF, pelas mãos de Alejandro Iglesias Rossi e Susana Ferreres, diretor e vice-diretora da Escola de Criação Musical, Novas Tecnologias e Artes Tradicionais. Se trata de uma proposta interdisciplinar que atravessa a investigação e composição musical. O projeto conta com a participação de docentes e alunos da Escola e das licenciaturas em Artes Eletrônicas e em Música, que, em suas performances, tocam desde a música popular de América até a música electroacústica contemporânea.

Acesse aqui o canal da orquestra no YouTube.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support