Operação do SGA

A operação do SGA da UFRGS utiliza a ferramenta de gestão LAIA (Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais), que examina a ocorrência das causas potenciais em todos os espaços físicos da Universidade e recomenda ações corretivas, visando à redução desses impactos.

Funcionamento da ferramenta LAIA

A avaliação dos aspectos e impactos ambientais de um prédio ou Unidade inicia com a apresentação da ferramenta para a direção e responsáveis pela implementação do SGA do local. A partir daí, são feitas visitas a todos os espaços físicos do prédio/Unidade, sendo levantadas todas as causas potenciais de impactos ambientais e a forma como são administradas.

A partir dos dados obtidos nesse levantamento, aplica-se a metodologia FMEA*, que fornecerá um número de IRA (Índice de Risco Ambiental). O IRA é calculado com base nos seguintes índices: gravidade do impacto (G), ocorrência da causa (O), grau de detecção (D) e facilidade de implementação da ação recomendada (F).

Serão recomendadas ações corretivas, de forma que sejam priorizadas aquelas correspondentes a IRAs maiores. Após o prazo determinado, se reavalia o local, elaborando novas tabelas e, à medida que há redução no IRA total, verifica-se a evolução do local no Sistema de Gestão Ambiental.

*FMEA (Failure Mode and Effects Analysis [Análise dos Modos e Efeitos de Falha]) é uma ferramenta de gestão criada pela indústria aeroespacial e adaptada pela indústria automotiva para analisar as possíveis falhas de processos e produtos, priorizando-as em função do seu risco.