Berners-Lee: dinheiro não é o mais importante

Fonte: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/8010_O+PAI+DA+INTERNET

O PAI DA INTERNET - Tim berners-Lee

O físico que criou a internet rompe silêncio para reagir à cobrança de royalties na rede

E diz que dinheiro não é o mais importante.

GLOBALIZAÇÃO: Antes de Berners-Lee a rede era monocromática e sem qualquer glamour

ISTO É – O sr. lamenta nunca ter recebido royalties pela sua invenção?

Berners-Lee – Às vezes penso como seria bom ter bastante dinheiro porque saberia como usá-lo em outras pesquisas. Por outro lado, se insistisse em cobrar direitos autorais, a rede jamais teria alcançado o êxito atual. Então, nesse caso, dinheiro não faz falta.

Distribuições de Software Livre na Educação

Existem pelo menos cinco distribuições de software livre com programas educacionais que são bastante próximas geograficamente de Porto Alegre:

1 – Na Universidade de Passo Fundo, o Kelix http://kelix.upf.br. Basta se cadastrar e baixar o CD.

2 – Projeto CLASSE da Universidade Federal de Santa Catarina http://classe.geness.ufsc.br.

3 – Versão beta 0.5 do Pandorga Linux, elaborado inicialmente para a Secretaria Municipal de Educação de Cachoeirinha http://pandorga.rkruger.com.br/.

4 – Poseidon Linux em Rio Grande, com programas de Geoprocessamento e outros da área científica http://poseidon.furg.br.

5 – Linux Educacional em Pelotas http://www.ossystems.com.br, que está disponível também no portal do Ministério da Educação http://www.webeduc.mec.gov.br/linuxeducacional.

O projeto OLPC (Laptop de US$ 100 ou também chamado de UCA no Brasil) está sendo testado em uma escola estadual de Porto Alegre. Veja algumas informações em http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/OLPC.

Baixe o CD do OLPC em
http://olpc.download.redhat.com/olpc/streams/sdk/build1/livecd

Combate à pirataria – MJ

Fonte:

http://www.mj.gov.br/combatepirataria/data/Pages/MJ1C151B9EITEMID129687646A7047E9A0EF3EB3125A9F49PTBRNN.htm

10. Recomendar ao Ministério da Educação de ação junto aos reitores,
para efetivo cumprimento da Lei 9.610 (direitos autorais) nas Faculdades
e Universidades

11. Recomendar ao Ministério da Educação a reavaliação do número de
exemplares de livros por disciplina/aluno

32. Buscar junto ao MEC e Entidades Educacionais a inclusão do tema
Propriedade Intelectual em disciplinas dos cursos superiores, em
especial nos cursos de Direito

**45. Realizar campanhas educativas focando direitos e deveres
estabelecidos nas legislações que tratam da propriedade intelectual

75. Realizar campanhas educativas para estudantes referentes a
reprodução ilegal de livros

81. Desenvolver políticas comuns no campo educacional visando o
esclarecimento da população quanto aos malefícios da pirataria

Questões sobre software livre

Questões…

1 – Você já utilizou algum ambiente digital de aprendizagem (Rooda, NAVi, Moodle, Teleduc, Amadis, etc.)? Você sabe se algum desses ambientes é software livre? Como é possível descobrir? Muda alguma coisa para o usuário leigo o fato de ser software livre? Muda alguma coisa para Instituição o fato de ser software livre? Muda alguma coisa para o professor o fato de ser software livre?

2 – Para você, o que é software livre?

3 – Para você, o que é software proprietário?

4 – Para você, como usuário de computador, existe alguma diferença em utilizar um programa de software livre ou um programa proprietário de código fonte fechado?

5 – Você já ouviu falar do navegador Mozilla Firefox? Já o utilizou? O que pensa do programa? Poderia compará-lo com algum outro navegador?

6 – Você já ouviu falar do editor de textos BrOffice (OpenOffice)? Já o utilizou? O que pensa do programa? Poderia compará-lo com algum outro editor de textos?

7 – Você já ouviu falar do sistema operacional Linux? Já o utilizou? O que pensa do produto? Poderia compará-lo com outro sistema operacional?

8 – Você já ouviu falar em cópia ilegal (pirata) de programas de computador? O que você pensa sobre isso? Quais seriam os fatores que levam pessoas a utilizar copias ilegais de programas de computador?

Julgamento Moral – Jean Piaget

Vejam abaixo quatro das questões que Jean Piaget utilizou para
investigar o desenvolvimento do juízo moral nas crianças.
Especificamente se referem a uma maior ou menor culpabilidade em casos
de roubo.

Vocês já devem ter estudado isso.

As crianças menores (6 anos) tendem a considerar mais grave o roubo de
um objeto grande. Não são consideradas as intenções presentes no ato de
roubar. Comparativamente, é mais condenável o ato de roubar um pãozinho
para dar a um amigo pobre que está faminto do que o ato de roubar para
si um pequeno laço de fita para o cabelo.

A tendência das crianças maiores (9-10 anos) é considerar mais
importante as intenções. O tamanho do objeto roubado não importa. Assim,
quem rouba com motivos altruístas é menos culpável do que quem rouba
para benefício próprio.

Tive a idéia de fazer uma pequena pesquisa adaptando essa perguntas para
a população adulta. E, mais especificamente, para a questão da compra e
do uso de cópias ilegais de software.

Seria possível?

=====================

Pág. 108 do livro de Jean Piaget. O Julgamento Moral na Criança. São
Paulo: Mestre Jou, 1973.

1a) O menino Alfredo encontra um amigo muito pobre. Esse menino lhe diz
que não havia almoçado naquele dia, porque em sua casa não havia nada
para comer. Então, Alfredo entra numa padaria mas, como não tinha
dinheiro, aproveita o momento em que o atendente está de costas para
roubar um pãozinho. Sai depressa e dá ao amigo.

1b) Letícia entra em uma loja. Vê sobre o balcão um lindo laço de fita e
acha que ficaria bem em seu cabelo. Então, enquanto a vendedora está de
costas, rouba a fita e foge logo em seguida.

2a) Albertina tinha uma amiga que criava um passarinho numa gaiola.
Albertina achava que o pássaro era infeliz e pedia sempre para que sua
amiga o soltasse. Mas a menina não aceitava. Então, um dia em que a
amiga não estava em casa, Albertina foi libertar o passarinho. Soltou-o
e escondeu a gaiola bem longe, para que ninguém mais prendesse pássaros
nela.

2b) Julieta roubou bombons de sua mãe, num dia em que ela não estava, e
os comeu às escondidas.

Combate à pirataria

Fiz uma pesquisa e encontrei alguns documentos sobre pirataria de software no sítio da BSA. Mas ainda não consegui dados mais detalhados sobre a realidade brasileira.

http://www.bsa.org/brazil/research/upload/IDC-Study.pdf
http://www.bsa.org/portugal/resources/upload/BSA%20Portugal%202006%20IDC%20Whitepaper.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/Estudo%20IDC%20Final-2.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/Global-Piracy-Study-2004-portuguese-Nov2004.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/Oitavo-Estudo-Anual-Pirataria-de-Software-no-Mundo.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/Informacoes-resumidas-dos-paises-da-America-Latina.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/Setimo-Estudo-Global-de-Pirataria-de-Software-BSA.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/Brazil-Slide-Presentation.ppt
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/White-Paper.pdf
http://www.bsa.org/brazil/research/upload/VII-Estudo-sore-pirataria-de-software.pps
http://www.bsa.org/idcstudy/pdfs/Latin_America.pdf
http://www.bsa.org/idcstudy/pdfs/Brazil.pdf
http://www.bsa.org/idcstudy/pdfs/White_Paper.pdf
http://www.bsa.org/idcstudy/pdfs/Argentina.pdf
http://www.bsa.org/idcstudy/pdfs/Uruguay.pdf

Há também o www.mj.gov.br/combatepirataria .