Dia da Liberdade dos Documentos

Dia da Liberdade dos Documentos

O Dia da Liberdade dos Documentos (DFD, Document Freedom Day http://www.documentfreedom.org) é um dia internacional com ações de base no sentido de promover Formatos de Documento Livres e Padrões Abertos em geral, como o Open Document Format ODF, que é o padrão dos arquivos do BrOffice (OpenOffice).

http://www.documentfreedom.org/Main_Page/es
http://www.documentfreedom.org/Category:Brazil
http://www.documentfreedom.org/Artwork/pt

É um uma questão que envolve os formatos DOC, PPT, XLS, etc., que são formatos de propriedade privada $$$. Em muitas ocasiões esse formatos não podem ser exibidos sem deformações ou inclusive perda de dados, a não ser através do programa que os gerou.

Livro sobre macros do Calc OpenOffice

Fonte: http://www.lcm.com.br/index.php?Escolha=20&Livro=L00661

MACROS para o OpenOffice.Org – CALC

Inclui CD-Rom com o Calc e códigos-fonte das macros do livro

Autor: Tarcízio da Rocha

368 páginas – 1aª edição – 2008

ISBN: 9788573936971 – Formato: 14 x 21

Este livro é destinado aos iniciantes em programação de macros através da linguagem Basic como também para programadores com certos conhecimentos na linguagem VBA do MS Excel ou outras. O livro tem como característica principal uma didática refinada que visa proporcionar, além do complemento àqueles que já dominam outras linguagens de programação, viabilizar a capacitação através do conhecimento desta poderosa e robusta linguagem, o Basic.
Os profissionais da área de programação poderão criar macros tão poderosas quanto as já conhecidas macros do VBA. As possibilidades de interação da linguagem com as planilhas do Calc superam qualquer expectativa e não deixam nada a desejar, possibilitanto com isso a completa migração das macros do Excel (em VBA) para o Calc (em Basic).
Descubra e comprove que o Basic é capaz de promover o desenvolvimento da automatização de tarefas através de macros, sendo perfeitamente capaz de satisfazer até os mais exigentes programadores e desenvolvedores.

Microsoft Office com ODF e PDF em 2009

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/computacao_pessoal/2008/05/21/microsoft-anuncia-que-suportara-odf-e-pdf-no-pacote-office-em-2009/

Microsoft anuncia que suportará ODF e PDF no pacote Office em 2009

Nova York – Em anúncio surpreendente, Microsoft volta atrás em resistência ao ODF, rival do OOXML, e suportará padrão, assim como PDF, em 2009.

A Microsoft finalmente vai adicionar suporte para os padrões Open Document Format (ODF) e Portable Document Format (PDF) em seu pacote de produtividade Office, a companhia deverá anunciar até o final desta quarta-feira (21/05).

O suporte para ODF e PDF será incluído no software pelo Service Pack 2 para Microsoft Office que deverá ser divulgado no primeiro semestre de 2009, de acordo com um esboço do release que a companhia divulgará para a imprensa enviado ao IDG News Service.

Pontualmente, o service pack acrescentará o suporte aos padrões PDF 1.5, PDF/A e ODF v1.1, assim como ao XML Paper Specification (XPS). O XPS é uma especificação similar ao PDF criada pela Microsoft para rivalizar com o popular padrão da Adobe.

A Microsoft criou seu próprio padrão baseado em XML, chamado de Office OpenXML (OOXML), integrado à versão mais recente do seu popular pacote de produtividade, o Office 2007.

A novidade resolve uma antiga rixa entre a Mirosoft e os defensores do ODF, um padrão aberto apoiado por empresas como IBM e Sun e aprovado como padrão ISO em maio de 2006.

A Microsoft submeteu o OOXML ao Ecma International, órgão responsável por padrões internacionais, em novembro de 2005 e tentou colocá-lo no processo de fast-track durante suas discussões. Mesmo com críticas e promessas, o processo eventualmente teve sucesso em 1º de abril, quando a ISO aprovou o OOXML como padrão.

Até hoje, a Microsoft nunca havia assumido que suportaria nativamente o ODF, afirmando que o Office poderia ler arquivos por meio de softwares adicionais que faziam a tradução entre o padrão da empresa e o ODF.

No entanto, a empresa foi bastante criticada pela indústria, particularmente pelas repetidas multas tomadas na União Européia, pela sua falta de interoperabilidade com produtos de outras empresas.

A Microsoft anteriormente disse que suportaria PDF no Office 2007, mas a Adobe, dona e gerenciador da especificação, bloqueou a jogada. Como resultado, a Microsoft afirmou que retiraria o suporte nativo ao PDF no Office 2007 em junho de 2006.

Dede então, a Adobe pediu à Ecma que considerasse o PDF como padrão aberto ISO. Enquanto retirava o suporte nativo ao PDF, a Microsoft revelou planos de promover seu próprio formato, o XPS.

Apoiadora do ODF e crítica do OOXML, a IBM afirmou em anúncio oficial que suporta a provável mudança da Microsoft, explicando que há um crescente interesse no PDF e nos pacotes de produtividade que o suportam.

Elizabeth Montalbano, editora do IDG News Service, de Nova York

Arquivos Abertos

Fonte: http://nelsonpretto.livejournal.com/34202.html

Arquivos abertos

De novo o tema, que aliás será frequente nesse blog.
Por que nossas universidades públicas – pelo menos elas mas isso deveria valer para todas que recebem dinheiro público para a pesquisa! – não têm na UFBA uma política de arquivos abertos como já em andamento em tantos outros países e universidades?
Boa proposta de política pública, não? Vejam o que acontece em Harvard…

Abrir as portas abrindo as mentes [ OPEN DOORS AND OPEN MINDS]

A Internet trouxe enormes oportunidades  para a disponibilidade da  pesquisa derrubando barreiras econômicas e físicas para o compartilhamento do conhecimento. O ambiente digital em rede promete democratizar o acesso e o fluxo do conhecimento além dos focos tradicionais da pesquisa; acelerar as descobertas, incentivar o novo e agregar as aproximações interdisciplinares.

Recentemente, em fevereiro em 12, 2008, aconteceu um fato de destaque: na faculdade das artes e ciências, da universidade de Harvard a faculdade votou para adotar uma política que requer que os todos os seu autores acadêmicos enviem, automaticamente, uma cópia eletrônica de seus artigos ao repositório digital da  universidade.

Foi acordado, ainda, que os autores concedem automaticamente a permissão do copyright à universidade para distribuir estes artigos em um sistema de “open Archives”. Essencialmente, a faculdade votou para dar acesso aberto aos resultados de seus artigos publicado em todos os seus periódicos  da Universidade de Harvard.

Em um Relatório Chamado ” Abrir as portas abrindo as mentesestá indicado o caminho percorrido para chegar a esta política e o ensinar dos passos necessários para que outras Instituições possam seguir o mesmo caminho.