Trabalhadores escravos no Rio Grande do Sul

[Acho que esta notícia do jornal Zero Hora não tem relação com software livre. Ou será que tem?]

Operação resgata trabalhadores escravos no centro do Estado

Jornal Zero Hora 17/11/2007 21h14min

Nome da empresa está sendo preservado para fins de negociação dos pagamentos

Fonte:
http://www.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Geral&newsID=a1681325.xml

Vinte e nove trabalhadores, quatro mulheres e três crianças foram encontradas em Umbú e Areal, a 70 km da cidade de Cacequi.

Os trabalhadores, do Mato Grosso e de Alegrete, estavam há 11 meses na região. Estrangeiros em situação irregular também estão no grupo. Eles produziam madeira para sustentação de trilhos, conhecida como “dormente”.

O grupo tomava banho e consumia água de uma sanga contaminada, onde agricultores costumam lavar equipamentos agrícolas, segundo o delegado do Ministério do Trabalho, Heron de Oliveira.

— Quando faltava a comida habitual, feijão com arroz, se alimentavam de ração para cavalos — afirma o delegado.

A descoberta ocorreu quando um deles fugiu, na terça-feira passada, e caminhou até Cacequi para fazer a denúncia na polícia da cidade. Auditores do Ministério interrogaram os empregadores na noite deste sábado.

Os trabalhadores estão hospedados em um hotel, em Cacequi. Toda vez que é flagrada uma situação de trabalho escravo, os trabalhadores ficam sob o amparo do Ministério do Trabalho.

De acordo com o chefe da Delegacia Regional do Trabalho em Santa Maria, José Locatelli, o nome da empresa e dos empregadores estão sendo preservados para fins de negociação dos pagamentos que os trabalhadores tem direito.

Segundo Locatelli, a intenção primordial é de fazer com que os escravizados recebam os valores e sejam encaminhados para as localidades de origem.

— Os empregadores admitiram as irregularidades. Não queremos prender ninguém. A empresa poderá continuar funcionando, desde que cumpra a lei — afirma.

Uma nova visita da Delegacia Regional do Trabalho será feita na tarde de hoje, em busca de possíveis trabalhadores escravos que ainda não foram encaminhados para o hotel. O encaminhamento de seguro desemprego será feito na segunda-feira, quando equipes do Ministério do Trabalho se deslocarão de Porto Alegre para agilizar a documentação.

A operação foi realizada pelo Ministério Público do Trabalho, Delegacia Regional do Trabalho, Brigada Militar e Polícia Federal.

Autor: admin

Professor da disciplina Software Livre na Educação, da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.