Na noite de quinta-feira, 02.05.2013 Software Livre na Educação teve como temática central os Correios Eletrônicos. Essa atividade foi riquíssima em diálogos, aprendizagens e ações. A construção da proposta foi feita de forma colaborativa pelo professor Paulo Francisco Slomp e o monitor Felipe Bischoff. No planejamento pensamos que seria bom seguir com a metodologia de perguntas geradoras de diálogo. Em vez de realizar perguntas dirigidas imaginamos propor uma discussão  prévia em duplas, a ser compartilhada  com o todo o grupo. O objetivo seria evitar  um possível constrangimento ou inbição para responder às questões. Também imaginamos que nas duplas as pessoas se sentiriam mais à vontade para dizerem o que pensam e compartilhar suas experiências.

Uma inovação, ou ação inovadora,  foi improvisar no LIES um círculo, o que propôs uma nova forma de utilização do espaço. è possível pensar essa atividade e esse espaço do círculo como componente importante na organização dos laboratórios de ensino de informática, já que, na grande maioria dos casos, eles estão organizados de forma individual, ficando restrita as possibilidades de diálogos. Começa com a restrição visual, pois os laboratórios são pensados para que cada um veja o seu computador e o quadro.A partir do momento que, na disciplina Software Livre na Educação organizamos o círculo de diálogo tivemos a oportunidade de  vermos uns aos outros, então compartilhamos experiências, reflexões e dúvidas, pensando nossa relação com as contas de email.

Observamos em diversas páginas de email a apresentação de publicidades aleatórias ou baseada em dados coletados nas nossas conversações. O Professor Slomp fez uma seleção de páginas de email em portais como o Yahoo, Gmail e Hotmail (por sinal os mais utilizados pela maioria das pessoas presentes). Observamos nessas páginas o alto número de propagandas e o quanto muitas delas podem ser vistas como anti-educativas, à medida que se utilizam de recursos completamente alheios às discussões de gênero, por exemplo. Também, logados como usuário, observamos no gmail como recebemos mensagens publicitárias de acordo com nossos diálogos virtuais, ou seja, eles acessam nossa correspondência para identificar possíveis interesses e nos mandan propaganda de empresas que oferecem produtos consonantes com tais interesses.

O resultado de todo o diálogo foi a conclusão de quão prejudicial, incômoda e invasiva são as políticas de publicidade na internet, e o quanto estamos submetidos à elas ao utilizarmos emails convencionais. Nos incomoda? Que opções podemos ter?

Na  última etapa do encontro instalamos a versão portátil do gerenciador de emails Thunderbird. Em vez de acessar os emails via navegador web, podemos utilizar esse recurso, com a tecnologia Imap, que gerencia e acessa nossas contas de email. A vantagem é que esse software acessa as contas de email sem exibir anúncios publicitários.

Você já utilizou o Thunderbird? Que impressões tiveste? Você o aconselha para algum amigo? Porquê?