Utilização da TIC nos cursos de graduação

Autores: Fábia Magali Santos Vieira e Raquel de Almeida Moraes
Título: Disciplinas on-line: algumas reflexões sobre a utilização da TIC nos cursos de graduação
Fonte: Extra-Classe. Revista de Trabalho e Educação. Ano 1 . Número 1 . Volume 1 . Março 2008
Disponível em: http://www.sinprominas.org.br/imagensDin/arquivos/348.pdf

RESUMO: Ao buscar diferentes estratégias para atingir seus objeti- vos, as Instituições de Ensino Superior- IES têm lançado mão da educação a distância, especificamente a on-line, utilizando as tecnologias de informação e comunicação, TIC. Este trabalho tem como objetivo descrever uma experiência de implantação de disciplinas on-line nos cursos de graduação e apresentar algumas reflexões sobre sua implantação nesse nível de ensino, questionando se o uso das TIC pode viabilizar uma comunicação signifi- cativa, ou apenas a ampliação de tarefas, polivalência, na lógica capitalista. Por fim, o texto adverte que para se introduzir as TIC no processo de ensino-aprendizagem os professores tiverem que utilizar o ambiente virtual de aprendizagem de modo fragmentado e sem formação crítica, pode correr o risco de esvaziar sua atividade educativa de mediar o conteúdo, reduzindo seu trabalho em um simples trabalho instrumental que pode desquali- ficá-lo e contribuir, ainda mais, para sua exploração.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino superior; disciplinas on-line; modelo hibrido.

Introdução

As rápidas e contínuas transformações do cenário científico- tecnológico nos fazem mover, porque o mundo está mudando em nossa volta. Diferente do que aconteceu no momento do nasci- mento da civilização humana, temos a oportunidade de atuar e influenciar coletivamente no futuro de nossa civilização. Assim, tornam-se urgentes novos procedimentos e estratégias de pensa- mento, interação e colaboração que possam fazer emergir verdadei- ras inteligências coletivas.

As capacidades necessárias a serem desenvolvidas pela educa- ção, para enfrentar e buscar soluções de seus problemas, só poderão ser desenvolvidas por meio do engajamento na via da inteligência coletiva, a qual nos permitirá pensar em conjunto, concentrar nossas forças intelectuais, multiplicar nossas imaginações e expe- riências e negociar em tempo real as soluções para os problemas que nos afligem. Como afirma Lévy (1998:17), aprenderemos “aos poucos a nos orientar num novo cosmo em mutação, à deriva; a nos tornar, na medida do possível, seus autores, a nos inventar coleti- vamente como espécie”.

A inteligência coletiva entendida como “trabalhar em comum acordo” visa, portanto, a volta da troca entre pensamentos antes isolados e de compartilhamento dos conhecimentos. Ela abrirá duas possibilidades que poderão transformar nossa sociedade. Primeiro, seria uma forma de divulgar o que fazemos juntos e, segundo, o desenvolvimento de habilidades para utilizar os instrumentos técnicos que permitam a enunciação coletiva.

A instituição de educação superior que se posiciona na van- guarda do desenvolvimento tem como desafio, além da produção do conhecimento, o desenvolvimento dessa inteligência coletiva com capacidade de pensar e intervir na realidade. Seu objetivo é, além de desenvolver estratégias para produzir conhecimentos e promover a cidadania, criar condições para que todos os indivíduos envolvidos possam estabelecer um diálogo crítico e criativo com a realidade, que culmine com a elaboração própria e com o desenvol- vimento de capacidades de intervenção.

A cidadania que essa instituição deve promover é aquela me- diada pela ciência; o contato pedagógico deve também ser mediado pela produção/reconstrução de conhecimento, assim, é essencial o desenvolvimento de capacidades para dinamização do ambiente acadêmico em termos de prática.

A utilização da tecnologia da informação e comunicação (TIC) pode propiciar a ampliação das atividades acadêmicas, uma vez que tem possibilitado a comunicação à distância com rapidez e confia- bilidade.

O objetivo do presente trabalho é efetuar algumas reflexões sobre o projeto da Faculdade de Saúde Ibituruna-Fasi/Santa Casa, de Montes Claros – MG. Como também a implantação de disci- plinas on-line nos cursos de graduação, no sentido de questionar se o uso da TIC se constitui, enquanto comunicação significativa ou na ampliação de tarefas, polivalência, sendo utilizado pelo capital como instrumento de dominação, contribuindo para a viabilização do sistema capitalista.

Para isso, o texto está dividido em três partes: na primeira, são feitas considerações preliminares acerca da revolução tecnológica em curso; na segunda, é apresentado o projeto da FASI/Santa Casa e, por fim, são feitas considerações no sentido de apreender sua lógica motriz.

Considerações preliminares

A revolução tecnológica, que tem alterado completamente a nossa forma de estar no mundo, surgiu por volta de 2.700 anos depois da invenção do alfabeto e trata da integração de vários modos de comunicação em uma rede interativa que, pela primeira vez na história, integra, no mesmo sistema, as modalidades escrita, oral e audiovisual da comunicação humana. A integração entre textos, imagens e sons no mesmo tempo e espaço, em condições abertas e de baixo custo, muda consideravelmente a comunicação e conseqüentemente a cultura.

Essa revolução apresenta grandes desafios aos educadores, levando-os a repensarem a prática pedagógica, a desenvolverem novas estratégias de utilização das tecnologias de maneira criativa, produtiva e a reestruturarem a educação para que possam responder de maneira crítica, construtiva e progressista às mudanças que temos experimentado.

Os avanços tecnológicos têm alterado, também, as formas de aprender e ensinar em todas as sociedades. Assistimos ao desman- che da hegemonia do livro didático, como principal fonte de conhe- cimento e adentramos, cada vez mais, no mundo veloz da progra- mação audiovisual. Tais avanços têm exigido dos professores um rompimento com a lógica transmissiva do ensino e com a lógica unidirecional do processo de comunicação. Tem, ainda, levantado questionamentos em torno das relações hierarquizadas e práticas cristalizadas presentes no cotidiano escolar.

Em função do redimensionamento do modelo de educação, centrado na transmissão de conhecimentos, porque sua elaboração se dá através da interação entre professores & aprendizes e aprendizes & aprendizes em qualquer tempo e espaço, verificamos o crescimento da demanda, em todo o mundo, por uma educação continuada a distância, mediada pelas tecnologias digitais da comunicação e informação, principalmente, pela Internet.

(…)


O texto integral encontra-se na fonte indicada acima.


Mais recente modificação por

Um comentário em “Utilização da TIC nos cursos de graduação”

  1. Vejo que te interessam as TICs por isso te aviso que está aberto um fórum de discussão sobre o uso do blog como ferramenta na sala de aula. Sua colaboração pode ajudar muito. Dê uma passada por lá.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.