Quando a quarentena chegou

Alguém teve que sair para lutar e continua saindo todos os dias. Se todos ficassem em casa, todos iriam morrer. Tenho visto tanta gente apavorada, crítica, reclamona, mas, em contrapartida, tenho visto tanta coragem e renúncia em outras pessoas. No momento difícil que estamos passando, todos perdem de alguma forma. Pandemia é assim, não escolhe país, cidade, idade, gênero, classe social, partido político, etnia!

DEU TUDO ERRADO para os planos de todos ao redor do mundo: Consultas, exames e cirurgias foram adiados; festas e viagens canceladas. Muitas pessoas que viajaram, ficaram presas nos países à espera de serem repatriadas. Elas nunca imaginaram que suas férias terminariam assim…

Sabe aquela escova progressiva, aquela bolsa, aquele perfume que você achava que não podia viver sem? Pois é….

Tanta coisa que julgamos ser essenciais, na verdade, não são. Elas não passam de vaidade. Pena que só enxergamos isso quando as tempestades vêm. Quando a vida corre risco, rapidamente o supérfluo aparece e o brilho pirata empalidece. Quem aí agora quer passear no shopping ou subir o Cristo Redentor e andar de bondinho? De um dia para o outro, tudo perdeu o seu valor e o que realmente era importante apareceu.

Então, fique em casa, como recomendado, mas não deixe de lutar a sua guerra.

Se for limpar, desinfetar, alimentar a família, se manter no teletrabalho (home office)… faça tudo que for preciso, como um bom soldado. Ajude quem precisa, seja trazendo as compras do vizinho idoso, seja destinando um alimento para uma entidade que precisa de doação ou uma refeição para um morador de rua que tá todos os dias logo ali, bem embaixo da sua janela.

Não esqueça, no entanto de cuidar de você mesmo, da saúde física e mental. Seja gentil com você! Tudo isso logo vai passar!

Por Andrea Loguercio

Maio de 2020. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *