Abdias

Programa De Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento

Plataforma Adaptativa Robótica Para Apoio à Educação Inclusiva de Crianças Com Transtorno do Espectro Autista

O projeto Plataforma Adaptativa Robótica para Apoio à Educação Inclusiva de Crianças com Transtorno Do Espectro Autista (TEA) aposta no desenvolvimento tecnológico com uma inovação na metodologia e estratégia de abordagem do TEA na perspectiva de um modelo social ancorado na teoria sócio-histórica.

Este projeto insere-se assim na temática mais ampla de acessibilidade, inclusão e tecnologia assistiva e objetiva promover o desenvolvimento de uma plataforma robótica aliada a serviços e métodos para crianças com Transtorno do Espectro Autista a partir de um desenho universal centrado em contextos, neste caso educacional.

OBJETIVOS DE INVESTIGAÇÃO DO PROJETO

Os objetivos de pesquisa específicos do projeto são:

  • Identificar um conjunto de necessidades de crianças com TEA, com o objetivo de definir um perfil possível de adaptação;
  • Projetar uma plataforma robótica adaptativa que, permita atender as necessidades de interação e comunicação para sujeitos com TEA;
  • Analisar de que forma uma plataforma robótica pode se transformar num instrumento/signo de mediação para processos de interação social e de comunicação em sujeitos com TEA;
  • Propor estratégias de mediação que promovam a interação e comunicação de crianças com TEA a partir de tecnologias como a robótica;
  • Experimentar um modelo comunicacional baseado na teoria sociohistórica, entre os sujeitos (criança com TEA e seu acompanhante) e o robô;
  • Validar a plataforma através de um protótipo funcional em um contexto de crianças com TEA

OBJETIVOS DE COOPERAÇÃO ENTRE OS GRUPOS

  • Identificar um conjunto de necessidades de crianças com TEA, e seus contextos com o objetivo de definir um perfil possível de adaptação
  • Projetar uma plataforma robótica adaptativa que promova a comunicação em sujeitos com TEA;
  • Analisar de que forma uma plataforma robótica pode se transformar num instrumento/signo de mediação para processos de comunicação em sujeitos com TEA;
  • Propor estratégias de mediação que promovam comunicação de crianças com TEA a partir de tecnologias como a robótica;
  • Validar a plataforma através de um  protótipo funcional em um contexto de crianças com TEA

SOBRE A INVESTIGAÇÃO: LINHAS DE AÇÃO INVESTIGATIVA CONJUNTA

Aqui se apresentam as possíveis linhas de ação investigativa conjunta a partir questionamentos norteadores para as futuras ações dos grupos no âmbito deste projeto e de futuros projetos conjuntos:

  • Como utilizar conceitos de realidade virtual e robótica para apoiar o processo de inclusão de sujeitos com Transtornos do Espectro Autista em processos inclusivos?
  • Como caracterizar o usuário e o contexto com o objetivo gerar um marco conceitual para o mesmo desenvolver uma plataforma robótica que utilize uma metáfora simples para ser utilizada com crianças com TEA?
  • Como promover processos de interação e comunicação em crianças com TEA a partir do uso de uma plataforma robótica?
  • Com promover estudos sobre a afetividade inerentes à interação mediada pela robótica e ambientes de tecnologia virtual em apoio a inclusão de sujeitos com Transtornos do Espectro Autista em processos inclusivos?
  • Como criar protocolos de análise de usabilidade que se apliquem a tecnologias de apoio robóticas?
  • Que desenhos metodológicos podem ser elaborados para compreender as diferenças culturais no estudo das tecnologias de apoio a diversidade?
  • Como podemos estabelecer processos de cooperação para elaboração conjunta de protocolos de usabilidade, acessibilidade, de análise de comunicação e interação em TEA e de adaptabilidade ao contexto, no desenvolvimento e aplicação de tecnologias de apoio que beneficiem ambos os grupos e possam ser compartilhados com América Latina e países de língua portuguesa, especialmente países africanos?
  • Como pode ser ampliada/adaptada e formalizada a proposta metodológica de Design Centrada em Contextos de Uso para qualquer tecnologia de apoio, incluindo aquelas pensadas nos preceitos do Design Inclusivo?

PARTICIPANTES

Os docentes participantes, tanto na equipe brasileira como na colombiana, são docentes com larga experiência, seja na pesquisa, seja na formação nas temáticas de Autismo e de Tecnologia, esta especialmente nos aspectos que envolvem os processos inclusivos.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS
Ccoordenadora da equipe: Liliana Maria Passerino

Universidade do Vale do Rio Dos Sinos – UNISINOS
Ccoordenador da equipe: João Carlos Gluz

Pontificia Universidad Javeriana, Facultad de Ingeniería – Colômbia
Coordenadora da equipe: Angela Carrillo

Universidad de Los Andes, Facultad de Ingeniería, Departamento de Ingeniería de Sistemas y Computación – Colômbia
Coordenador da equipe: Fernando de la Rosa

Universidad de la Salle, Facultad de Ingeniería – Colômbia
Coordenadora da equipe: Diana Lancheros Cuesta

FINANCIADOR

Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)

Início: 2014