Mamografia, um exame para todas?
 

Publicado em 26/10/16

site_mamografia

tabela_site

 

A Campanha do Outubro Rosa objetiva ampliar a conscientização da população e a adoção de políticas públicas sobre prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama. A cada ano, amplia as discussões a fim de incentivar as mulheres a investirem ainda mais na sua saúde.

Para auxiliar as mulheres no cuidado da sua saúde, o TelessaúdeRS-UFRGS defende o exame de mamografia para rastreamento de câncer de mama, todas as mulheres entre 50 e 69 anos a cada dois anos.

Independente da idade, mulheres com história familiar ou maior risco de câncer de mama devem conversar com o seu médico para avaliação do risco e da conduta. Ou seja, mulheres que tenham mãe, irmã ou filha com câncer de mama antes dos 50 anos de idade ou câncer de ovário devem ser avaliadas individualmente.

Mais informações: médicos e enfermeiros da Atenção Primária a Saúde liguem para 0800 644 6543.

Sugere história familiar ou risco aumentado:

    • história familiar de câncer de mama em parentes de primeiro grau antes dos 50 anos (mãe, filha ou irmã);
    • história familiar de câncer de mama bilateral em parentes de primeiro grau em qualquer idade (mãe, filha ou irmã);
    • história familiar de câncer de ovário em parentes de primeiro grau em qualquer idade (mãe, filha ou irmã);
    • história familiar de câncer de mama masculino;
    • história de radiação torácica (radioterapia torácica previa).

A mamografia apresenta riscos.  A mamografia pode identificar uma lesão que não é câncer! O exame falso-positivo gera muita ansiedade e estresse. A mulher vai realizar uma biópsia ou punção da mama e, em alguns casos,  retira uma parte ou a totalidade da mama desnecessariamente.

A cada 720 mulheres (50 e 69 anos) à 204 recebem um exame positivo sem ter câncer à 26 mulheres fazem biópsia sem ter câncer à 4 mulheres retiram a mama ou parte dela sem ter câncer à 1 mulher tem realmente câncer

A mamografia também pode dizer que a mama está saudável, quando ela já está com câncer. Esse exame pode gerar segurança e eventualmente atrasar o cuidado de saúde necessário.

O autoexame das mamas é a avaliação da mama realizada pela própria mulher.

O TelessaudeRS- UFRGS, baseado na revisão das melhores evidências clínicas disponíveis, desaconselha o autoexame rotineiro das mamas. Entretanto, as mulheres devem conhecer o seu corpo e as variações naturais. Nos casos de identificação de alterações persistentes ou atípicas procurar atendimento médico.

Pacientes com nódulo na mama, secreção nos mamilos, alteração da pele na região das mamas e/ou nódulos nas axilas devem procurar imediatamente avaliação médica para investigação e diagnóstico dos sinais e sintomas existentes, independente da história familiar, da idade ou do tempo da última mamografia.

O TelessaúdeRS-UFRGS defende estratégias de rastreamento baseadas nas melhores evidências científicas, sempre preocupado, em primeiro lugar, em proteger a saúde das pessoas.

Para auxiliar  auxiliar no rastreamento e diagnóstico no câncer de mama, o TelessaúdeRS-UFRGS desenvolveu o  aplicativo Mama. O download do app pode ser feito gratuitamente na loja Google Play e em breve na App Store.

Saiba mais em:

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Câncer de mama: é preciso falar disso. 4. ed. Rio de Janeiro: INCA, 2016. Disponível em: <http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/Cartilha_cancer_de_mama_vamos_falar_sobre_isso2016_web.pdf>. Acesso em: 13 out. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Câncer de mama: é preciso falar disso [folder]. 4. ed. Rio de Janeiro: INCA, 2016. Disponível em: <http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/Folder_Salvar_Vidas_Cancer_Mama_2016.pdf>. Acesso em: 13 out. 2016.

CANADIAN TASK FORCE ON PREVENTIVE HEALTH CARE. Recommendations on screening for breast cancer in average-risk women aged 40-74 years. Canadian Medical Association Journal 183, n. 17, p. 1991-200, 2011. Disponível em: <http://canadiantaskforce.ca/ctfphc-guidelines/2011-breast-cancer>. Acesso em: 13 out. 2016.

U.S. PREVENTIVE SERVICES TASK FORCE. BRCA-Related Cancer: Risk Assessment, Genetic Counseling, and Genetic Testing [Internet]. 2013 Dec [citado em 13 Out 2016]. Disponível em: <https://www.uspreventiveservicestaskforce.org/Page/Document/UpdateSummaryFinal/brca-related-cancer-risk-assessment-genetic-counseling-and-genetic-testing?ds=1&s=breast%20cancer>. Acesso em: 13 out. 2016.

U.S. PREVENTIVE SERVICES TASK FORCE. Breast Cancer: Screening [Internet]. 2013 Dec. Disponível em: <https://www.uspreventiveservicestaskforce.org/Page/Document/UpdateSummaryFinal/breast-cancer-screening1?ds=1&s=breast câncer>. Acesso em: 13 out. 2016.

 

Confira a versão atualizada aqui

Gostou do Nosso Conteúdo? Compartilhe com seus contatos:

Notícias Relacionadas