É necessário realizar a assepsia da pele para aplicação de medicamento injetável?

Publicado em 17/05/2017

Pergunta-da-Semana

Deve-se realizar assepsia da pele antes da aplicação de medicamentos injetáveis, independente da via (intradérmica, subcutânea, intramuscular, endovenosa), pois esse procedimento minimiza os riscos de infecção local ou sistêmica. Essa é a recomendação de protocolos internacionais sobre segurança do paciente.

O procedimento de assepsia da pele deve ser realizado com álcool a 70%, friccionar o algodão embebido por 30 segundos e, em seguida, esperar mais 30 segundos para permitir a secagem da pele, deixando-a sem vestígios do produto, de modo a evitar qualquer interferência do álcool na aplicação.

No entanto, no Brasil, não está indicada assepsia com álcool a 70% na administração de vacinas, para evitar possível interferência do álcool com o imunobiológico. Somente se houver sujidade perceptível, a pele deve ser limpa com água e sabão ou álcool a 70%, principalmente se vacinação ocorrer extramuros ou em ambiente hospitalar.

Serviços de saúde possuem autonomia para criar protocolos próprios baseados na sua realidade local.

 

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.095, de 24 de setembro de 2013. Aprova os Protocolos Básicos de Segurança do Paciente. Anexo 03: protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos. Diário Oficial da União, DF, 25 de Setembro de 2013, Seção 1, p. 113. Anexo disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/julho/03/Protocolo-Medicamentos.pdf>. Acesso em: 17 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de normas e procedimentos para vacinação. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/dezembro/11/Manual-procedimentos-vacinacao-web.pdf>. Acesso em: 17 maio 2017.

CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Epidemiology and prevention of vaccine-preventable diseases [Internet]. Atlanta, GA: CDC, 2016. Disponível em: <https://www.cdc.gov/vaccines/pubs/pinkbook/vac-admin.html>. Acesso em: 17 maio 2017.

CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Injection safety: frequently asked questions (faqs) regarding safe practices for medical injections [Internet]. Atlanta, GA: CDC; 2016. Disponível em: <https://www.cdc.gov/injectionsafety/providers/provider_faqs_general.html>. Acesso em: 17 maio 2017.

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Parecer Coren SP nº22/CAT/2010. Antissepsia da pele antes de vacina por via intramuscular. São Paulo: Coren SP, 2010. Disponível em: <http://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/parecer_coren_sp_2010_22.pdf>. Acesso em: 17 maio 2017.

WOTEN, M.; BALDERRAMA, D.; PRAVIKOFF, D. Aseptic technique and infection prevention: applying principles at the bedside. CINAHL Nursing Guide, March 10, 2017. Disponível em: <http://web.b.ebscohost.com/nrc/detail>. Acesso em: 07 mai 2017.

 

Teleconsultoria respondida por: Laura Ferraz,  Enfermeira e Teleconsultora do TelessaúdeRS-UFRGS, especializada em Saúde da Família pela UNIJUI, graduada em Enfermagem pela UNISC;

 

Gostou do Nosso Conteúdo? Compartilhe com seus contatos:

Notícias Relacionadas