Qual a frequência recomendada para troca da sonda vesical de demora (SVD)?

19/01/2018

Não há evidência definitiva na literatura sobre intervalo ótimo para troca da sonda vesical de demora (via uretral ou via suprapúbica) nos pacientes que necessitam do uso da sonda por longo período. Por essa razão, não há recomendação para a troca com intervalo fixo. Entretanto a troca pode ser realizada nas seguintes situações:

  • Quando indicado por alterações clínicas do paciente, como nos episódios de infecção, drenagem inadequada ou incrustações.
  • Se o paciente tem um padrão de tempo entre a colocação da sonda e o surgimento de infecção ou de obstrução da sonda, especialmente quando a obstrução é causada por incrustações. Nesses casos, a troca pode ser planejada com intervalos regulares, uma semana antes do provável início das manifestações clínicas.
  • Conforme indicado pelo fabricante da sonda (geralmente a cada 12 semanas).

 

Referências:

GENG, V. et al. Catheterisation Indwelling catheters in adults: Urethral and Suprapubic. Arnhem: European Association of Urology Nurses, 2012. Disponível em: <http://nurses.uroweb.org/guideline/catheterisation-indwelling-catheters-in-adults-urethral-and-suprapubic/>.  Acesso em: 18 jan. 2018.

GOULD, C. V. et al. Guideline for prevention of catheter-associated urinary tract infections 2009. Infection Control and Hospital Epidemiology, Thorofare, NJ, v. 31, n. 1, p. 319-326, 2010.

MITCHELL, N. Long term urinary catheter problems: a flow chart to aid management. British Journal of Community Nursing. London, v. 13, n. 1, p. 6-12, 2008.

NATIONAL CLINICAL GUIDELINE CENTRE. Infection: Prevention and control of healthcare-associated infections in primary and community care. London: Royal College of Physicians, 2012. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK115271/>. Acesso em: 19 jan. 2018.

SCHAEFFER, A. J. Placement and management of urinary bladder catheters in adults. Waltham (MA): UpToDate, 2017. Disponível em: <https://www.uptodate.com/contents/placement-and-management-of-urinary-bladder-catheters-in-adults>. Acesso em: 19 jan. 2018.

 

Teleconsultoria respondida por: Laura Ferraz,  Enfermeira e Teleconsultora do TelessaúdeRS-UFRGS, especializada em Saúde da Família pela UNIJUI, graduada em Enfermagem pela UNISC.

Revisão: Elise Botteselle de Oliveira, Teleconsultora Auditora do TelessaúdeRS-UFRGS, Médica de Família e Comunidade, Mestre em Epidemiologia pela UFRGS, Graduada em Medicina pela UFCSPA, e Guilherme Behrend Silva Ribeiro, Médico Urologista, Teleconsultor Médico do TelessaúdeRS-UFRGS, Gaduação em Medicina pela UFRGS, Mestrado em andamento no Programa de Pós-graduação em Ciências Cirúrgicas da UFRGS, Especialização em Urologia concedido pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Urologia e Residência médica nas áreas de Cirurgia Geral, Urologia e Transplante Renal  no HCPA.

 

 

 

Outras Perguntas

Qual a conduta frente ao achado de hematoma subcoriônico no primeiro trimestre da gestação?

4 min leitura ler mais

O que é tireotoxicose gestacional transitória e como diferenciar de outras causas de hipertireoidismo na gestação?

8 min leitura ler mais

Como iniciar o tratamento farmacológico de Transtorno Obsessivo Compulsivo na Atenção Primária?

7 min leitura ler mais

Quais são as recomendações para tratamento de hipotireoidismo subclínico na gestação?

10 min leitura ler mais

Quais são os critérios para considerarmos um tratamento adequado de sífilis em gestante?

12 min leitura ler mais