Como diagnosticar e manejar a anquiloglossia ou “língua presa” em lactentes na APS?

O diagnóstico e o manejo da anquiloglossia ou “língua presa” em lactentes depende de aspectos anatômicos e funcionais da língua, observados a partir do exame visual e da palpação [1,2]. Alterações anatômicas associadas a interferências na amamentação, como dificuldade de pega, baixo peso da criança e dor no seio materno ao amamentar podem indicar a necessidade de incisão no freio lingual [2,3].   

O diagnóstico da anquiloglossia deve ser precoce, uma vez que a falta de manejo pode levar ao desmame em poucos dias ou semanas [4]. Segundo a Nota Técnica 35/2018 do Ministério da Saúde, a avaliação das estruturas deve acontecer de acordo com os parâmetros descritos na Figura 1. As pontuações obtidas para cada um dos quatro itens são somadas e podem variar de 0 a 8. Dessa forma, escores de 0 a 3 indicam redução grave da função da língua.

Figura 1:  Parâmetros a serem avaliados para o diagnóstico da anquiloglossia.


Fonte: Ministério da Saúde (2018) [5]. 

A frenotomia, incisão no freio lingual, é o tratamento de escolha naqueles casos em que o escore for igual ou menor que 3 em associação com a dificuldade de amamentação. Deve-se eliminar outras possíveis causas que justifiquem a dificuldade na amamentação, como dor e lesões no mamilo associada e  lesões na cavidade bucal do bebê que possam ser causa de candidíase (mais informações disponíveis no Telecondutas  Aleitamento Materno aqui). 

Materiais necessários para a realização de frenotomia [6]: 

  • luvas de procedimento;
  • iluminação adequada;
  • gaze;
  • tesoura estéril reta de ponta romba.

Passo a passo da técnica cirúrgica de frenotomia [6]:

  1. O procedimento deve ser feito mediante boa iluminação. 
  2. O responsável deve segurar o bebê de barriga para cima com a cabeça elevada a 45º. O assistente pode ajudar estabilizando  e protegendo a cabeça do bebê.
  3. Não está indicada a anestesia local devido ao risco de metemoglobinemia e limitada evidência científica quanto a redução da dor [7,8]
  4. Sugere-se apreender a ponta da língua com uma gaze e elevá-la para visualizar adequadamente a região que será incisada (freio exposto).
  5.   O freio deve ser incisado com uma tesoura afiada, reta e de ponta romba. A tesoura deve ser posicionada contra o frênulo longe da língua e carúnculas sublinguais. Deve-se fazer uma incisão de aproximadamente 2 mm na parte mais firme do frênulo
  6. Pressiona-se a região com uma gaze por alguns minutos para controle de possível sangramento. Não é necessário realizar sutura (Figura 1).
  7. A mãe pode amamentar o bebê imediatamente após o procedimento [1].

Após o procedimento, prescreve-se analgésico, via oral por 24 a 48 horas e agenda-se retorno do lactente em sete dias para observação da cicatrização e reavaliação do desempenho da amamentação.

Figura 2: Aspecto do freio antes e após incisão.

Fonte: Isaacson (2019) [2]. 

Para saber mais sobre o assunto, assista nossa webaula sobre anquiloglossia aqui

Referências:

  1. Guedes-Pinto AC. Odontopediatria clínica. Porto Alegre: Artes Médicas; 1998.
  2. Isaacson GC. Ankyloglossia (tongue-tie) in infants and children [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; [atualizado em 23 Out 2019, citado em 17 Nov 2020].  Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/ankyloglossia-tongue-tie-in-infants-and-children
  3.  Lalakea ML, Messner AH. Ankyloglossia: does it matter? Pediatr Clin North Am. 2003 Apr;50(2):381-97. Doi 10.1016/s0031-3955(03)00029-4.
  4. Araujo MCM, Freitas RL, Lima MGS, Kozmhinsky VMR, Guerra CA, Lima GMS, et al. Evaluation of the lingual frenulum in newborns using two protocols and its association with breastfeeding. J Pediatr. (Rio de Janeiro) 2020 May;96(3):379–85. Doi 10.1016/j.jped.2018.12.013.
  5. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Coordenação Gederal de Saúde da Criança e Aleitamento Matreno. Nota Técnica nº 35/2018.  Assunto: Com a finalidade de atender à Lei nº 13.002 de 20 de junho de 2014, esta Nota Técnica visa orientar os profissionais e estabelecimentos de saúde sobre a identificação precoce da anquiloglossia em recém-nascidos […]. Brasília, DF; 2018 [citado em 17 Nov 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/anquiloglossia_ministerio_saude_26_11_2018_nota_tecnica_35.pdf
  6. Kenny-Scherber AC, Newman J. Office-based frenotomy for ankyloglossia and problematic breastfeeding. Can Fam Physician. 2016 Jul;62(7):570–1. PMID: 27412212.
  7. Hsu DC. Clinical use of topical anesthetics in children [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; [atualizado em 5 Mar 2020, citado em 17 Nov 2020].  Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/clinical-use-of-topical-anesthetics-in-children
  8. Muldoon K, Gallagher L, McGuinness D, Smith V. Effect of frenotomy on breastfeeding variables in infants with ankyloglossia (tongue-tie): a prospective before and after cohort study. BMC Pregnancy Childbirth 2017;17(373). Doi 10.1186/s12884-017-1561-8.

Teleconsultoria por:

Michelle Roxo Gonçalves

Cirurgiã-dentista

ver Lattes

Jonas de Almeida Rodrigues

Cirurgião-dentista

ver Lattes

Revisão por:

Elise Botteselle de Oliveira

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Com dúvida clínica?

conheça nossa teleconsultoria

Essa resposta foi gerada a partir de uma da mais de 100 mil teleconsultorias realizadas por nós atráves do 0800 644 6543, canal gratuito para resolução de dúvidas de profissionais da saúde de todo o Brasil.

+ Lidas

acessar todas