A prescrição de galactagogos é indicada para estimular a produção de leite materno?

16/08/2019

Não há recomendação do uso rotineiro de galactagogos para estimular a produção de leite materno. As evidências científicas relatam eficácia limitada da utilização desses medicamentos no aumento da produção de leite materno.

O principal manejo para otimizar a produção de leite materno é incentivar as práticas de amamentação, como: ajuste para a pega correta, contato pele a pele, livre demanda, evitar o uso de mamadeiras e outros bicos artificiais, repousar sempre que possível e acionar a rede de apoio. Após esgotados os recursos não farmacológicos de manejo e aconselhamento para fatores modificáveis, em alguns casos específicos, o uso de medicamentos pode ser um recurso:

  • Nutriz e/ou bebê que necessitam de internação hospitalar: quando não há possibilidade de colocar o bebê no peito e, consequentemente, ocorre diminuição da produção do leite materno;
  • Relactação: restabelecer a secreção do leite após o desmame;
  • Amamentação adotiva: mulheres que têm filhos adotivos e que desejam amamentar.

Nestes casos, os medicamentos mais comumente utilizados são a domperidona e a metoclopramida. Há evidências limitadas sobre eficácia desses medicamentos e existem preocupações sobre segurança do uso dos mesmos, portanto, precisam ser usados com cautela. A mulher deve ser orientada quanto aos potenciais efeitos colaterais e a falta de dados que apoiem seu uso. São eles:

  • Domperidona: 10 mg, 3 vezes ao dia, por 7 a 14 dias. Há evidência de efetividade no uso entre o 2º dia até a 4ª semana após o parto. Não atravessa a barreira hematoencefálica, o que o torna mais seguro que a metoclopramida.
  • Metoclopramida: 10 mg, 3 vezes ao dia, por 7 a 14 dias. Em uso por mais de quatro semanas foram descritos efeitos colaterais como agitação, sedação e manifestações extrapiramidais na nutriz. Os lactentes devem ser observados para efeitos adversos como sonolência, déficit de sucção, irritabilidade e desconforto abdominal.

Apesar de também ser muito utilizada, a sulpirida não é recomendada para esta finalidade. Em nota oficial, o laboratório que fornece essa medicação no Brasil, contraindica o seu uso durante a amamentação, justificada por comprovada excreção da substância no leite materno e possíveis eventos adversos na criança amamentada.

Ainda é comum o consumo de alguns alimentos e plantas com objetivo de aumento da produção de leite materno, como por exemplo: feno-grego, silimarina, galega (arruda-caprária), funcho, aveia, dente de leão, milho, algas marinhas, anis estrelado, manjericão. Contudo, não há evidência científica que comprove a eficácia na prática da amamentação, além da ausência de regulação das preparações, dosagem, contaminantes, potencial alérgico e tóxico e possíveis interações medicamentosas.

Referências:

  1. BRASIL. Ministério da Saúde. Amamentação e uso de medicamentos e outras substâncias. 2a ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/amamentacao_uso_medicamentos_outras_substancias_2edicao.pdf)
  2. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf
  3. DONOVAN TJ, BUCHANAN K. Medications for increasing milk supply in mothers expressing breastmilk for their preterm hospitalised infants. Cochrane Database of Systematic Reviews. 2012, v3. Art.n.: CD005544
  4. SANOFI-AVENTIS FARMACÊUTICA. Nota oficial. Medicamentos contendo sulpirida: risco de excreção no leite materno durante amamentação. São Paulo, 2018. Disponível em:http://portal.anvisa.gov.br/documents/33868/5270120/Dogmatil%2C+Equilid+e+Sulpan+%28sulpirida%29+-+contraindica%C3%A7%C3%A3o+para+o+uso+de+sulpirida+durante+a+lacta%C3%A7%C3%A3o.+Sanofi-Aventis+Farmac%C3%AAutica+Ltda%2C+07+de+fevereiro+de+2019/7d9e9221-b3bd-44c0-9d7e-404adc4a191e?version=1.0
  5. SPENCER J. Common problems of breastfeeding and weaning. UptoDate, 2018. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/common-problems-of-breastfeeding-and-weaning?search=Common%20problems%20of%20breastfeeding%20and%20weaning&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1. Acesso em: 25 abril. 2019.
  6. THE ACADEMY OF BREASTFEEDING MEDICINE PROTOCOL COMMITTEE. ABM Clinical Protocol: Use of Galactogogues in Initiating or Augmenting the Rate of Maternal Milk Secretion (First Revision January 2011). Breastfeeding Medicine. Volume 6, Number 1, 2011. Disponível em:  https://www.liebertpub.com/doi/pdf/10.1089/bfm.2011.9998
  7. THE ACADEMY OF BREASTFEEDING MEDICINE PROTOCOL COMMITTEE. ABM Clinical Protocol: Use of Galactogogues in Initiating or Augmenting Maternal Milk Production, Second Revision 2018. Breastfeeding Medicine. Volume 13, Number 5, 2018. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/55d4/5cf816178f917bee75a6bede81aea5cee05c.pdf

 

 

Teleconsultoria por:

Daniela Dal Forno Kinalski

Enfermeira

ver Lattes

Revisão por:

Laura Ferraz do Santos

Enfermeira

ver Lattes

Ana Cláudia Magnus Martins

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Outras Perguntas

Como realizar avaliação e manejo inicial do paciente com comportamento suicida na APS?

10 min leitura ler mais

Quais são as indicações de punção lombar na investigação de sífilis?

3 min leitura ler mais

Qual é o tratamento para doença inflamatória pélvica (DIP)?

8 min leitura ler mais

Qual o manejo da candidíase oral na primeira infância?

5 min leitura ler mais

Como manejar a constipação intestinal em adultos na Atenção Primária à Saúde?

7 min leitura ler mais