Quais são as indicações de punção lombar na investigação de sífilis?

  • Na presença de sintomas neurológicos ou oftalmológicos (quadro 1).
  • Em caso de evidência de sífilis terciária ativa.
  • Após falha ao tratamento clínico sem reexposição sexual*.

*Para pessoas vivendo com HIV, a punção lombar está indicada após falha ao tratamento (em todos os casos de retratamento), independentemente da história de exposição sexual.

Leia mais sobre critérios de retratamento aqui.

Indivíduos tratados para neurossífilis devem ser submetidos à punção liquórica de controle após seis meses do término do tratamento. Na persistência de alterações do LCR, recomenda-se o retratamento e punções de controle em intervalos de seis meses, até a normalização da celularidade e VDRL não reagente. Em PVHIV, essa resposta pode ser mais lenta, sendo necessária uma avaliação caso a caso. A normalização de testes não treponêmicos em amostras de sangue (queda da titulação em pelo menos duas diluições ou sororreversão para não reagente) pode ser um parâmetro a ser considerado como resposta ao tratamento da neurossífilis, principalmente em um cenário de indisponibilidade de realização da punção lombar.

Quadro 1: Manifestações clínicas da neurossífilis

  • envolvimento ocular (uveíte, paralisia de nervos cranianos)*;
  • envolvimento auditivo;
  • paresia geral;
  • deficiência cognitiva;
  • mudanças de comportamento;
  • demência;
  • depressão;
  • mania;
  • psicose com alucinações visuais ou auditivas;
  • dificuldades de memória;
  • confusão mental;
  • meningite sifilítica;
  • lesão meningovascular: acometimento isquêmico principalmente cápsula interna, artéria cerebral média, carótida, artéria basilar, artéria cerebral posterior, vasos cerebelares;
  • tabes dorsalis;
  • goma sifilítica;
  • epilepsia.

Fonte: Ministério da Saúde (2020).

* O acometimento ocular pode se dar em qualquer estrutura do olho. A uveíte posterior e a panuveíte são as ocorrências mais comuns e podem evoluir com diminuição da acuidade visual. A sífilis ocular é frequentemente associada a meningite sifilítica (assintomática e sintomática).

Referências:

    1. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2020 [citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2015/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-atencao-integral-pessoas-com-infeccoes.
    2. Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ, Duncan MS, Giugliani C, editores. Medicina Ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 4a ed. Porto Alegre: Artmed; 2013.
    3. Workowski KA, Bolan GA. Sexually transmitted diseases treatment guidelines. Centers for Disease Control: Morbidity and Mortality Weekly Report. 2015 June;64(3):1-137 [atualizado em 28 Ago 2015: v. 64, n. 33, p. 924-924, citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: http://www.cdc.gov/mmwr/preview/mmwrhtml/rr6403a1.htm
    4. Marra CM. Neurosyphilis [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; 2018 Dec 21 [citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/neurosyphilis
    5. Rompalo A. Syphilis in the HIV-infected patient [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; 2018 Oct 17 [citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/syphilis-in-the-hiv-infected-patient
    6. Dynamed. Record No. 115619, Primary syphilis [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services, 1995 [atualizado em 30 Nov 2018, citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T115619.
    7. Dynamed. Record No. 115040, Latent syphilis [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services, 1995 [atualizado em 30 Nov 2018, citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T115040.
    8. Hicks CB, Clement M. Syphilis: treatment and monitoring [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; 2018 May 21 [citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/syphilis-treatment-and-monitoring.
    9. Dynamed. Record No. 917451, Approach to syphilis testing [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services, 1995 [atualizado em 30 Nov 2018, citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T917451.
    10. European AIDS Clinical Society. EACS Guidelines 9.1. Brussels: EACS; Oct 2018 [citado em 15 Maio 2020]. Disponível em: https://www.eacsociety.org/files/2018_guidelines-9.1-english.pdf.

Teleconsultoria por:

Elise Botteselle de Oliveira

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Alexandre Wahl Hennigen

Clínico Geral

ver Lattes

Revisão por:

Ana Flor Hexel Cornely

Médica Infectologista

ver Lattes

Com dúvida clínica?

conheça nossa teleconsultoria

Essa resposta foi gerada a partir de uma da mais de 100 mil teleconsultorias realizadas por nós atráves do 0800 644 6543, canal gratuito para resolução de dúvidas de profissionais da saúde de todo o Brasil.

+ Lidas

acessar todas

Quais são os diagnósticos diferenciais da COVID-19?