Quais são os sintomas do sarampo e seus diagnósticos diferenciais?

 

O sarampo classicamente se apresenta com os seguintes sintomas:

  • febre alta (acima de 38,5 °C);
  • tosse;
  • coriza;
  • conjuntivite;
  • manchas brancas na mucosa bucal (manchas de Koplik);
  • rash maculopapular com evolução céfalo-caudal.

Após o período de incubação, de cerca de 7 a 21 dias, surgem só sintomas prodrômicos: febre alta (38,5 a 40 °C), tosse seca (inicialmente), coriza e conjuntivite não purulentas. Durante esse período, 24 a 48 horas antes do início do exantema, podem surgir as manchas de Koplik (pápulas branco-acinzentadas de 1 a 3 mm sobre base eritematosa), localizadas na mucosa oral. Essas lesões desaparecem em  12 a 72 horas. Embora possam não estar presentes em todos os casos, é  importante sempre buscar as manchas de Koplik nos casos suspeitos, pois sua presença aumenta significativamente a acurácia diagnóstica.

Entre o segundo e o quarto dia dos pródromos, surge o exantema maculopapular (morbiliforme), que se inicia na região cefálica (fronte, linha dos cabelos e atrás das orelhas) com posterior evolução para o pescoço, tronco superior, tronco inferior e extremidades (disseminação cefalocaudal e centrífuga). No início do quadro, o rash desaparece à digitopressão, tornando-se fixo com o passar dos dias e podendo tornar-se petequial ou hemorrágico nos casos mais graves. Pode ou não haver acometimento palmo-plantar. Em pacientes imunocomprometidos, o rash pode não ocorrer.

A febre, a prostração e os sintomas catarrais costumam atingir seu ápice no 2º e 3 º dias do rash, com melhora sucessiva após esse período. O rash dura aproximadamente 5 dias, com desaparecimento progressivo das lesões na mesma ordem de aparecimento. Pode haver descamação furfurácea na fase resolutiva. O tempo total de doença (pródromos e exantema) é de aproximadamente 7 dias. Febre por mais de 3 dias, após o aparecimento do exantema, é um sinal de alerta e pode indicar o aparecimento de complicações, como infecções respiratórias, otites, doenças diarreicas e neurológicas.

Figura 1. Manchas de Koplik e exantema maculopapular (morbiliforme) no sarampo.

Os principais diagnósticos diferenciais do sarampo são outras doenças exantemáticas febris agudas, como rubéola, exantema súbito, eritema infeccioso,  escarlatina e dengue. Outras condições não infecciosas também podem levar a quadro clínico semelhante.

Tabela 1. Manifestações clínicas dos principais diagnósticos diferenciais do sarampo. 

 

REFERÊNCIAS

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Guia de vigilância em saúde. 3ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2019. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_vigilancia_saude_volume_unico_3ed.pdf
  2. Brasil. Ministério da Saúde. Saúde de A a Z. Sarampo: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/sarampo
  3. Bennett JE.; Dolin R, Blaser MJ. Mandell, Douglas, and Bennett’s principles and practice of infectious diseases. 8th ed. Philadelphia: Elsevier Saunders; 2015.
  4. Rio Grande do Sul. Secretaria da Saúde. Centro Estadual de Vigilância em Saúde. Sarampo e Rubéola [Internet]. Porto Alegre: CEVS; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://cevs.rs.gov.br/SARAMPO
  5. Gans H, Maldonado YA. Measles: Clinical manifestations, diagnosis, treatment, and prevention [Internet]. Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/measles-clinical-manifestations-diagnosis-treatment-and-prevention
  6. DynaMed Plus [Internet]. Record nº T116399, Measles [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services; 2018 [atualizado em 2018 Jun 13, citado em 2019 Jul 4]. Disponível mediante login e senha em: http://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T116399/Measles
  7. Centers for Disease Control and Prevention. Measles (Rubeola): For healthcare professionals clinical features [Internet]. Atlanta: CDC; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://www.cdc.gov/measles/hcp/index.html
  8. Moss WJ. Measles.Lancet. 2017 Dec 2;390(10111):2490-2502. doi: 10.1016/S0140-6736(17)31463-0
  9. Bolognia J, Jorizzo J, Rapini RP. Dermatology. 3rd ed. Elsevier; 2012. p. 1348-1349
  10. Irvine AD, Hoeger PH, Yan AC, editors. Harper’s Textbook of Pediatric Dermatology. 3rd ed. Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell; 2011. p. 49.2-49.3.
  11. Ferreira JP, organizador. Pediatria: diagnóstico e tratamento. Porto Alegre: Artmed; 2005.
  12. DynaMed Plus. Record nº T115232, Parvovirus B19 infection [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services; 2018 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível mediante login e senha em: http://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T115232/Parvovirus-B19-infection
  13. DynaMed Plus. Record nº T116928, Rubella [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services; 2018 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível mediante login e senha em: http://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T116928/Rubella
  14. Edwards MS. Rubella [Internet]. Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/rubella
  15. Tremblay C, Brady MT.Roseola infantum (exanthem subitum) [Internet]. Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/roseola-infantum-exanthem-subitum
  16. Brasil. Ministério da Saúde. Chikungunya: manejo clínico. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2017. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/chikungunya_manejo_clinico.pdf
  17. Wilson ME, Lenschow DJ, Miner JJ. Chikungunya fever: Epidemiology, clinical manifestations, and diagnosis [Internet]. Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/chikungunya-fever-epidemiology-clinical-manifestations-and-diagnosis
  18. LaBeaud AD. Zika virus infection: An overview Internet]. Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2019 [citado em 2019 Jul 4]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/zika-virus-infection-an-overview

Teleconsultoria por:

Kelli Wagner Gomes

Médica Dermatologista

ver Lattes

Revisão por:

Elise Botteselle De Oliveira

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Ana Cláudia Magnus Martins

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Ana Flor Hexel Cornely

Médica Infectologista

ver Lattes

Outras Perguntas

Quais são os sintomas do sarampo e seus diagnósticos diferenciais?

Quando indicar rifampicina para tratamento de infecção latente pelo Mycobacterium tuberculosis (quimioprofilaxia)?

4 min leitura ler mais

Qual é o tratamento para corrimento uretral?

6 min leitura ler mais

Como iniciar o tratamento farmacológico para Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na Atenção Primária à Saúde?

8 min leitura ler mais

O que é fenômeno de Raynaud e como diferenciar o primário do secundário?

6 min leitura ler mais