A vacina contra febre amarela é contraindicada em idosos?

A idade acima de 60 anos não é uma contraindicação para receber a vacina contra a febre amarela. A vacinação nessa faixa etária requer avaliação médica, devendo ser observada a presença de morbidades que contraindicam a vacinação e análise cuidadosa de risco versus benefício. Justifica-se realizar a vacina quando o idoso residir ou viajar para área com risco de transmissão de febre amarela.

Os eventos adversos mais comuns à vacina são: dor local, mal-estar, cefaleia, dores musculares e febre baixa, o que ocorre em 2 a 5% dos vacinados, por volta do 5º ao 10º dia. Essas manifestações duram de 1 a 2 dias.

Muitos dos eventos relatados após a vacinação contra febre amarela constituem-se em sinais e/ou sintomas de diversas doenças frequentes na população, por isso nem sempre é possível distinguir os que são causados pela vacina e os causados por outros problemas coincidentes temporalmente.

Em geral os eventos adversos graves são raros, mas a primovacinação em idosos parece aumentar o risco. Esses eventos incluem as reações de hipersensibilidade, doença neurológica aguda (encefalite, meningite, doenças autoimunes com envolvimento do sistema nervoso central e periférico) e doença viscerotrópica aguda (infecção multissistêmica generalizada, semelhante às formas graves da doença).  

Para saber sobre as contraindicações e precauções da vacina contra a febre amarela, acesse a Pergunta da Semana: Quais são as contraindicações para realizar vacina contra febre amarela?

Caso complexo na APS?

Discuta-o com nossos especialistas através do 0800 644 6543, o canal gratuito para profissionais da saúde de todo o Brasil

Resolva casos complexos junto com nossos especialistas através do 0800 644 6543,
o canal gratuito para profissionais da saúde de todo o Brasil

Referências:

  1. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde. Ofício Circular nº 136/2019/SVS/MS. Assunto: encaminha Anexo com orientações técnico-operacionais para implantação da vacina febre amarela (atenuada), nas áreas sem recomendação de vacinação e atualização das indicações da vacina no Calendário Nacional de Vacinação. Brasília, DF; 17 Abr 2020 [citado em 10 Set 2020]. Disponível em: https://sei.saude.gov.br/sei/controlador_externo.php?acao=documento_conferir&codigo_verificador=0012745405&codigo_crc=9A78D6BB&hash_
    download=c363bda9d997f2b574410a9776d3499e7a00472d3a565d54412ea684a70c81e12263feff79762
    a2a6e93f41ad7d44e6b58d0efbc15aad5ac19e6eb1c2c149ff6&visualizacao=1&id_orgao_acesso_externo=0.
  2. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde.  Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis. Manual de normas e procedimentos para vacinação. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014 [citado em 10 Set 2020]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_procedimentos_vacinacao.pdf.
  3. Ministério da Saúde (Brasil). Manual de vigilância epidemiológica para eventos adversos pós-vacinação. 3a ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014 [citado em 10 Set 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_vigilancia_epidemiologica_eventos_adversos_pos_vacinacao.pdf.
  4. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Orientações para profissionais de saúde sobre Febre Amarela silvestre: Nota informativa nº 02/2017. Informa a situação epidemiológica da Febre Amarela e as recomendações para intensificação da vigilância no Brasil. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017 [citado em 10 Set 2020]. Disponível em: http://www.riocomsaude.rj.gov.br/Publico/MostrarArquivo.aspx?C=qLJGSGsLQuM%3D.
  5. Wilder-Smith A. Yellow Fever: treatment and prevention [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; [atualizado em 5 Ago 2020, citado em 10 Set 2020]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/yellow-fever-treatment-and-prevention?topicRef=3032&source=related_link#H792171363.
  6. IBM Micromedex®. Yellow Fever vaccine [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services; c2020 [citado em 10 Set 2020]. Disponível em: https://www.dynamed.com/drug-monograph/yellow-fever-vaccine#GUID-3DD6D134-466E-4A8D-BB3B-D3EDF667338F.
  7. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Febre Amarela: guia para profissionais de saúde. 1a ed. atual. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2018 [citado em 10 Set 2020]. Disponível em: https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/biblioteca_em_saude/124_Guia%20para%20profissionais_febre%20amarela%20MS%202018.pdf.
  8. Gershman MD, Staples JE. Chapter 4: travel-related infectious diseases: Yellow Fever. In: Centers for Disease Control and Prevention. Yellow Book 2020: health information for international travel. Georgia; [atualizado em 2 Ago 2020, citado em 10 Set 2020]. Disponível em: https://wwwnc.cdc.gov/travel/yellowbook/2020/travel-related-infectious-diseases/yellow-fever.

Como citar este documento:
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia. TelessaúdeRS (TelessaúdeRS-UFRGS). A vacina contra febre amarela é contraindicada em idosos? Porto Alegre; Set 2020 [citado em “dia, mês abreviado e ano”]. Disponível em: https://www.ufrgs.br/telessauders/perguntas/vacina-febre-amarela-idoso/.

Teleconsultoria por:

Elise Botteselle de Oliveira

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Revisão por:

+ Lidas

acessar todas

Como é feito e como deve ser interpretado o resultado do teste de absorção da lactose?

Qual o tratamento para escabiose (sarna)?

Como deve ser feita a reposição de vitamina B12?