A nebulização é contraindicada para manejo de broncoespasmo em pacientes com COVID-19?

A suspeita ou confirmação de caso de COVID-19 não é uma contraindicação absoluta para a realização de nebulização. No entanto, para manejo de pacientes com broncoespasmo, deve-se dar preferência ao uso de broncodilatador em spray inalatório (“bombinha”), com espaçador individual ou esterilizado a cada paciente [1]. Se houver disponibilidade somente de nebulização e indicação clínica do uso, esta deve ser utilizada. [2,3]

Para  realizar a nebulização, colocar o paciente em sala isolada e bem ventilada previamente à nebulização. O profissional de saúde presente na sala deve utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) padrão e máscara filtrante para aerossóis (N95/PFF2) [2,3]. Após o procedimento, realizar a limpeza e desinfecção do nebulizador conforme rotina do serviço.

Não há estudos de boa qualidade demonstrando que nebulização seja procedimento gerador de aerossol [4,5,6] . Porém, pelo risco teórico, a OMS e o Ministério da Saúde recomendam a utilização de N95/PFF2 para realização deste procedimento. [2,3].

Referências:

  1. Global Initiative for Asthma. COVID-19: GINA answers to frequently asked questions on asthma management. Fontana, WI; 2020 Mar 25 [citado em 3 Abr 2020]. Disponível em: https://ginasthma.org/wp-content/uploads/2020/03/Final-COVID-19-answers-to-frequent-questions-25.3.2020-1.pdf.
  2. World Health Organization (WHO). Modes of transmission of virus causing COVID-19: implications for IPC precaution recommendations: scientific brief. Geneva; 2020 Mar 27 [atualizado em 29 Mar 2020, citado em 3 Abr 2020]. Disponível em: https://www.who.int/news-room/commentaries/detail/modes-of-transmission-of-virus-causing-covid-19-implications-for-ipc-precaution-recommendations.
  3. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Coronavírus Covid-19: procedimento operacional padronizado: equipamento de proteção individual e segurança no trabalho para profissionais de saúde da APS no atendimento às pessoas com suspeita ou infecção pelo Novo Coronavírus (Covid-19): versão 2. Brasília, DF; Mar 2020. 7 f. Disponível em: https://www.conasems.org.br/wp-content/uploads/2020/03/20200330_POP_EPI_ver002_Final.pdf.
  4. Aerosol Generating Procedures and Risk of Transmission of Acute Respiratory Infections to Healthcare Workers: A Systematic Review – https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3338532/pdf/pone.0035797.pdf.
  5. Simonds A, Hanak A, Chatwin M, Morrell M, Hall A, Parker KH, et al. Evaluation of droplet dispersion during non-invasive ventilation, oxygen therapy, nebuliser treatment and chest physiotherapy in clinical practice: implications for management of pandemic influenza and other airborne infections. Health Technol Assess 2010;14(46):131-72. Doi 10.3310/hta14460-02.
  6. Boswell C, Longstaff J. Aerosol Generating Procedures (AGPs). Edinburgh: Health Protection Scotland, National Services Scotland; 2020 Mar [versão 1.1, citado em 3 Abr 2020]. Disponível em: https://hpspubsrepo.blob.core.windows.net/hps-website/nss/2893/documents/1_tbp-lr-agp-v1.1.pdf.

Com dúvida clínica?

conheça nossa teleconsultoria

Essa resposta foi gerada a partir de uma da mais de 100 mil teleconsultorias realizadas por nós atráves do 0800 644 6543, canal gratuito para resolução de dúvidas de profissionais da saúde de todo o Brasil.

+ Lidas

acessar todas

Qual a aplicabilidade dos testes diagnósticos para COVID-19?