Quando solicitar exames radiológicos de imagem em pacientes com COVID-19 e que alterações podem ser observadas?

Casos com sintomas leves e Síndrome Gripal sem dispneia, sinais de alarme (taquipneia, esforço respiratório, saturação < 95%) ou comorbidades descompensadas não necessitam avaliação com exame de imagem.

Recomenda-se solicitar radiografia de tórax em todos os casos suspeitos de pneumonia por COVID-19. O achado mais comumente encontrado é infiltrado pulmonar bilateral (75% dos casos), enquanto infiltrado unilateral é observado em 25% dos pacientes.

Já a tomografia computadorizada (TC) de tórax sem contraste pode ser considerada para casos hospitalizados, especialmente naqueles com radiografias normais ou com achados indeterminados. Em metanálise com mais de 50 mil pacientes internados na China, houve alterações em 97% dos casos. Os achados mais comumente observados foram múltiplas consolidações ou áreas lobulares e subsegmentares com padrão de atenuação em vidro fosco, usualmente com distribuição periférica ou posterior, principalmente nos lobos inferiores bilateralmente.

Achados menos frequentes incluem: opacidades consolidativas sobrepostas a áreas de atenuação em vidro fosco (especialmente em idosos), espessamento interlobular ou septal (liso ou irregular), espessamento da pleura adjacente e broncogramas aéreos. Alguns pacientes podem ainda apresentar derrame pleural, linfadenopatia e alterações císticas circulares.

Em crianças, as alterações mais comumente encontradas são pequenas opacidades nodulares em vidro fosco e consolidações com sinal do halo.

Apesar das alterações radiográficas serem úteis na avaliação diagnóstica, nenhum achado pode completamente confirmar ou descartar a possibilidade diagnóstica de infecção por COVID-19. Estudos têm demonstrado que as alterações podem estar presentes em pacientes assintomáticos ou oligossintomáticos e que casos graves podem apresentar alterações tomográficas apenas 10 dias após o início do quadro clínico.

Referências:

Beeching NJ, Fletcher TE, Fowler R. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) [Internet]. BMJ Best Practice. 2020 Feb [atualizado em Mar 2020, citado em 23 Mar 2020]. Disponível em: https://bestpractice.bmj.com/topics/en-gb/3000168.

McIntosh K. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) [Internet]. Waltham (MA): UpToDate; [atualizado em 20 Mar 2019, citado em 23 Mar 2020]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/coronavirus-disease-2019-covid-19.

Centers for Disease Control and Prevention. Coronavirus disease 2019 (COVID-19): interim clinical guidance for management of patients with confirmed Coronavirus disease (COVID-19). Georgia; 2020 Mar [citado em 23 Mar 2020]. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/index.html.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós- Graduação em Epidemiologia. TelessaúdeRS-UFRGS. Coronavírus (COVID-19): informações para profissionais da APS. Porto Alegre: TelessaúdeRS-UFRGS; 2020 [Citado em 23 Mar 2020]. Disponível em: https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/telecondutas/material_profissionais_corona_virus_20200303.pdf.

Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Recomendações de uso de métodos de imagem para pacientes suspeitos de infecção pelo COVID-19. São Paulo: CBR; 16 Mar 2020. [Citado em 23 Mar 2020]. Disponível em: https://cbr.org.br/recomendacoes-de-uso-de-metodos-de-imagem-para-pacientes-suspeitos-de-infeccao-pelo-covid-19/.

Com dúvida clínica?

conheça nossa teleconsultoria

Essa resposta foi gerada a partir de uma da mais de 100 mil teleconsultorias realizadas por nós atráves do 0800 644 6543, canal gratuito para resolução de dúvidas de profissionais da saúde de todo o Brasil.

+ Lidas

acessar todas

Quanto tempo o vírus que causa a COVID-19 sobrevive em superfícies?

Qual a diferença de distanciamento social, isolamento e quarentena?

Como fazer a limpeza de superfícies possivelmente contaminadas por coronavírus?