Doação de medula óssea

Publicado em 29/09/2017

doacao_medula_ossea_20170929_v006_ipn-01

Há casos em que pacientes necessitam de transplante de órgãos para alcançar a cura. No caso da medula óssea, a doação pode ser feita em vida e por qualquer indivíduo com boas condições de saúde que tenham entre 18 à 55 anos.

A medula óssea é um tecido esponjoso, conhecido popularmente como tutano. Esse tecido é responsável pelo desenvolvimento dos componentes sanguíneos como os leucócitos (glóbulos brancos), as hemácias (glóbulos vermelhos) e as plaquetas. O transplante de medula óssea é indicado em diversas doenças e por isso há grande necessidade de doadores.

Para ser doador é necessário se cadastrar nos hemocentros dos estados e se enquadrar nos seguintes requisitos:

  • ter entre 18 e 55 anos*;
  • estar em boas condições de saúde;
  • não ter doenças infecciosas ou incapacitantes.

A doação pode ser feita de duas formas. A primeira, mais comum, é realizada em centro cirúrgico, sob anestesia, e exige a internação do doador por, no mínimo, 24 horas. Neste caso, o procedimento é feito por meio de punções e leva, em média, entre 60 minutos a 90 minutos. O outro método é feito através da coleta por aférese. Antes de realizar a doação, o doador deve, durante cinco dias, fazer uso de uma medicação que estimula o aumento de células-tronco circulantes no sangue. Neste caso, não há necessidade de internação nem de anestesia. A decisão sobre a técnica a ser utilizada na doação é definida pela equipe médica do hospital a partir da análise de cada caso.

* Menores de 18 anos podem doar apenas com o consentimento de ambos os pais e com autorização judicial.

Referências

PORTAL BRASIL. Saiba quais órgãos podem ser doados ainda em vida [Internet]. Brasília: Governo Federal, 2016. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/saude/2016/10/saiba-quais-orgaos-podem-ser-doados-ainda-em-vida>. Acesso em: 18 set. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Informações sobre a doação de medula óssea: passo a passo para se tornar um doador [Internet]. Rio de Janeiro: INCA, 2017.  Disponível em: <http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/orientacoes/site/home/informacoes_sobre_doacao_de_medula_ossea>. Acesso em: 18 set. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea: conheça o REDOME. [Internet]. Rio de Janeiro: INCA, 2017.  Disponível em: <http://redome.inca.gov.br/o-redome/conheca-o-redome/>. Acesso em: 18 set. 2017.

 

Texto: Vitória Pacheco

Revisão: Rosely Andrade, Ana Paula Borngraber Correa, Camila Hofstetter Camini e Carlos André Aita Schmitz  – CRM RS: 25631

Gostou do Nosso Conteúdo? Compartilhe com seus contatos:

Notícias Relacionadas