Gestantes podem viajar de avião?

Publicado em 05/12/2017

gestantes_aviao_noticia_20171204_v004_ipn-09

Sim, viagens aéreas são seguras até a 36ª semana de gestação com a autorização do médico. Uma gestação normalmente dura entre 38 e 41 semanas, portanto, fazer um bom acompanhamento da gestação, comparecendo às consultas de pré-natal, é a melhor maneira de saber o tempo de gestação e a data provável do parto.

Viagens em aeronaves adequadamente pressurizadas (como nos aviões de grande porte, em que a pressão do ar no interior da cabine de passageiros é mantida, independente da altitude do voo e da baixa pressão externa) não oferecem qualquer risco e não alteram os sinais vitais do bebê. Os níveis de radiação recebidos durante uma viagem aérea não causam efeitos ao feto e o voo não está relacionado com aumento do risco de parto prematuro ou com descolamento prematuro de placenta.

Entretanto, as regulamentações e decisões de viagens aéreas para gestantes são determinadas pelas próprias companhias aéreas, cujos limites de idade gestacional para viagens, bem como outras restrições, são disponibilizados pela empresa. Lembre-se, o tempo de gestação é o considerado na data de embarque e não o da data de reserva ou compra da passagem.

A maioria das companhias aéreas exige atestado médico a partir da 28ª semana para gestações simples e a partir da 26ª ou 28ª semana para gestações múltiplas (gêmeos). A partir da 32ª semana, é exigido o preenchimento, pelo(a) médico(a) da gestante, de um formulário específico fornecido pelas companhias aéreas, o MEDIF (Medical Information Form). O documento deve ser enviado com antecedência mínima de 72 horas do horário previsto de partida do voo. A partir da 38ª semana, o embarque é permitido apenas em casos de extrema necessidade com acompanhamento médico.

Elencamos aqui, algumas recomendações:

Antes do voo:

  • consultar as regras de transporte da companhia aérea às gestantes;
  • realizar avaliação médica, buscando a compensação de possíveis anemias antes da viagem;
  • evitar dieta produtora de gases nos dias anteriores à viagem.

Durante o voo:

  • evitar o uso de roupas apertadas;
  • manter o cinto afivelado e posicionado sobre a pelve logo abaixo da barriga durante toda a viagem (preferência pelo cinto de três pontos);
  • manter-se bem hidratada;
  • nos voos com duração superior a quatro horas, fazer exercícios leves com as pernas a cada hora para evitar a imobilidade prolongada; podem ser utilizadas meias elásticas;
  • embora haja compensação fisiológica em ambientes pressurizados e de altitude elevada, oxigênio suplementar deve ser administrado às gestantes que não tolerarem as alterações do ambiente da aeronave (gestantes com anemia falciforme, anemia severa ou insuficiência cardíaca, por exemplo).

Restrições:

  • Devem evitar viagens de avião mulheres com gestações de alto risco que podem apresentar complicações durante o percurso;
  • a viagem deve ser evitada caso a gestante apresente dores ou sangramento antes do embarque;
  • as viagens longas não devem ser realizadas por pacientes com gestações múltiplas (gêmeos), diagnóstico médico de incompetência istmo cervical (mulheres em que o colo do útero tem dificuldade de suportar o peso do feto), atividade uterina aumentada (contrações) ou com história de parto prematuro prévio;
  • viagens para regiões de grandes altitudes (desembarque de passageiros em lugares acima de 2400 metros) podem trazer problemas aos mecanismos de adaptação à hipóxia (adaptação a lugares onde a pressão de oxigênio do ar é menor) e devem ser evitadas, principalmente em gestações de alto risco;
  • gestação ectópica (casos mais raros onde a gestação ocorre fora do útero ou no colo do útero) é contraindicação para o voo;
  • não há restrições no pós-parto imediato ou tardio para a mãe. No entanto, recomenda-se adiar a viagem do recém-nascido na primeira semana de vida, em vista da sua fragilidade inerente ao período.

Texto adaptado da pergunta da semana “Gestantes podem viajar de avião?” publicada em 15/02/2016 e disponível em  https://www.ufrgs.br/telessauders/perguntas/gestantes-podem-viajar-de-aviao/

Para download do PDF acesse: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/9882

Texto: Vitória Oliveira Pacheco

Revisão: Rosely Andrade, Camila Hofstetter Camini e Carlos André Aita Schmitz  – CRM RS: 25631

Arte: Iasmine Nique

 

Gostou do Nosso Conteúdo? Compartilhe com seus contatos:

Notícias Relacionadas