Amilcar de Castro

Paraisópolis/ MG, 1920 – Belo Horizonte/ MG, 2002

Formação:
1941–1945 Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (BH/MG)
1944–1950 Instituto de Belas Artes de Belo Horizonte, atual Escola Guignard (UEMG)
1956–1961 Diagramador no Jornal do Brasil (RJ)
1967–1970 Bolsa de estudos da Fundação Gugghenheim (Nova Iorque, EUA)
1971–1977 Docente na Escola Guignard (UEMG/MG)
1970–1980 Docente na Faculdade de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Trajetória:
Escultor, desenhista, gravador, diagramador e professor.
Estudou desenho e pintura com Alberto da Veiga Guignard (1896–1962), e escultura figurativa com o austríaco Franz Weissmann (1911–2005) na Escola de Belas Artes de Minas Gerais. No início da década de cinquenta trabalhou como diagramador de vários periódicos no Rio de Janeiro sendo o responsável pela reforma gráfica do Jornal do Brasil. Após passar um período nos Estados Unidos, retornou ao Brasil e seguiu a carreira de artista e docente paralelamente. Ao se aposentar como docente dedicou-se exclusivamente à sua obra. Seu percurso na escultura é marcado pelos processos denominados corte e dobra, corte e deslocamento e sólidos geométricos, e também pelo uso do ferro/aço como principal matéria-prima.

Obras:
Obra sem título