Cinema

E o vento não levou: filmes que marcaram uma época e continuam marcando

Muitos filmes envelhecem mal e ficam no esquecimento, mas há aqueles que sobrevivem ao tempo e até mesmo melhoram com o passar dos anos. Isso porque esses filmes deixam claro o quanto foram revolucionários e diferentes na época em que foram exibidos.

Filmes como “…E o Vento Levou” (1939), de Victor Fleming, que conta a história de Scarlett O’Hara e tem como pano de fundo o caos da Guerra Civil e “Cidadão Kane” (1941), de Orson Welles, considerado um dos filmes mais importantes da história, são alguns entre tantos outros que sobreviveram com o passar dos anos.

Cidadão Kane

Fonte: ufsj.edu.br

A categoria ficção também é outra que precisa de tempo para ser apreciada de tantos filmes incríveis. Entre os sobreviventes desse gênero podemos mencionar dois longas que ficam melhores a cada sessão: “Contatos Imediatos de Terceiro Grau” (1977) e “ET” (1982), ambos de Steven Spielberg.

E quem consegue dormir depois de assistir a “Poltergeist, o Fenômeno” (1982) ou Jack Nicholson como “O Iluminado” (1980)? Nem seus diretores, Tobe Hoopes e Stanley Kubrick! Esses clássicos do terror fazem até hoje com que o espectador sinta medo a cada minuto de filme.

O Iluminado

Fonte: tested.com

Drama não significa filme de tragédia. Normalmente são obras que nos fazem refletir sobre algum tema. “Casablanca” (1942), de Michael Curtiz, “Touro Indomável” (1980), de Martin Scorsese, e “O Poderoso Chefão” (1972), de Francis Ford Coppola e que teve mais duas sequências, estão entre os sobreviventes no gênero drama.

Em meados da década de 80, o cinema adotou uma maneira diferente de produzir filmes: utilizando muitos efeitos especiais. Foi uma época notável para os filmes de aventura, dando vez às superproduções cinematográficas. Filmes como “Os Caçadores da Arca Perdida” (1981), de Steven Spielberg, “King Kong” (1933), de Merian Cooper, e “De Volta Para o Futuro” (1985), de Robert Zemeckis, não passaram despercebidos com seus grandes efeitos especiais e continuam até hoje na lembrança do espectador.

De Volta Para o Futuro

Fonte: adorocinema.com

Já dizia o cineasta Orson Welles: “O cinema não tem fronteiras nem limites”. O que isso prova que um filme pode mesmo se tornar eterno. “O Mágico de Oz” (1939) é um desses; idem para “Cinema Paradiso” (1988); “Pulp Fiction” (1994); “Bonequinha de Luxo” (1961); “Quanto Mais Quente Melhor” (1959); “Psicose” (1960); “Um Estranho no Ninho” (1975); “Matrix” (1999) e tantos outros filmes que marcaram uma época e até hoje continuam marcando.

Tags: , , , , , , , ,

1 comentário

  1. Juliana, definitivamente uma baita lista de filmes! Pra mim, só por Scorcsese, Coppola e Kubrick já valia. Mas…
    Quando você fala em filmes que marcaram época e me traz basicamente escola americana, isso fica um pouco pobre. Me fez pensar em filmes que mudaram a história, que causaram choque, que foram censurados, que mostraram um outro lado do cinema, que criaram ou alimentaram movimentos culturais. Claro que clássicos são clássicos. Mas senti falta de algo mais controverso, menos clássicos e mais modernos. Talvez o neorrealismo italiano que influenciou décadas de cinema e mostrou os sintomas da guerra como eles realmente são, sem herói e desfechos felizes. Ou mesmo o cinema novo francês e alemão que ditaram um novo ritmo para narrativas clássicas, algumas vocês citou em sua lista. Faltou uma visão um pouco mais ampla, faltaram filmes brasileiros que mudaram o jeito que o mundo olha pro nosso cinema. Faltaram filmes que marcaram por sua ousadia. E não importa se não fez sucesso de público ou se as pessoas não entenderam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*