Literatura

SE AMASSE FALAVA

No último post , PAIXÃO NÃO É AMOR , expressei meu ponto de vista a respeito do ideal romântico que temos sobre relacionamento amoroso, apontei o conceito de que o amor é uma escolha. Como toda escolha, envolve nossa razão.

Como muitas vezes a razão é rival da emoção, a partir do fato de que nenhum casal nem relacionamento é perfeito, concluí – me auto-citando – que “relacionamento estável, duradouro, feliz, para mim é possível – e não é de graça, sem sacrifício”.Terminei o texto, postei e fui embora.

E agora, o que fazer com esse tal de sacrifício, tão necessário na construção do AMOR, e não só no amor eros, mas também no filos, no ágape e no storge .Ficou para este e muitos outros posts que vêm na sequência, revelar os tijolos da obra a partir do que penso sobre o que Gary Chapman escreveu no livro“As Cinco Linguagens do Amor”.

Palavras de afirmação” é a primeira linguagem abordada por Chapman em seu livro, e diz respeito à necessidade que algumas pessoas têm de entender que são amadas por seu Amor através de palavras. E isso não se resume ao dizer “EU TE AMO”, mas em receber elogios, reconhecimentos e incentivos quando realmente forem verdadeiros.

Na minha análise, nós frequentemente reclamamos enfaticamente de algo que nosso Amor faz que nos desagrada e poucas vezes (ao menos comparativamente) elogiamos o esforço que ele(a) faz para agradar-nos. Para mim, se as pessoas são adultas, a partir do momento que sabem que uma atitude desagrada ao outro, é a partir do amor que haverá mudança e não da pressão. Somos casais, não pais e filhos- como bem concordo com o autor.

Ao meu ver, sendo essa a linguagem do amor predominante em nós individualmente ou não, cada um tem a necessidade de ser elogiado, de saber que tem qualidades que o outro admira, que há coisas que faz que agrada ao outro, que fazem o outro sentir-se amado, feliz, bem.Coisa mais boa ouvir de quem a gente ama “você me faz tão bem” e/ou “você me faz feliz”.

Outro fator que eu vejo ser extremamente importante, é a questão de incentivar. Todos nós temos momentos de insegurança e como é bom poder contar com o incentivo sincero da pessoa que escolhemos e que nos escolheu para formarmos um par. Eu acho simplesmente marvilhoso poder sinceramente dizer ou ouvir de quem amamos o quanto somos capazes de realizar algo e como realizamos tal coisa bem; acho fantástico ouvir ou dizer para o outro com fidelidade que nós realmente acreditamos que o que ele(a) planeja fazer dará certo, nem que seja no final.

Talvez para muitos de nós praticar qualquer um destes atos seja penoso, até em razão de não ter muito jeito com essa questão de elogios e incentivos, muitas vezes até pelo relacionamento estar num ponto em que se valoriza muito mais os defeitos, devido às circunstâncias que foram conduzindo tudo, mágoas, ressentimentos. O autor de “ As Cinco Linguagens do Amor” ensinou a técnica de fazer uma lista de elogios sinceros, e eu creio que isto pode ajudar muita gente. Simplesmente, recomendo muito este livro.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*