Variedades / Viés

Fúria nas quatro rodas

Montados em vários cavalos, equipados com uma armadura de aço, imponentes com quaze uma tonelada. Assustadores? Você de certo não queria se deparar com uma coisa dessas na rua….. Pois estamos sujeitos a esses monstros todos os dias quando saimos de casa.

A Indignação

Fonte: Portal IG

Já tem tempo, várias vezes quiz – como dizem por ai: “botar a boca no mundo”- mas os cidadãos comuns não tem espaço para isso. Todo mundo já reclamou uma vez na vida sobre a atitude dos motoristas, seja de Porto Alegre, ou qualquer outra cidade. Agora é a vez de botar esse portal a serviço da discussão sobre esse assunto de interesse público.

A questão é: Por que quando as pessoas (pela minha experiência empírica) entram em um carro, se tornam homens pré-históricos, violentos que não se importam com o resto das pessoas?

O pedestre se torna um ser para apenas desviar, o respeito e a identificação com o outro indivíduo do outro lado do para-brisas ficam muito longe do alto das quatro rodas.

Não acredito que esses motoristas andem sempre de carro, e tenho quaze certeza de que quando andam a pé, sofrem os mesmos problemas. Todos querem consideração, mas esquecem disso quando se embriagam da prepotência trazida pela velocidade e ainda, a impunidade dos infratores de trânsito.

Como indicado nas pesquisas de trânsito, as infrações cometidas, os motoristas estão cada vez mais negligentes no trânsito, falam no celular, passam o sinal fechado, dobram sem dar sinal. O que evidencia toda essa despreocupação? Creio que a impunidade. O sistema de cobrança de multas é muito indeficiente.

Impuni sim, impuni sempre

Ainda persiste no código a transferência de multas, além claro de não se ter uma fiscalização firme quanto a pontuação da carteira de motoristas. Nós já vimos muitos casos de pessoas que excediam o  valor de pontos absurdamente  e continuavam dirigindo impunemente.

Como vamos reclamar de pessoas que infringem a lei, é apenas uma discussão sem resultado.  Os motoristas se acham acima das outras pessoas que, para eles só sabem  reclamar, mas não estão certos. Assim, continuam a estacionar em vagas de deficientes físicos,  passar com o carro pelas calçadas, não dar preferência para o pedestre.

Foi preciso uma campanha para fazer o motorista ver o pedestre que atravessa na faixa , que precisava estender a mão para não ser atropelado. Mesmo assim, esperamos ainda pela boa vontade do condutor do veículo, parar para passarmos. Pena, que não foi nada eficaz a iniciativa. Continuamos a nos arriscar mesmo atravessando na suposta “faixa de segurança“.

Ainda temos muito a avançar quanto a lei, já que ainda permitimos que motoristas que bebem dirijam e sejam soutos, pagando apenas uma multa. Se não houver punição adequada, essa irresponsabilidade vai continuar.

Sei que minha explanação é bem pontual. Precisaríamos de muitos posts para analisar o comportamento mal-educado dos pedestre, ciclistas, motoqueiro…. Apenas iniciei a discussão. Quero por enquanto levantar a maior queixa dos que são desrespeitados todos os dias.

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*