Política / Viés

A internet, o transporte público e as novas ideias

Desde seus primórdios, a internet vem se tornando aliada dos serviços públicos para os mais diversos fins, especialmente a informação. No entanto, isso não significa que os órgãos de governo estejam utilizando a web para melhor informar seus usuários. A maior parte das prefeituras ainda não evoluiu desenvolveu sistemas de consulta realmente úteis, e um dos maiores exemplos disso é o transporte público.

Em Porto Alegre, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) é responsável pelos serviços de ônibus. Apesar dos apelos campanhas para que a cidade se torne mais turística, é de se duvidar que alguém vindo de longe consiga se deslocar por Porto Alegre sozinho sem precisar de um carro, ou de muita sorte informação. Isso porque o site da EPTC tem sérios problemas para informar quais linhas podem ser usadas para se ir de um ponto a outro – dados básicos para a sobrevivência em qualquer cidade.
Parada de ônibus em Porto alegre

Em Porto Alegre, o serviço de informações sobre itinerários de ônibus tem sérios problemas. Foto: Jonathan Heckler/PMPA

Poabus

Pensando nessas falhas, um nerd estudante de Ciência da Computação teve a brilhante ideia que até então não havia passado pelas cabeças dos diretores da EPTC: criar um site colaborativo com informações sobre linhas de ônibus, incluindo um mapa da cidade e um sistema de buscas por linhas a partir de certo itinerário. Bruno Jurkovski, 20 anos, estuda na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mas afirmou ter se inspirado no modelo utilizado em São Paulo para criar o poabus.

Bruno Jurkovski

Bruno Jurkovski se inspirou em São Paulo e criou um site de consultas a itinerários de ônibus. Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

“Eu fui no Fórum de Software Livre no ano passado e um cara apresentou uma ideia que ele fez em São Paulo. Eu vi o que ele fez e resolvi fazer em Porto Alegre”, disse Bruno sobre Carlos Duarte do Nascimento, conhecido como Chester, matemático que palestrou em Porto Alegre em julho de 2010. “A diferença é que, lá (em São Paulo), a empresa disponibiliza isso no site, e aqui não”, afirmou Bruno. O estudante disse que procurou a EPTC para oferecer o projeto, mas ele não foi aceito.

Bruno Jurkovski nem mora em Porto Alegre: ele é de Canoas, na região metropolitana. “Eu tenho que pegar o trem e um ônibus pra ir e pra voltar, todos os dias”, disse ele. Apesar disso, ele afirma que os amigos o motivaram a continuar o projeto, iniciado ainda em 2010. “Uma solução desse tipo já tinha que existir faz tempo. Tecnologia se tem, é só vontade de se implementar. As prefeituras ou os responsáveis deveriam se importar mais com isso”, afirmou o estudante, puxando a orelha cobrando uma atitude das autoridades.

Segundo Bruno, o poabus foi divulgado pela primeira vez no domingo, dia 27 de março, em uma comunidade do orkut. “Segunda-feira (28) é que estourou, começou a ter um monte de acessos”, disse o estudante. O site chegou a sair do ar por algumas horas na segunda-feira. Por isso, Bruno pede doações para manter o poabus no ar, além de colaborações com novos dados sobre transporte público.

Tags: , , , , , , , ,

1 comentário

  1. Tava na cara que Porto Alegre estava precisando de um serviço desses. Ainda bem que existem pessoas que se ligam nisso e, por iniciativa própria, usam seus conhecimentos para fazer o que os serviços públicos não fazem! Já usei o poabus e é muito eficiente. =)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*