Consumo / Viés

Cães de raça X Vira-latas

Filhote vira lata preto

Filhote vira-lata à espera da adoção, como outros tantos.

Existe alguma diferença entre um cão com “raça” e um “vira lata”? Se existe, por favor avise-nos. A princípio, todos  são capazes de fazer as mesmas coisas, são fiéis, amigos, companheiros… Mas a realidade dos cães mostra que há diferença sim, enquanto uns são abandonados ou nascem nas ruas, esperando uma eternidade para encontrar um lar, outros, que tem o chamado  pedigree, chegam a ter filas de espera para serem comprados.

Quando se trata de adquirir um bichinho de estimação, poucos são os que pensam na adoção, prevalecendo entre os critérios de escolha a raça do animal. Por essa razão, dificilmente cãezinhos abandonados encontram um final feliz. Os que não são recolhidos pelos centros de zoonoses ou pelas ONGs enfrentam a fome e a violência das ruas.  No entanto, se as pessoas parassem para pensar, todos os cães, indiferentemente da questão racial, podem oferecer a companhia e a lealdade que os donos esperam. Então por que a preferência pelo pedigree?

A interação homem-cão existe há pelo menos 20 mil anos. Dela, resultaram inúmeras raças, especificas para cada atividade do cotidiano do homem antigo. Hoje, algumas raças ainda são treinadas para nos ajudar, como os cães-guia para os deficientes visuais e os cães policiais, que farejam drogas e são usados  para intimidação. Entretanto, quando se busca apenas uma companhia e um amigo para todas as horas, não necessariamente é preciso que o cão pertença à determinada raça. Seria, então, uma espécie de preconceito que motiva as pessoas a adquirirem um animal pela sua estética, visto que a maioria dos cães disponíveis para a adoção não possuem uma raça específica. Muitos podem justificar esse fato pelo medo de contrair doenças, o que pode ser difícil de ocorrer uma vez que os animais forem tratados, vermifugados, vacinados e vivam em boas condições de higiene.

Mastiff Tibetano de 1 milhão de reais. Até onde vai a vaidade humana?

O valor pago para a compra desse Mastiff Tibetano superou 1 milhão de reais. Até onde vai a vaidade humana? Foto: Época negócios online

A vaidade humana pode ser uma razão para a compra de cães (que diga-se de passagem podem custar uma fortuna, como se percebe na foto ao lado). A raça do animal pode ter alguma relação com o status que ele oferece, assim como as marcas.  Sem contar a baixa variabilidade genética de cães de raças específicas. A própria Confederação Brasileira de Cinofilia possui um documento que regulamenta o cruzamento parental para garantir o pedigree. Pelo visto a falta de moralidade está a favor da supremacia da raça pura, em detrimento do bom senso ético.

Ainda bem que há várias entidades preocupadas com a situação dos animais sem lar, como a Bicho de Rua, aqui de Porto Alegre. Não há razão para haver distinção dos cães pelas raças, pois são todas vidas que merecem o respeito e a atenção de nós, seres humanos, que principiamos essa relação por depender deles, no passado. Hoje, continuamos essa história porque queremos ter um amigo leal. Que tal pensar nessa alternativa? Muitas campanhas publicitárias também focam nessa ideia, como podemos ver no exemplo abaixo, que contém várias campanhas da Pedigree:

Através da mobilização e da conscientização, a marca busca, assim como todos que defendem a causa, diminuir o índice de animais à espera de uma adoção. Se você está pensando em ter um cãozinho de estimação, aí está uma boa chance de contribuir para a sociedade e fazer a diferença na vida de um ser vivo. Adotar é um gesto de carinho, pois todo cão tem o direito de ser feliz, da mesma forma que nós, seres humanos.

Tags: , , , ,

15 comentários

  1. Essa questão da variabilidade genética é tudo. O que as pessoas que compram cães de raça fazem é totalmente antinatural. Por isso os labradores são obesos e têm problemas ortopédicos e cardiovasculares. Sem falar nas raças que apresentam um índice altíssimo de epilepsia e câncer, como o boxer e o cavalier, que geralmente tem o cérebro maior que a caixa craniana. É um sofrimento terrível pro animal! Eu podia falar ainda do poodle, do basset, do pug, etc.

    Outra coisa, a Pedigree faz propaganda pró adoção de cães SRD, mas NENHUM produto seu tem a embalagem estampada com um vira-lata. São só cães de raça. Então o que a Pedigree quer é que adotemos vira-latas, mas os cachorros bons mesmo são os de raça? Como assim?

    • Patricia Tanabe says:

      Pois é, eu tinha pensado sobre isso da Pedigree (o nome da marca diz tudo né). Concordo que uma propaganda indireta como cães vira lata nas embalagens poderia ser mais adequada à causa. Mas como é uma marca que tem condições de investir massivamente e usa a campanha de adoção como estratégia para mostrar seu “lado bom”, achei que valeria a pena falar dela. Fora o fato de eu me sensibilizar muito sempre que vejo as propagandas dela na TV!

      • Não, com certeza, as campanhas deles são super legais e importantes, precisam continuar. Só que eu acho estranho os SRD não serem bons o bastante para as embalagens.

  2. Eu acho isso um preconceito. Cachorros vira-latas também são uma vida. Comem, bebem, fazem xixi, amam seus donos, o que há de diferente dos de raça? As pessoas são tão mesquinhas que se influenciam por nomes e status, sendo que no final, todos são iguais. Todos merecem muito amor e uma vida saudável!
    Por mim, não existiria essa separação.

  3. Todos os cães sem procedência,que vc adquire sem conhecer os

    pais, são um perigo.Podem ter doenças transmissíveis e ter

    agressividade exacerbada.Todo SRD que conheci era histérico(latia

    muito),tinha um carinho meloso e possessivo com o dono(elege um

    da casa para amar)e era extremamente agressivo com outras

    pessoas.Os cães de raça pura são mais educados,quanto mais se

    sabe sobre a linhagem do cão,melhor é.O meu Pinscher é um lord

    inglês,super hiper ultra mega educado,quase não late,não agride

    ninguém desnecessariamente,quando não gosta de alguém,ele,se tem

    oportunidade,se afasta.Não é medroso.É

    educado,carinhoso,gentil,meigo,amoroso,mas não é meloso,nem

    inconveniente.Ele pede permissão para tudo,para e olha,se a

    pessoa aceitar e fizer o gesto correto,aí sim,ele sobe no

    colo.Não lambe rosto.Enfim,não enche o saco,até parece adestrado

    e nunca foi.Entende absolutamente tudo.Respeita o espaço

    alheio.Não sei se é o sangue alemão.Acho que uma criança educada

    num colégio de padre na Suíça não seria tão educada quanto

    ele.Ele é mais educado do que todo mundo que eu conheço.É mais

    educado do que eu!Ascendência boa é tudo…

    • Espero que você morra devorada pelo seu lorde inglês, sua nazista ignorante.

    • Patricia Tanabe says:

      Sinceramente, não concordo com a sua opinião, Marie Louise. O que você fala sobre os cães SRD é uma total ignorância. Como escrevi no post, os animais são tratados e higienizados, portanto eles tem tanta chance de trasmitir doença quanto qualquer outro cão com “pedigree”. Aliás, a minha intenção foi dizer que não deveria haver essa diferença, cães são todos iguais, indiferentemente de sua linhagem. Não conheço seu cão, e não duvido do seu relato sobre ele. Apenas gostaria de deixar claro que ascendência todos têm, o que não define um ser vivo ser melhor que outro.

      • Vcs ñ entenderal é que Maria Louise e seu lord ingles são perfeitos e têm que ser arrebatados o mais rápido possível, mas eu espero ficar por aqui, pq eu tenho defeitos,e ñ gosto de perfeitos, por isso a minha viralata de pastor é tudo para mim, mesmo sendo medrosa p/burro.Que sejamos todos felizes, eles com a perfeição no canto deles e nós com nossos defeitos na nossa

    • Pura ignorância esse seu testo, já conheci muitos vira-latas e quase todos eram dóceis, se seu pinscher é tão educado assim, eu garanto que ele é um caso isolado, pois o pinscher geralmente é um cão que late muito sem necessidade

  4. Pena é que vive pouco.Acho engraçado quando vejo donos “enjoados”de seus cães,querem “trocar”,ter variedade(como se fossem coisas),compram cães da moda,dizem que tem o desejo de conhecer outras raças.E eu nem posso imaginar o dia que meu Príncipe Axl se for.Ele deveria ser eterno,cão dos meus filhos,cão dos meus netos…Ele é perfeito.Até acho outros cães bonitinhos,mas quando se atinge a perfeição é difícil descer de nível.Sem contar que eu acho o Pinscher e o Doberman esteticamente perfeitos,muito proporcionais.Existem muitas raças esquisitas,onde não tem a menor proporção.Exs:o basset que tem as patas tortas e curtas,o Golden que é gordo,o Hott que é cabeçudo,o Husky que é louco e destrói tudo,o poodle que é um cão que late o tempo todo…Conheço muitas pessoas infelizes com seus péssimos cães,e me sinto agraciada por Deus em ter o Axl,pois ele é um anjo.Não sei se é a raça(já que a maioria que vi reclamar de Pin na verdade tinha um mestiço de Chihuahua)ou é ele,indivíduo,que é um santo cachorro.
    Ele detesta gente barulhenta e crianças mal educadas,apesar de meus esforços,às vezes os meus priminhos capetas tentam infernizá-lo,se ele pode,sai de perto,caso contrário,ele aguenta tudo,tenta fazer “cara feia”(é impossível ficar feio),mas nunca mordeu.

    • A minha viralata de pastor morre de medo de crianças, qdo as vê no play do prédio ela treme, chora,passa mal. Eu evito ao máximo o contato delas com criança.Se tem criança na calçada da rua eu vigio e mudo de lado antes que ela passe mal.

  5. Se é perfeito ele tem que ser arrebatado, Maria Louise e vc tb tem que ser arrebatada, pois o cachorro é um reflexo do dono.

  6. Ashley Power passion for your earth of drag racing has firmly been ingrained in her given that childhood, as she would frequently commit times hanging out with her famous father about the monitor and in the garage. I acquired into large faculty, all I desired to perform was go racing, she suggests. put on race Tshirts to school, and i took automobile shop and welding.

  7. Anna Selezneva was the topic of the Could 2008 Interview journal editorial, in addition as an Oct V journal spread, which ended up shot by renowned style photographers Patrick Demarchelier and Mario Testino respectively. Shortly following her 18th birthday, Anna Selezneva profile obtained a serious raise when she was highlighted about the covers of both equally the French and Russian editions of Vogue for September 2008. In November, she appeared with supermodel Eva Herzigova within a Vogue Paris editorial shot by Mario Sorrenti..

  8. So, if you have a DVDROM and an Audigy2 sound card, you can experience the best sound quality of DVD Audio. Creative included a DVDdisk with a few demo tracks for us to feel the difference. What are our impressions? Well, it’s rather hard to describe the unquestioned advantages of DVD Audio in a few lines of the review.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*