Comunicação / Política / Viés

Saúde? Educação? Que nada! O que importa é a maconha

O Supremo Tribunal Federal liberou a marcha da maconha. Prevaleceu a liberdade de expressão. Se o indivíduo é traficante de drogas, ele é um criminoso. Mas se ele apenas defende a legalização da droga, ele não pode ser proibido de se manifestar. Acertou o STF. Até aí, tudo bem. Mas será que não temos coisas mais importante para se preocupar?

A tal marcha da maconha leva milhares de pessoas às ruas em todo o Brasil. A maioria deles crê que, se as drogas forem legalizadas, o tráfico sofrerá um baque. É um ponto de vista plausível, apesar de questionável. Digo questionável porque não penso que seria tão fácil assim desarticular os traficantes. Ainda mais sacrificando a saúde pública. Porém, independente disso, será que, diante de tantos problemas que envolvem o Brasil, a maconha pode ser considerada prioridade na sociedade brasileira?

Manifestantes protestam pela maconha. Enquanto isso, os políticos roubam e o povo passa fome. Que beleza!

Penso em questões que me fariam sair de casa para protestar. A maconha certamente não estaria entre as primeiras três mil. 

O povo brasileiro assiste inerte a muitos absurdos sem fazer nada. Sarney se perpetua no Congresso, Palocci multiplica o patrimônio, Papagaio vai para o semi-aberto, foge e depois volta para o semi-aberto para fugir de novo,  o governo ameaça conceder o álvara para a roubalheira, propondo sigilo dos orçamentos para a Copa do Mundo 2014. É brabo.

E não para por aí.

O Sarney (ele de novo) defende o sigilo de documentos históricos que pertencem a sociedade brasileira, os parlamentares reajustam os salários deles mesmos, as emergências dos hospitais estão superlotadas, a educação é sucateada, magistrados e parlamentares ganham salários e benesses faraônicas, enquanto o povo passa fome. E se alguém ousar mexer nisso, será processado por atentar contra o “direito adquirido”. E, como se não bastasse, bilhões são roubados anualmente dos cofres públicos, apesar de não haver dinheiro para saúde e para educação.

E nós preocupados com a marcha da maconha. Bem feito para o Brasil.

Tags: , , , , , , , ,

2 comentários

  1. Karina Almeida says:

    É bem por aí mesmo. Quando é pra protestar por coisas infinitamente mais importantes o pessoal fica em casa e diz que não vai adiantar nada.

  2. U R A Pirate says:

    Bora acender o baseado e achar que temos liberdade!

Deixe uma resposta para U R A Pirate Cancelar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*