TV / Viés

Suburgatory: das caminhas ao subúrbio

Camisinhas podem mudar uma vida. E não apenas no sentido óbvio, prevenindo acidentes de percurso. Emily Kapnek, roteirista das séries Ginger (2006) e Parks and Recreation (2009), criou um seriado que promete fazer com que filhos parem de achar algumas decisões de seus pais terríveis. Além de nos fazer repensar o poder de um preservativo.

Imagem de divulgação da série Suburgatory com a atriz Jane Levy

O programa de TV americano Suburgatory, que estreou em 28 de setembro de 2011, surge como uma nova série teen que inova na forma de apresentar diferentes tipos de família. O episódio piloto indica que esta pode ser uma ótima opção para as próximas noites de segundas-feiras às 20:30 na Warner Channel.

O seriado conta a história de George, um pai solteiro interpretado por Jeremy Sisto – o famoso detetive Lupo, galã da 18ª temporada da série Law and Order (1990) –, e da adolescente Tessa, vivida pela atriz Jane Levy, conhecida pela atuação na série Shameless (2011). Ele sempre tentou fazer o melhor possível para criar sozinho sua filha em Nova York, e ela sempre pareceu feliz com sua rotina na cidade grande. Certo dia, George encontra uma caixa de camisinhas na gaveta de Tessa e, em crise, concluiu que não haveria outra escolha senão alterar os rumos da vida de sua família. Em busca de um ambiente mais saudável e seguro para criar uma adolescente, decide que o melhor para sua filha é ir morar nos subúrbios de Nova York.

Contudo, para o azar de George, as coisas não são como parecem. O lugar que ele tinha certeza que seria a salvação de sua filha, acaba se revelando um antro de mães que tentam se parecer com adolescentes. Juntamente com as jovens que, para serem populares, não só se vestem, como também agem sem qualquer pudor. Em meio a tipos completamente artificiais – do bronzeado à personalidade – Tessa se vê perdida, convivendo com pessoas com as quais não tem nada em comum, enquanto seu pai é forçado a questionar se estava certo em acreditar que seria lá o melhor lugar para criá-la.

Ator Jeremy Sisto: George Altman de Suburgatory

Suburgatory mostra uma família que não tem uma composição clássica, embora seja comum hoje em dia. Se provocar esta mudança em função de uma caixa de camisinhas parece efetivamente não ter sido a melhor saída, é em função dos conflitos que daí surgem que o espectador ganha uma boa história para assistir, acompanhando as estratégias de pai e filha no enfrentamento de seus problemas. Entra-se no mundo do subúrbio, representado pelo estereótipo de mães que mimetizam adolescentes e jovens que são vulgares, todas escondidas atrás de grandes mansões e gramados verdes. Kapnek, porém, aproveita os clichês para explorar um assunto mais sério: a convivência familiar e os desafios em lidar com a nova casa, os novos vizinhos, amigos, escola, em uma rede intrincada de relacionamentos.

No primeiro episódio, Kapnek já demonstra que irá se arriscar além destes estereótipos, indicando que há de fato um coração por trás da futilidade dos moradores do subúrbio. Mas ainda é cedo para saber se esta série vai superar as expectativas e se impor como uma revelação na TV. Vale a pena arriscar e torcer para que os roteiristas consigam manter o enredo interessante e surpreendente, criando personagens com os quais o público possa se identificar.  Fica o desejo de que Suburgatory nos mostre muito mais do que os misteriosos poderes de uma caixa camisinhas.


Tags: , , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*