Processo de produção de compostos oxigenados

Panorama tecnológico
As pressões ambientais e as regulamentações internacionais sobre a conservação do meio ambiente forçaram o uso de gasolinas sem chumbo. Os aditivos oxigenados são, em regra, a alternativa mais viável e a que tem sido escolhida, uma vez que garantem uma redução significativa das emissões, além de permitirem o uso de catalisadores para a conversão dos hidrocarbonetos não convertidos no motor, que seriam envenenados pelos aditivos com chumbo.

Descrição da tecnologia
A presente invenção descreve a obtenção de éteres de alto peso molecular, oriundos da biomassa, para aplicação em formulações de combustíveis para motores de combustão interna, a fim de aumentar a eficiência térmica e a redução da formação de contaminantes atmosféricos.

Problema resolvido
Na indústria petroquímica, os produtos do corte C5, constituídos basicamente de olefinas, são aproveitados na formulação de gasolinas, no entanto, estes produtos, por apresentarem baixa octanagem e elevada formação de goma, diminuem a qualidade do combustível. O óleo fusel é a fração menos volátil obtida durante a produção do álcool combustível. A produção média deste produto é estimada em 2,5L para 1000L de álcool. No entanto, considerando que anualmente no Brasil são produzidos aproximadamente 15 bilhões de litros de etanol, tem-se uma quantidade de 37,5 milhões de litros de óleo fusel. Entretanto, apesar de o óleo fusel constituir um dos principais subprodutos da redestilação do álcool, ainda não é devidamente aproveitado pelas usinas.

Aplicações
Os éteres produzidos a partir do corte C5, juntamente com o óleo fusel, poderão ser utilizados como aditivos antidetonantes (melhoradores de octanagem) para gasolinas automotivas atendendo principalmente o mercado brasileiro de gasolinas para exportação. Além disso, estes produtos poderão ser utilizados em refinarias e companhias petroquímicas que produzem gasolinas tipo exportação.

Vantagens
– Obtenção de éteres de alto peso molecular a partir de produtos de baixo valor agregado da indústria petroquímica e da indústria alcooleira difere dos processos convencionas de síntese, uma vez que ainda não há plantas de produção industrial destes éteres, assim como não há um destino lucrativo para os resíduos do processo petroquímico e alcooleiro, os quais são aproveitados integralmente neste processo;
– Possibilidade de obtenção de compostos biorenováveis para formulação de gasolinas de alto desempenho, sintetizando éteres a partir do óleo fusel. Neste processo se obtém produtos de elevado valor agregado, para exploração industrial, a partir de matérias-primas que não são devidamente aproveitadas;
– A produção destes éteres, aproveita matérias-primas de baixo valor comercial da indústria petroquímica e alcooleira e desenvolve tecnologia para a exploração industrial de produtos oxigenados para possível utilização com combustível em motores de combustão interna.

Nível de maturidade da tecnologia (TRL – Technology Readiness Level)

Status e oportunidade
Patente concedida pelo INPI sob n° do pedido PI 0700795-7.

A patente pode ser encontrada na íntegra no Lume pelo link.

Inventores
Renato Cataluña Veses
Rosângela da Silva
Eliana Weber de Menezes

Visite o Lab… (Clique no logo)