Dispositivo auxiliar para pessoas visualmente incapacitadas

Panorama tecnológico
O maior desafio para as pessoas visualmente incapacitadas nas tarefas básicas cotidianas, é que são necessários instrumentos extras, como a bengala branca ou cão-guia. A bengala branca tem uma limitação no alcance (extensão da bengala, ao redor de um metro) e na altura, sendo necessários movimentos repetitivos do braço do indivíduo. O cão guia adiciona dificuldades considerando a criação do animal, e que muitos locais não são preparados para o cão acompanhante (que pode gerar constrangimentos desnecessários).

Descrição da tecnologia
Sistema de cinto mais aplicativo para smartphone que, provido de GPS e um sistema complexo de mapas, possibilita encontrar a melhor rota (de pedestre) para o usuário, com estimativas precisas de tempo de locomoção.

Demonstração da tecnologia- Imagem cedida pelo inventor.

Problema resolvido
Baixa autonomia de pessoas desprovidas e/ou desprovidas temporariamente do sentido da visão.

Vantagens/diferenciais
– Mãos do portador livres
– Não precisa de processamento de imagens (que é bastante custo em termos de energia para sistemas alimentados a bateria)
– Utiliza sinais ultrassônicos para localização, que diminuem interferência
– Aumento da percepção do tato do usuário
– Audição livre para concentração no ambiente externo no qual o usuário se locomove
– Possibilidade da aceleração no processo de aprendizagem e aprimoramento dos sentidos para pessoas cegas em fase de desenvolvimento inicial
– Mais autonomia para o usuário se movimentar, localizar objetos e movimentar-se

Aplicações
– Ajudar na locomoção de pessoas com o sentido da visão obstruído.
– Acelerar o processo de aprendizagem do mapa mental de ambientes para deficientes visuais.
– Permitir que ambientes internos e externos se tornem mais acessíveis.

Estágio de desenvolvimento (TRL – Technology Readiness Level)

Status e Oportunidade
Patente publicada pelo INPI sob n° do pedido BR 102018068502-3.

A patente pode ser encontrada na íntegra no Lume pelo link.

Inventores
Antonio Carlos Schneider Beck Filho
Ricardo Stadtlober Sabedra

Link relacionado
Notícia publicada no Jornal da Universidade em 17 de setembro de 2020.

Veja o vídeo demonstrativo da tecnologia

Tecnologia participante da ação Tecnologias UFRGS (clique na imagem)

Visite nosso laboratório (clique no logo)

4 Comments

  1. Gabriela

    Que demais! Parabéns Ricardo, a iniciativa em si é lindíssima, mas tua explicação de como funciona e a facilidade que isso trará aos usuários, não tem preço!
    É de pessoas como você que o mundo precisa! Muito obrigada e, novamente, parabéns!

  2. Renata Teixeira

    Muito bacana conhecer um pouco dos resultados dos trabalhos da universidade. Gostaria de saber como é que o cinto avisa ao usuário para mudar de direção. Parabéns também pela forma de divulgação, muito acessível e isso é muito importante na divulgação da nossa balbúrdia! Muito orgulho!

    1. Ricardo Sabedra

      Olá Renata, obrigado pelo seu comentário. Sou o criador do projeto e vou tentar responder a sua dúvida.
      O cinto é divido em dois sistemas:
      1- Para alerta em tempo real de obstáculos na frente do usuário por meio de vibração táctil. A medida que a pessoa, que estiver utilizando o cinto, chega perto de obstáculos, a vibração aumenta. É possível fazer uma analogia referente ao sensor de estacionamento de carros, que neste caso usa sinal sonoro para alertar o motorista sobre obstáculos.

      2- Sistema de GPS. Neste caso, o aplicativo cria uma rota, e a medida que o usuário deve desviar o seu curso para esquerda ou direita, o App envia sinais para o cinto, que emite uma vibração diferente do lado esquerdo ou direito do usuário, representando a mudança de direção.

      Espero que tenha conseguido sanar a sua dúvida, qualquer coisa não deixe de perguntar aqui que eu respondo.
      Abraços 🙂

Comments are closed.