Impressora de gráficos em alto relevo

Produção de materiais didáticos para inclusão educacional de pessoas com deficiência visual

 

Oportunidade

Otimizar a produção e adaptação de materiais didáticos para alunos cegos ou com deficiência visual grave, visando atender a demanda das políticas públicas de inclusão escolar.

 

Descrição da tecnologia
Com a impressora de gráficos em alto relevo será possível automatizar e otimizar técnicas já empregadas para a adaptação de materiais didáticos

 

Indústrias de aplicação
Fabricantes de impressoras.
Para aplicação em centros de adaptação de materiais didáticos e escolas em geral.

 

Vantagens
Concorrente 1 – Emprint SpotDot (Tecassistiva)
Vantagem específica sobre ele: melhor resolução. Seria também um produto de fabricação nacional e de custo menor.
Concorrente 2 – Zy Fuse Heater
Vantagem específica sobre ele: não necessita de impressão prévia e pode ser utilizado o papel offset comum, além de ser um produto de fabricação nacional.

 

Viabilidade
O protótipo foi construído com “sucata tecnológica” – os insumos necessários são facilmente encontrados e já de domínio dos fabricantes de impressoras. Algumas tecnologias são até disponíveis em código aberto na web. O que se apresenta aqui é um novo nicho de direcionamento através de algumas adaptações.
Diante das leis de incentivo à inclusão escolar com fomento para a produção e aquisição de equipamentos que a favoreça, e do fato de o Brasil possuir cerca de 6,5 milhões de pessoas com grande dificuldade de enxergar, considera-se um mercado promissor.
Órgãos de apoio à inclusão/Centros de adaptação de materiais didáticos/Salas de apoio nas escolas/Políticas públicas de incentivo.

Estágio de desenvolvimento

Tendências de evolução

Indústria alimentícia (para decoração). Após consolidação da tecnologia, seria preciso apenas trocar o material injetado (tinta) por outro (chocolate, por exemplo) para decoração de bolos, biscoitos ou chocolates personalizados.

 

Financiamento e parcerias

CNPq e CAPES atuam com o fomento a pesquisa através dos pesquisadores envolvidos no projeto e suas bolsas.
Por se tratar de uma tecnologia que favorece a inclusão em escolas regulares, existem políticas públicas que incentivam a produção e financiamento através de órgãos como BNDES, FINEP e MEC: Assistiva e Governo Federal, através da Lei n° 13.146 de julho de 2015, Cap. III, art. 74 e art. 75, além de deduções fiscais.

 

Categoria de oportunidade
P&D Conjunto
Investimento em geração de spin-off

 

Pesquisadora: Karen Colpes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *