Novo processo de produção de grafeno a partir de grafite

Panorama tecnológico
A presente invenção tem por objetivo resolver os problemas no estado da técnica de produção de grafeno a partir de grafite a partir do álcool polivinílico mPVOH.  A correta combinação de solvente e mPVOH é crucial para o sucesso do processo, devido a estreita janela no qual o processo ocorre. Caso haja diferenças entre as energias de superfície do solvente e do grafeno, o processo não tem qualquer resultado.

Descrição da tecnologia
A tecnologia descreve um processo de produção de grafeno a partir de grafite utilizando polímero adequado, que atua tanto como surfactante de matriz como para masterbatch (aditivo sólido ou líquido utilizado para colorir plásticos ou incorporar outras propriedades à resina desejada). O uso de um surfactante do tipo álcool polivinílico modificado altera a tensão superficial dos solventes e estabiliza as partículas produzidas por maiores períodos de tempo.

Problema que a tecnologia resolve
Permite produzir grafeno em grandes volumes e à baixo custo, favorecendo a utilização em aplicações industriais na área de compósitos poliméricos.

Vantagens
– Produtividade
– Escalabilidade
– Processo verde
– Processo rápido
– Requer menor tratamento de purificação antes da preparação de compósitos poliméricos
– Mantém a dispersão de grafeno estável após a produção durante longos períodos, permitindo movimentações e armazenamento por mais tempo.

Aplicações
Incorporação como masterbatch, em filmes e embalagens, elevando as propriedades de barreira e aumentando a conservação dos produtos perecíveis. Suas propriedades mecânicas, elétricas e ópticas superiores fazem dele um material potencial para aplicações nas próximas gerações de eletrônicos e, também, como partícula ativa para diversas indústrias.

Nível de maturidade da tecnologia (TRL – Technology Readiness Level)
Consulte o TRL atualizado dessa tecnologia diretamente com a equipe responsável pela Vitrine Tecnológica. Acesse o nosso Fale Conosco!

Status e oportunidade
Patente concedida pelo INPI sob n° do pedido BR 10 2016022303-2.

A patente pode ser encontrada na íntegra no Lume pelo link.

Inventores
Douglas Alexandre Simon
Eveline Bischoff
Raquel Santos Mauler
Henri Stephan Schrekker
Marino Lavorgna
Luigi Ambrosio
Hesheng Xia

Visite nossos laboratórios (clique no logo)

12 Comments

    1. gerente

      Olá, Daneil.
      Que bom ter você aqui buscando conhecimento sobre tecnologias geradas na universidade!! Sobre a sua pergunta, o que podemos dizer é que você já deu o primeiro passo estando aqui. Siga fazendo isso, procure, tenha curiosidade, as ferramentas de busca de informação são abundantes. As vezes você vai achar informações não científicas, isso faz parte. Mas aos poucos você vai entender o que é ciência e o que é pseudociência, aquela informação que se diz científica, mas não é. Siga nesse caminho da curiosidade e com certeza vais trilhar um belo caminho dentro da ciência. Saudações e #EstamosJuntos

  1. Elnatan P.O Bischoff

    Boa Noite. Achei interessante a maquina de “purificação do Grafeno”. qual o Status dela. Esta em que fase? me desculpe as perguntas mas gostaria muito de conhecer o grafeno em sua primeira forma.
    tenho alguns projetos, e invenções minhas que utiliam aprox. 80% de grafeno e outros derivados.
    sou de Maravilha-SC e não sabia que haviam cientistas tão próximos trabalhando no grafeno. Vocês são de onde? a dimensão do seu laboratório comporta o manuseio do grafeno, e acharam um meio de torna-lo Rigido para estruturas solidas?

  2. Mario Lucio Santos

    Boa tarde

    Trabalho com prospecçao mineral.
    Estou com area com manganes e grafite,
    tenho a intençao de aproveitar o grafite para Grafeno.
    Esse equipamento ja esta a venda!

    grato

    1. gerente

      Olá, Mario. Infelizmente a tecnologia ainda não está disponível em escala comercial. Ela está num estágio de desenvolvimento tal que precisa que empresa ou indústria absorva a tecnologia para levá-la ao mercado.

Comments are closed.