Processo de obtenção e uso de óxido de grafeno nanoestruturado

Panorama tecnológico
A contaminação de corpos d’água tem sido um dos principais problemas a serem enfrentados na atualidade devido ao precário sistema de saneamento básico e outros fatores. Dentre os vários resíduos que são lançados aos corpos receptores encontram-se os contaminantes emergentes, que consistem em substâncias naturais e antropogênicas, incluindo fármacos, produtos para cuidados pessoais e hormônios, dentre outros compostos. Sendo assim, o desenvolvimento de materiais de baixo custo capazes de remover rapidamente e de forma simples e eficiente compostos presentes em resíduos aquosos é de grande interesse.

Descrição da tecnologia
O presente invento apresenta um processo simples de obtenção e uso do material nanoestruturado de óxido de grafeno reduzido 3D, obtido por rota hidrotermal. Esse material pode ser incorporado ao processo convencional de tratamento de águas/efluentes e remover com eficiência esses compostos, reduzindo suas concentrações a níveis não prejudiciais à saúde humana e a fauna.

Problema resolvido
O material nanoestruturado de óxido de grafeno reduzido 3D apresentou elevada capacidade de remoção do fármaco diclofenaco. Não requer a etapa prévia de condicionamento, etapa imprescindível nos métodos atuais, diminuindo assim as etapas de análise.

Vantagens
-Simplicidade na preparação;
-Eficiência de adsorção/dessorção de contaminante ambiental;
-Material adsorvente de baixo custo, não requerendo modificações estruturais ou morfológicas para melhoria da eficiência de extração;
-Eliminação da etapa de condicionamento, diminuindo custo e a quantidade de solventes usados, o que torna o material ambientalmente amigável;
-Reaproveitamento do cartucho com o mesmo material adsorvente, podendo o mesmo ser usado em seis repetições consecutivas sem perder sua elevada eficiência.

Aplicações
-Estações de tratamento de águas e efluentes na remoção de fármacos em águas brutas, tratadas, efluentes industriais e hospitalares.
-Aplicação como fase estacionária para pré-concentração em dispositivos de sensoriamento.

Estágio de desenvolvimento (TRL – Technology Readiness Level)

Status da tecnologia
Pedido de patente depositado no INPI.

Inventores
Raimara de Souza Gomes
Andreia Neves Fernandes
Anderson Thesing
Jacqueline Ferreira Leite Santos

Visite-nos (clique no logo)

 

 

 

 

 

Vídeo Explicativo (clicar no vídeo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *