Caso
Alocação de Recursos e Idade
Uma paciente de 70 anos, com enfisema severo, internou cinco vezes por este quadro em um mesmo hospital ao longo de vários anos. O seu quadro clínico vinha se agravando aponto de que em caso de ficar gripada ela necessitava de atendimento médico de urgência devido a insuficiência respiratória. Na sua internação anterior ela ficou quatro semanas na UTI, utilizando respirador e seu retorno a ventilação ormal foi muito difícil. Após a sua alta tinha dificuldade respiratória mesmo para realizar atividades como ver televisão. Cinco meses após sua alta, ela teve nova gripe e seus filhos, com quem mora, a trouxeram ao serviço de emrgência deste mesmo hospital. O médico que a acompanhou na última internação volta a lhe atender e resolve interná-la em uma unidade convencional. Na madrugada do dia seguinte ao que havia sido internada, o seu quadro se agravou e o médico foi chamado. A paciente estava em insuficiência respiratória grave necessitando do uso de respirador. Neste hospital somente tem acesso ao uso de respirador os pacientes que estão internados na UTI, devido as instalações e pessoal especializado necessários. Havia apenas um leito vago na UTI, que é reservado para o atendimento de casos de emergência. Os filhos, que estavam no hospital perguntam ao médico qual a conduta que irá tomar e qual o prognóstico de sua mãe.
O médico fica em dúvida quanto a indicação de internação em UTI.



Criegger BJ. Cases in Bioethics. New York: St. Martin, 1993:229-230.


Casos
Material de Apoio  - Gerontologia e Envelhecimento
Página de Abertura - Bioética

Incluído em 22/07/2000
(c)Goldim/2000