Página inicial

A presente plataforma virtual vem com o objetivo de semear as práticas pedagógicas desenvolvidas através do componente curricular de Estudos Latino-americanos no Colégio de Aplicação (CAp) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o qual representa um importante espaço de produção, experimentação e socialização de conhecimento.

Tendo em vista o caráter transdisciplinar do currículo, desenvolvemos o site de forma a facilitar o acesso de alunas e alunos às diversas referências apresentadas a cada encontro.

Procuramos proporcionar-lhes autonomia na busca por referenciais latino-americanos e decoloniais, além de compartilhar o conhecimento aqui construído, entre discentes e docentes, para inspirar outras formas de ensinar e aprender sobre América Latina.

*Imagem destacada: Muralismo na Faculdade de Educação da UFRGS, representação de comunidade Mbya Guarani, 2016.

Apresentação do componente curricular

Estudos Latino-americanos:
novo(s) olhar(es) sobre a América Latina

No dia 12 de outubro de 1492, o navegador Cristóvão Colombo aportava, pela primeira vez nas ilhas do Caribe. Definiu-se, esta data, como sendo o momento de “descobrimento da América”. Herdeira de uma visão de mundo eurocêntrica, esta expressão, bem como, todo um conjunto de outras informações apresentadas (ou silenciadas) sobre a América Latina, estão vinculadas a um projeto ideológico, político e econômico, que busca manter todo um contingente populacional em uma condição periférica, marginal. A partir de uma racionalidade europeia, o modelo de civilização deveria representar os interesses do homem, branco, cristão e europeu. Tudo (e todos) que se encontrassem fora deste padrão seriam considerados inferiores, sem cultura, bárbaros, marginais. Perpassados mais de cinco séculos, esta expressão, aparentemente ingênua, e todas as suas implicações ideológicas, continuam ocupando as páginas de livros didáticos, bem como, encontrando eco nas palavras e manifestações do senso comum.

Buscando romper com esta visão histórica, bem como, objetivando lançar luz sobre um conjunto de conhecimentos, originários desde “Nuestra América”¹, apresentamos o componente curricular de Estudos Latino-americanos.

Estruturada sobre uma base transdisciplinar, o referido componente curricular buscará analisar aspectos da cultura, da história e da geografia latino-americana. O conhecimento dos povos originários, os saberes populares e as reflexões de intelectuais, autores e autoras latino-americanos, serão a matéria prima para as reflexões que serão estabelecidas ao longo das aulas.

O componente curricular de Estudos Latino-americanos encontra-se estruturado a partir de seis eixos temáticos, distribuídos ao longo do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental. No 8º ano, serão analisados elementos relacionados ao contexto latino-americano tendo como base os seguintes eixos temáticos: a) A constituição do espaço latino-americano; b) O processo de ocupação humana do território; c) A diversidade cultural. No transcurso do 9º ano, os eixos temáticos que orientarão as reflexões, são representados por: a) A inserção da América Latina no Sistema-Mundo; b) As formas de mobilização e organização social; c) América Latina no século XXI.

Desta forma buscamos desenvolver, conjuntamente aos alunos e alunas do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, um novo universo de saberes, que socialize diferentes formas de conhecimentos, que permita o desenvolvimento de novas formas de identidades, que contribua para a constituição de “un mundo donde quepan muchos mundos”.


(…) Os ninguéns: os filhos de ninguém, os donos de nada.

Os ninguéns: os nenhuns, correndo soltos, morrendo a vida, fodidos e malpagos:

Que não são, embora sejam.

Que não falam idiomas, falam dialetos.

Que não praticam religiões, praticam superstições.

Que não fazem arte, fazem artesanato.

Que não são seres humanos, são recursos humanos.

Que não têm cultura, e sim folclore.

Que não têm cara, têm braços.

Que não têm nome, têm número.

Que não aparecem na história universal, aparecem nas páginas policiais da imprensa local.

Os ninguéns, que custam menos do que a bala que os mata.

GALEANO, Eduardo². O livro dos abraços. Porto Alegre, L&PM, 2012, p. 71


¹Nuestra América dá nome a um dos textos clássicos produzidos pelo grande pensador e ativista político José Martí (1853-1895). Cubano de nascimento, José Martí, além de ter atuado como jornalista e poeta, possui destacado papel no processo de independência de seu país, bem como, na elaboração de importantes reflexões políticas, econômicas e culturais acerca das jovens repúblicas latino-americanas.

² Eduardo Galeano nasceu em Montevidéu, no Uruguai, em 1940. Renomado escritor e jornalista, possui mais de quarenta livros publicados. As suas obras caracterizam-se por combinar o discurso jornalístico com a ficção e as análises políticas e históricas. Dentre as suas obras podemos destacar, entre outras, “As veias abertas da América Latina”.

*Imagem em destaque: Obra da pintora chilena Beatriz Aurora

Materiais Pedagógicos 2018

*Imagem em destaque: Marcha del Día Nacional de la Memoria por la Verdad y la Justicia. (24 de março de 2015), Buenos Aires. Por Laura Jahn Scotte

Busca de referências

Reunimos aqui sites, páginas e outras publicações para suscitar a autonomia na busca  por materiais referentes a latinoamerica, que contemplam a pluralidade e as vozes desse território.

Estão separados em sites de instituições engajadas em estudos latino-americanos e outras páginas de publicações acadêmicas, literárias, artísticas.

*Imagem em destaque: Marcha del Día Nacional de la Memoria por la Verdad y la Justicia. (24 de março de 2015), Buenos Aires. Por Laura Jahn Scotte

Contato

e-mail: estudoslatinoamericanos.ufrgs@gmail.com

*Imagem em destaque: Museu Nacional de Antropologia, Cidade do México.