Ecologia Profunda 

Prof. José Roberto Goldim 


A Ecologia Profunda foi proposta pelo filósofo norueguês Arne Naess em 1973 como uma resposta a visão dominante sobre o uso dos recursos naturais. Arne Naes se inclui na tradição de pensamento ecológico-filosófico de Henry Thoreau, proposto em Walden, e de Aldo Leopold, na sua Ética da Terra. Denominou de Ecologia Profunda por demonstrar claramente a sua distinção frente ao paradigma dominante. no Brasil, nesta mesma época, o Prof. José Lutzemberger já propunha idéias semelhantes e desencadeava o movimento ecológico brasileiro com a criação da AGAPAN (Associação Gaucha de Proteção ao Ambiente Natural).

O quadro abaixo demonstra, pelo menos em parte, as propostas de Arne Naess e as suas diferenças frente a visão de mundo predominante.
 
Visão de Mundo
Ecologia Profunda
Domínio da Natureza
Harmonia com a Natureza
Ambiente natural como 
recurso para os seres humanos
Toda a Natureza tem valor intínseco
Seres humanos são superiores 
aos demais seres vivos
Igualdade entre as 
diferentes espécies
Crescimento econômico e material 
como base para o 
crescimento humano
Objetivos materiais 
a serviço de objetivos maiores de 
auto-realização
Crença em amplas 
reservas de recursos
Planeta tem 
recursos limitados
Progresso e soluções 
baseados em alta tecnologia
Tecnologia apropriada e 
ciência não dominante
Consumismo
Fazendo com o necessário e 
reciclando
    Comunidade nacional 
    centralizada
Biorregiões e 
reconhecimento de 
tradições das minoriais
Naess A. The shallow and the deep, long-range ecology movements: a summary. Inquiry 1973;16:95:100.


Aldo Leopold
Ética da Terra
Definição de Potter - 1998 (Bioética Profunda)
Evolução da Definição de Bioética
Material de Apoio - Conceitos Básicos
Página de Abertura - Bioética

Texto incluído em 22/01/1999
(C)Goldim/1999