Como fica a saúde da família em Porto Alegre com demissão de agentes; ouça

Professor especialista em Estratégias e Gestão em Serviços de Saúde repercute consequências da decisão do STF que implica na demissão de agentes do IMESF.

Gabriela Plentz / #EntrevistaHumanista

A semana começou com postos de saúde fechados em Porto Alegre. Isso porque trabalhadores vinculados ao IMESF (Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família) fizeram da segunda-feira, dia 23, um dia de protesto (foto) para evitar que portas fechadas passem a ser a rotina. Mais de 1,8 mil agentes de saúde vivem a iminência da demissão após o STF (Supremo Tribunal Federal) considerar a criação do IMESF inconstitucional, em decisão definitiva anunciada na semana passada.

Mas qual é efetivamente o papel do IMESF? Qual a importância do trabalho de atenção primária? E qual seria o melhor modelo para realizar esse atendimento? No #EntrevistaHumanista, quem ajuda a encontrar respostas é Ricardo Minotto, professor da Escola de Negócios da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), especialista em Estratégias e Gestão em Serviços de Saúde. Ele defende a importância do trabalho realizado hoje pelo IMESF, estimando que “para cada 1 real investido em prevenção e saúde primária, se economiza em torno de 4 reais em procedimentos de maior complexidade”.

Modelo misto pode ser a saída, ouça!


O IMESF enfrenta questionamentos jurídicos desde 2011, e é responsável pelo atendimento em 77 postos da Capital. Após anunciar a demissão dos quase dois mil agentes de saúde ligados ao órgão, a proposta inicial do prefeito Nelson Marchezan  (PSDB) é firmar parceria com organizações sociais para contratar novos trabalhadores. O tema é objeto de mobilização na Câmara de Vereadores de Porto Alegre e deputados federais gaúchos aguardam audiência com a ministra Rosa Weber, do STF, para avaliar alternativas à decisão. A ideia é manter o vínculo entre o Poder Público e os profissionais.

Após uma semana de serviços instáveis por conta da manifestação de trabalhadores que lutam pela garantia do seu trabalho e pelo atendimento de qualidade à população, as unidades de saúde mantidas pelo IMESF retomaram os trabalhos nesta terça-feira, 24 – informação confirmada pelo Humanista durante a manhã com agentes de saúde que atuavam em seus postos de trabalho.


FOTO DE CAPA: Jeannifer Stephanie Jumier/Especial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *