Produção


PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO NO INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS

DEPARTAMENTO DE ARTE DRAMÁTICA

1. Projeto Estudo de práticas de Lecoq
Coordenação do projeto: professora Cláudia Müller Sachs
Natureza do projeto: Extensão

Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: O trabalho tem como enfoque o estudo de princípios do movimento baseados na pedagogia de Jaques Lecoq. Trata-se de um trabalho de caráter teórico-prático voltado para a identificação de aspectos técnicos presentes nas sequências de movimentos intituladas por Lecoq como “Vinte Movimentos”, que visam potencializar a consciência do corpo e dos movimentos do(a) artista de teatro. Alguns dos princípios enfocadas na pesquisa são: neutralidade, economia, equilíbrio e desequilíbrio, alternância, ponto fixo, compensação, “apelo” ou tomada de impulso, ritmo, espaço (puxar/empurrar), expansão/redução. Em encontros semanais exercitamos essas sequências, que foram inicialmente apresentadas pela professora coordenadora e posteriormente vêm sendo transmitidas pelos participantes mais experientes, com o objetivo de identificar a presença dos princípios nas sequências trabalhadas e estabelecer relações epistemológicas.

DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS

1. Projeto NAI — Núcleo de Arte Impressa — Prática reflexiva da gravura
Coordenação do projeto: professora Helena Kanaan
Natureza do projeto: Extensão
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: Prática reflexiva de Ateliê. Propostas individuais e coletivas, criação de matrizes e suas impressões, experimentando os diferentes modos de lidar com o conceito impressão, suscitando deslocamentos e descentramentos perceptivos e subjetivos, a partir de complexidades que emergem na contemporaneidade. Procedimentos da gravura tradicional, desdobramentos e hibridizações, abarcando modos de gravar, de transferir e de imprimir uma imagem, estimulando uma prática interdisciplinar no que concerne o fazer artístico, técnico e processual, refletindo sobre as relações e interações entre criatividade e tecnicidade. Prática de ateliê em grupo e individualmente numa produção de imagens por transferência, pesquisa de materiais, de equipamentos, de instrumentos e de uma poética pessoal. Além dos trabalhos individuais realizamos um forte trabalho do conceito barthesiano de ‘como viver junto’ levando à prática do ‘como criar junto’ trabalhando para ações na comunidade que envolveram todo o grupo, produzindo imagens e pensamentos a cerca da gravura, da arte contemporânea, da sociedade atual, do ensino, da história da arte como história das cidades.

2. Projeto Práticas críticas da gravura à arte impressa: processos e procedimentos matriciais, transferências, impregnações
Coordenação do projeto: professora Helena Kanaan
Natureza do projeto: Pesquisa
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: Apresenta-se proposta de pesquisa no que concerne a prática artística refletindo sobre as relações e interações entre procedimentos convencionais da gravura e seus devires. Um cruzamento entre o convencional, novos meios e novos modos de multiplicação e constituição da imagem impressa abrigada por diferentes suportes. Gravação, matriz, multiplicidade, transferências, marcas e impressões, são conceitos pertinentes à gravura, mas desbordam suas fronteiras e se fazem operacionalizados em toda arte impressa.Pretende-se com essa investigação fortalecer um projeto que transite pelo histórico da pesquisa em Artes Visuais, em especial das artes gráficas,  refletindo e praticando o fazer técnico e as regras rígidas que envolvem os procedimentos com as matrizes  de pedra calcária (litografia) de nylon (serigrafia), associando e cruzando com outras matrizes de gravura e experimentações com materiais, tecnologias e conceitos que constituem imagens híbridas de hoje em um ateliê de Arte Impressa. Salienta-se o caráter inovador e inédito no RS, que traz para o ateliê a proposta de gravar em chapas de offset sensibilizadas, proporcionando um diálogo direto com a fotografia, o design de superfície, a publicidade e a arte do cartaz de rua. Um cruzamento entre o arcaico (pegadas, marcas, vestígios) gravura convencional (litografia, serigrafia e outras) e modos de imagem impressa (fotografia, offset, matrizes numéricas). O grupo de trabalho deverá gerar trabalhos práticos que participem de mostras em espaços expositivos de arte e material reflexivo que gere seminários, artigos e textos para publicações.

3. Projeto Pinacoteca Barão de Santo Ângelo — Acervo em destaque: Rossini Perez
Coordenação do projeto: professor Paulo César Ribeiro Gomes
Natureza do projeto: Extensão/artístico-cultural
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: O PROJETO: As mostras do projeto PBSA – Acervo em Destaque exibirão obras do Acervo Artístico da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo. As pequenas exposições, de caráter temporário, destacarão obras, artistas, efemérides etc. A exibição de peças, algumas com pouca visibilidade, colocando-as em diálogo ou em confronto, possibilitarão seu conhecimento, ou mesmo redescoberta, oportunizando novos olhares, estimulando e oportunizando sua reinserção no universo de referência dos nossos públicos, sejam estes pesquisadores e estudantes ou os apreciadores e amadores das artes plásticas e visuais. ROSSINI PEREZ – Setembro/Novembro de 2019: No mês de abril de 2018, recebemos a oferta de doação de gravuras de Rossini Perez. Mais do que uma surpresa, uma alegria, visto que não tínhamos nenhuma obra desse imenso gravador na nossa coleção. Resultado do contato estabelecido com o artista por meio da generosa intermediação de Mônica Xexéo, diretora do Museu Nacional de Belas Artes (RJ), nossa coleção conta agora com quatro obras escolhidas e doadas do artista, imagens de referência na sua trajetória artística. Rossini Quintas Perez (Macaíba, RN, 1931) iniciou sua carreira nos anos 1950 produzindo trabalhos em linóleo. A partir dos anos 1960 dedica-se a gravura em metal e, posteriormente, a serigrafia. As obras aqui expostas tem duas temáticas recorrentes: os morros e as favelas cariocas dos anos 1950 e as formas orgânicas dos anos 1970. Professor de referência nacional e internacional, ele orientou artistas e ministrou aulas no Rio de Janeiro e em Brasília, na Bolívia, no Peru, em Lisboa e em Dacar (Senegal). Sua obra é caracterizada pelo rigor formal e pelo domínio técnico, colocando-o no elevado patamar dos grandes gravadores brasileiros de todos os tempos.

4. Projeto A imagem no campo da ficção
Coordenação do projeto: professor Eduardo Figueiredo Vieira da Cunha
Natureza do projeto: Pesquisa
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: Relações da imagem fotográfica e da pintura com a ficção, questionando sobre a necessidade de seu surgimento, em um processo de relações entre fotografia e pintura. Poderia o criador sair de si mesmo, mediante um perpétuo processo de autodesdobramento de seus desejos, para projetá-los em narrativas ficcionais? A encenação e a ficção podem ser consideradas condições de transcendência, neste processo de transferência, onde fotografia e pintura entrariam como interface privilegiada entre pensamento/imagem. Projeto de pesquisa ligado ao PPGAV- Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, área de Poéticas Visuais- Desdobramentos da Imagem.

5. Projeto Trilhas artísticas
Coordenação do projeto: professora Marina Câmara
Natureza do projeto: Extensão
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: Ciclo de conferências com a presença de artistas e curadores abordando seus processos criativos e as metodologias de trabalho responsáveis pelo alcance de suas obras ou curadorias. Coordenada pela Profª. Drª. Marina Câmara, a iniciativa é uma parceria do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), por meio da e da Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq) e da Pró-Reitoria de Extensão (Prorext), com o Margs. Ao longo de três encontros no primeiro semestre de 2019 (piloto), os participantes apresentam e compartilham com o público os modos de operação que permitiram que seus trabalhos tivessem projeção profissional inclusive para além da cena local ou para além da cena artística restrita.

6. Projeto NOA – Núcleo de criação de objetos de aprendizagem para artes visuais
Coordenação do projeto: professora Andrea Hofstaetter
Natureza do projeto: Extensão
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: O NOA visa promover a concepção e produção de materiais didáticos e objetos de aprendizagem para uso no componente curricular Ensino de Artes Visuais, na Educação Básica, em diálogo com outras áreas. Pretende promover, através de suas ações, a reflexão sobre processos de aprendizagem e fomentar a criação de materiais propositores pelos educadores e educadoras, em seus contextos de trabalho. O grupo reúne-se quinzenalmente e já realizou projetos em parceria com instituições museológicas.

7. Projeto A criação de materiais didáticos como ato poético
Coordenação do projeto: professora Andrea Hofstaetter
Natureza do projeto: Pesquisa
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: Este projeto de pesquisa pretende aprofundar o estudo sobre produções artísticas em que se opera com a proposição de experiências para o público, buscando possibilidades para a criação de materiais a serem utilizados em situações de aprendizagem na disciplina de Ensino de Artes Visuais, na confluência entre produções artísticas e proposições pedagógicas. Os conceitos de objeto propositor e dispositivos sensíveis nos levam a traçar paralelos entre proposições artísticas e o trabalho do professor de Artes Visuais, entendendo-se a ação pedagógica, especialmente neste campo, como ação poética. A partir da investigação sobre proposições artísticas modernas e contemporâneas, brasileiras e/ou estrangeiras, pretende-se propor a criação de objetos propositores para aprendizagem em Artes Visuais, na perspectiva de que os materiais a serem utilizados em situações de aprendizagem podem ser concebidos e experimentados como proposições poéticas, aproximando-se daquilo que é vivenciado no contato com obras propostas por artistas visuais. O período de desenvolvimento do projeto é de março de 2018 a dezembro de 2021.

DEPARTAMENTO DE MÚSICA

1. Projeto Big Band do IA/UFRGS
Coordenação do projeto: professor Dimitri Cervo
Natureza do projeto: Extensão/artístico-cultural
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: A Big Band do Instituto de Artes da UFRGS tem se dedicado a repertórios variados e realizado apresentações em destacados espaços da cena artística de Porto Alegre.

2. Projeto Festival de Violão da UFRGS
Coordenação do projeto: professor Daniel Wolff
Natureza do projeto: Extensão/artístico-cultural
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: Criado em 2004, o Festival de Violão da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) consolidou-se como um dos maiores eventos do instrumento na América Latina. Participaram do festival alunos e professores de todas as partes do Brasil, Uruguai, Argentina, Colômbia, Chile, Costa Rica, França, Itália, Alemanha, Noruega e México. Um público de quase três mil pessoas prestigia os concertos a cada edição, sempre com entrada franca. Professores de renomadas universidades brasileiras, como USP, UFRJ, UNICAMP, UFMG, UFSM, UFPEL e UFBA, entre outras, ministram atividades artísticas e pedagógicas no evento. Em 2013, o Festival de Violão da UFRGS foi o único evento brasileiro contemplado com o Prêmio Ibermúsicas, programa de fomento formado por 11 países latino-americanos.

3. Projeto Coletivo de música popular das gurias do IA
Coordenação do projeto: professoras Luciana Prass e Caroline Abreu
Natureza do projeto: Extensão
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: O Coletivo de Música Popular do Instituto de Artes da UFRGS foi fundado em 2008 como uma forma de escoar a produção de repertório de caráter popular de alunos e professores dos cursos de música da UFRGS que, até esse momento, não possuía um bacharelado específico na área. O Coletivo foi assim, através dos concertos realizados na universidade e fora dela, o arauto de um movimento que colaborou com a criação do Bacharelado em Música Popular da UFRGS, em 2012, que hoje conta com mais de cento e cinquenta alunos de diversos instrumentos e já formou quatro turmas. Em 2017, na esteira de todo um movimento nacional e internacional de retomada das lutas pelos direitos das minorias em geral gerado a partir de uma grande onda conservadora mundial, decidiu-se montar um grupo somente com musicistas, renomeando o conjunto para Coletivo de Música Popular das Gurias do IA, que estreou durante encontro da Associação dos Antigos Alunos da UFRGS, em outubro desse mesmo ano, e fez apresentações em vários campus da UFRGS, por ocasião de seu aniversário, em novembro. Desde então o grupo vem realizando ensaios semanais e apresentações públicas eventuais dentro e fora da UFRGS.

4. Projeto Oficina de Extensão Presença de palco para músicos
Coordenação do projeto: Elisa Martins Lucas, Diretora de Artes Cênicas do IA/UFRGS
Natureza do projeto: Extensão
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: O objetivo da oficina é desenvolver a presença cênica de músicos através de exercícios que trabalhem consciência corporal, respiração, noção espacial, foco, concentração, presença cênica e relação palco/plateia. Exercícios voltados ao conhecimento do potencial expressivo e artístico do corpo que ajudarão o músico a sentir-se à vontade no palco. Durante as aulas, os participantes tocam seus instrumentos. Com um perfil de laboratório, a oficina conta com sessões de alongamento, propriocepção, treinamento e experimentações. Os participantes recebem atendimento coletivo e individual. Experimentam situações de comunicação palco-plateia, exercitam tocar o instrumento e colocar-se em situação de representação (entrar em cena, olhar a plateia, executar a peça musical, comentá-la, agradecer e sair de cena). A oficina acontece anualmente no segundo semestre do ano letivo da UFRGS. Tem a duração de 40 horas, divididas em encontros de 03 horas/aula. Ao longo da oficina é criado e apresentado um sarau para público em geral, como parte da proposta artístico/pedagógica. No sarau os participantes têm a oportunidade de colocarem em prática os conhecimentos adquiridos durante a oficina, em um ambiente de troca, crescimento artístico e segurança.

5. Projeto Práticas corporais e vocais para potencializar a presença cênica a partir do Processo de criação dramatúrgica atorial
Coordenação do projeto: Elisa Martins Lucas, Diretora de Artes Cênicas do IA/UFRGS
Natureza do projeto: Pesquisa
Periodicidade: permanente
Descrição do projeto: O objetivo principal deste projeto é aprimorar a metodologia empregada no trabalho prático voltado para o aperfeiçoamento da presença cênica de músicos e adaptar princípios teóricos das Artes Cênicas às necessidades dos(as) artistas musicais, através de uma pesquisa de caráter exploratório/descritiva. O projeto nasce de uma demanda apresentada por alunos(as) e professores(as) do Curso de Música do Instituto de Artes da UFRGS, e tem por objetivos específicos o estabelecimento de princípios que dialoguem com as necessidades dos músicos em apresentações públicas, a contribuição para a eliminação de bloqueios relacionados ao estar no palco e a elaboração e aplicação de princípios que contribuam para o trabalho do músico em situação de apresentação pública.