Sobre o PPGGEO

This post is also available in: English (Inglês) Español (Espanhol)

O Programa de Pós-Graduação em Geociências forma mestres acadêmicos e doutores em temas essenciais para o entendimento da porção mais externa do planeta – a crosta terrestre, que tem gravada em suas rochas e fósseis a história da Terra e contém todos os recursos metálicos e energéticos presentes no estabelecimento e evolução da civilização humana. Atualmente possui uma avaliação 7 pela CAPES.​ A formação de recursos humanos qualificados por parte dos Docentes do Programa ocorre de forma integrada com a pesquisa cientifica, ensino de graduação e interação com a comunidade. Os projetos científicos liderados por docentes do programa abrangem todo o território brasileiro, alguns países da América Latina, partes da Europa, Antártica e África.

O Programa busca direcionar as pesquisas em temas essenciais ao entendimento da porção mais externa do planeta, a crosta terrestre, que tem gravada em suas rochas e fósseis a história da Terra e contem todos os recursos metálicos e energéticos presentes para o estabelecimento e evolução da civilização humana.

Os temas abordados pelos pós-graduandos são de grande relevância para a ciência e para o desenvolvimento econômico e social do país, pois enfatizam a geologia do petróleo, gás natural e carvão, metais, água subterrânea, a costa atlântica, o fundo oceânico e a evolução da vida e do conhecimento geológico nos diversos ambientes crustais. Também objetivam-se pesquisas voltadas a preservação ambiental pelo seu grande significado para a qualidade de vida da sociedade. Em sua formatação atual o programa esta alicerçado em quatro Áreas de Concentração:

  • Estratigrafia
  • Geologia Marinha
  • Geoquímica
  • Paleontologia

Tem sido fundamental a intensa colaboração da PETROBRAS, do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e da Agência Nacional do Petróleo (ANP), e a associação com diversas instituições de ensino do país e exterior. A inserção internacional ocorre de forma intensa com universidades de diversos países, como França, Portugal, Escócia, Austrália, Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos da América, Canadá, China, Cuba, Colômbia, Argentina, Uruguai e Chile.

Atualmente o programa conta com a participação ativa de 42 Docentes Permanentes e 3 Colaboradores, um número expressivo de docentes dispondo de bolsas de produtividade em pesquisa do CNPq. Em 2019 foram matriculados 267 alunos, dos quais 136 doutorandos e 131 mestrandos, e formou até setembro de 2019, 862 mestres e 400 doutores desde a sua fundação em 1968. Os egressos encontram-se hoje em posições de liderança cientifica e profissional no país.