Bioética e Espiritualidade


José Roberto Goldim


A Bioética, de acordo com o modelo explicativo da complexidade, tem algumas características que devem  ser sempre relembradas. A interdisciplinaridade, o pluralismo, a humildade, a responsabilidade, o senso de humanidade são algumas delas. No processo de tomada de decisão o sistema de crenças de uma pessoa tem papel fundamental. Estas crenças, incluindo-se as religiosas, afetam a sua percepção e leitura do mundo, o conjunto das alternativas disponíveis e a seleção da ação que irá ser realizada ou não. Os aspectos religiosos ou espirituais devem estar também incluídos em uma reflexão bioética, sempre preservando o caráter plural da discussão e não assumindo uma posição sectária. A liberdade de credo é  resguardada pela própria Constituição brasileira em seu artigo 5.

No último censo demográfico brasileiro apenas 7,26% dos entrevistados declarou-se como "sem religião". Este dado demonstra a importância de conhecer a grande diversidade de tradições religiosas que o restante dos 92,74% da população consideram.

Religião / Doutrina Total Homens Mulheres %
Católica Apostólica Romana 124.976.912 61.806.740 63.170.173

73,60

Evangélicas 26.166.930 11.497.751 14.669.179 15,41
Espírita 2.337.432 954.350 1.383.082 1,38
Umbanda 432.001 210.019 221.981 0,25
Budismo 245.870 120.246 125.625

0,14

Candomblé 139.328 68.126 71.202

0,08

Judaica 101.062 48.978 52.084

0,06

Tradições Esotéricas 67.288 30.498 36.790

0,04

Espiritualista 39.840 8.550 31.290 0,02
Islâmica 18.592 12.011 6.581

0,01

Tradições Indígenas 10.723 4.991 5.732

0,01

Hinduísta 2.979 1.757 1.222

0,00

Outras religiosidades 1.978.633 900.437 1.078.196

1,17

Outras Religiões Orientais 181.579 69.556 112.022

0,11

Não determinada 382.489 185.436 197.053

0,23

Sem religião 12.330.101 7.442.834 4.887.267

7,26

Total Geral 169.799.170 83.576.015 86.223.155  

Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000.

Muitas vezes os pacientes tomam decisões com base em questões religiosas e por pudor ou temor não comunicam o real motivo para os profissionais de saúde.  Isto fica ainda mais evidente em situações de início em fim de vida.  Já foram realizados estudos demonstrando estas questões em termos de transfusões de sangue e fim de vida.

De 1975 a 2003 foram publicados em revistas indexadas 1165 artigos sobre o tema da espiritualidade e saúde. Inclusive  vários ensaios clínicos randomizados tem sido publicados em periódicos de credibilidade sobre as relações entre as ações de saúde e as práticas de diferentes religiões.

O Núcleo Interinstitucional de Bioética está iniciando um novo projeto de pesquisa com o objetivo de levantar informações sobre os aspectos de início e fim de vida, além de outras situações particulares, com as principais denominações religiosas praticadas pela população com o objetivo de fornecer subsídios que possam auxiliar em consultorias de Bioética Clínica.

Inicialmente serão convidados a participar do projeto lideranças religiosas das denominações :

Católica Apostólica Romana, Evangélicas, Espírita, Umbanda, Budismo, Candomblé, Judaíca, Islâmica, Testemunhas de Jeová e Ciência Cristã. Estas duas últimas denominações, apesar de não constarem explicitamente na tabela do IBGE, possivelmente incluídas no item "outras religiosidades", tem características que influem decisivamente na tomada de decisão na área da saúde.

 


Kemper KJ, Barnes L. Considering culture, complementary medicine, and spirituality in pediatrics.Clin Pediatr (Phila) 2003 Apr;42(3):205-8.

Townsend M, Kladder V, Ayele H, Mulligan T. Systematic review of clinical trials examining the effects of religion on health. South Med J 2002 Dec;95(12):1429-34.

Aviles JM, Whelan SE, Hernke DA, Williams BA, Kenny KE, O'Fallon WM, Kopecky SL.
Intercessory prayer and cardiovascular disease progression in a coronary care unit population: a randomized controlled trial. Mayo Clin Proc 2001 Dec;76(12):1192-8.

 


Bioética e Complexidade

Página de Abertura - Bioética

 

Atualizado em 09/06/2003

(C)Goldim/2003