Cuidados na alimentação

24 setembro, 2017    tags: dieta DM1 DM2 glicose nutrição

O cuidado na alimentação deve ser a chave do tratamento do diabetes, baseando-se em mudanças no estilo de vida através de uma anamnese detalhada, ou seja, avaliação da dieta atual do paciente realizada por um nutricionista. Dentre os pacientes que apresentam sobrepeso ou obesidade, a perda de peso, mesmo que moderada (em torno de 5%), já tem demonstrado eficácia na melhora da resistência insulínica.  Procure adotar o estilo de vida “slow food concentre-se no seu comportamento durante as refeições, mastigue devagar e sinta o sabor e o aroma dos alimentos, de preferência em um ambiente tranquilo.

Siga as nossas dicas:

– Evite fazer as refeições em pé, andando, dentro do carro ou assistindo TV.

– Coma devagar! Assim, o alimente promove maior sensação de saciedade e auxilia a digestão dos alimentos. Pratique apoiar o garfo entre as mastigações.

– Suspenda o consumo de sucos concentrados, pois são ricos em calorias, açúcar e carboidratos. Substitua por limonada natural sem açúcar, suco de maracujá natural sem açúcar, chá gelado ou quente.

– Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa. Evite utilizar molhos e condimentos industrializados ricos em sódio. Inclua temperos naturais na preparação dos alimentos: alecrim, alho, cebola, cebolinha, coentro, cominho, erva doce, açafrão, gengibre, louro, manjerona, manjericão, noz-moscada, orégano, páprica, pimenta, pimentão, salsa, sálvia e tomilho.

– Compare rótulos com informações nutricionais de alimentos. O mesmo produto pode variar muito em termos de conteúdo de gordura, carboidratos e sódio.

– Faça compras após uma refeição. Se você for ao supermercado quando estiver com fome, todos os itens nas prateleiras parecerão atraentes.

– Cozinhe os alimentos com pouco óleo e prefira os vegetais refogados ou ensopados.

– Prefira consumir frutas e vegetais da época, pois possuem maior teor de vitaminas e minerais e são mais baratos. Inclua frutas e vegetais de cores variadas durante o dia (vermelho, laranja/amarelo, roxo, verde e branco), pois cada uma das cores apresenta vitaminas, minerais e antioxidantes específicos.

– Priorize o consumo de hortaliças frescas, leguminosas (feijões), grãos integrais, frutas, leite e seus derivados desnatados.

– O aumento da glicose no sangue após a refeição (também conhecida como resposta glicêmica pós-prandial) é determinado principalmente pela quantidade de carboidrato ingerido, mas também pelo tipo de carboidrato. Os carboidratos complexos, devido ao maior teor de fibras, degradam-se mais lentamente do que os simples. Assim, o uso de carboidratos complexos (pães integrais, arroz integral, macarrão integral, aveia) é indicado para o melhor controle glicêmico  A inclusão de fibras em todas as refeições (como vegetais crus e/ou refogados, grãos como linhaça, chia) pode ser uma boa alternativa para aumentar o tempo de degradação do alimento em glicose (açúcar) na corrente sanguínea.

– Deve-se controlar a ingestão de gorduras saturadas (como carne vermelha, bacon, leite integral e derivados) e de gorduras trans (produtos industrializados após um processo de hidrogenação de óleos vegetais, como a margarina, sorvetes, biscoitos recheados). Evite carnes embutidas e fiambres como salame, presunto, mortadela, salsicha, salsichão, linguiça, toucinho e bacon. Retire a pele da carne de frango antes do preparo e a gordura visível das carnes vermelhas. Evite manteiga, banha, maionese, creme de leite e nata. Leia o rótulo dos alimentos e evite gordura vegetal hidrogenada na composição.