Uma alternativa humanista aos 12 passos do A.A.

Autor: B. F. Skinner
Título: Uma alternativa humanista aos 12 passos do A.A. – Uma abordagem centrada no homem na superação do alcoolismo
Fonte: Skinner, B. F. (1987). A Humanist Alternative to A.A.’s Twelve Steps. The Humanist, 47 (4), p.5.
Tradução: Ana Carolina Fonai

Muitas pessoas me disseram ter procurado os Alcoólicos Anônimos em busca de ajuda, mas se ofenderem com seu cunho fortemente religioso. Em vista disso, eu propus uma alternativa humanista aos “Doze Passos” do A.A. Enviei esta versão aos Alcoólicos Anônimos, sugerindo que fosse oferecida como uma alternativa para membros não religiosos. Eu não estava sugerindo que os “Doze Passos” originais fossem abandonados. Foi dito a mim, no entanto, que seria impossível mudar suas práticas sem a maioria de votos de todos os Alcoólicos Anônimos, e foi garantido que muitos ateus e agnósticos foram ajudados pelos passos originais. Conselheiros humanistas podem, ainda assim, achar útil uma versão alternativa. Abaixo estão listados “Os Doze Passos” dos Alcoólicos Anônimos e minha sugestão de alternativa.

OS DOZE PASSOS A ALTERNATIVA HUMANISTA
1. Admitimos que éramos impotentes perante o álcool e que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas. 1. Aceitamos o fato de que nossos esforços em parar de beber falharam.
2. Acreditamos que um poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos a sanidade. 2. Acreditamos que devemos nos voltar para outros em busca de ajuda.
3. Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus como nós O entendemos. 3. Voltamos-nos a nossos pares, homens e mulheres, em especial àqueles que lutaram contra o mesmo problema.
4. Fizemos um minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos. 4. Fizemos uma lista das situações nas quais estamos mais propensos a beber.
5. Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante outros homens, a natureza exata de nossas falhas. 5. Pedimos ajuda a nossos amigos para evitar estas situações.
6. Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos estes defeitos de caráter. 6. Estamos prontos para aceitar a ajuda que eles nos dão.
7. Humildemente pedimos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições. 7. Sinceramente esperamos que eles nos ajudem.
8. Fizemos uma lista de todas as pessoas a quem tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados. 8. Fizemos uma lista das pessoas a quem tínhamos prejudicado e com as quais esperamos reparar os danos.
9. Fizemos reparações diretas a tais pessoas sempre que possível, exceto quando fazê-las pudesse prejudicá-las ou a outros. 9. Faremos o que for preciso para repará-las, de qualquer forma que não cause mais prejuízo.
10. Continuamos fazendo nosso inventário pessoal e quando errados admitimos prontamente. 10. Continuaremos a fazer esta lista e a revisá-la sempre que necessário.
11. Procuramos através da prece e meditação melhorar nosso contato consciente com Deus como nós O entendemos, rogando somente por conhecimento de Sua vontade em relação a nós e forças para fazê-la. 11. Estimamos o que nossos amigos fizeram e estão fazendo para nos ajudar.
12. Tendo um despertar espiritual como resultado destes passos, procuramos transmitir esta mensagem para alcoólicos e praticar estes princípios em todas as nossas atividades. 12. Em troca, nos prontificamos a ajudar outros que nos procurarem da mesma maneira.

24 comentários em “Uma alternativa humanista aos 12 passos do A.A.”

  1. Amigo, acho que houve um erro de interpretação da sua parte com relação ao programa de 12 passos. Não existe cunho religioso, mas sim espiritual. São coisas completamente diferentes! Se as pessoas reclamam ou se ofendem com isso, é pq ainda não chegou a hora delas admitirem que devam parar. E você não pode fazer nada a respeito. Apenas respeitar a decisão dessas pessoas de querer negar o problema e inventar desculpas para não se modificar. Abraços.

  2. Sem querer ofender, com todo respeito ao finado Skinner, que por sinal é o “cara” da psicologia experimental, mas esse texto não tem nada haver, primeiro que skinner é o papa do Behaviorismo, não tem nada haver com a linha humanista da psiocologia, mas nada impede um Psicólogo escrever sobre outras abordagens, mas o fato mais grave é que os 12 passos são um instrumento incrivel, sem paralelo no tocante a relevância social, tome como exemplo que apenas nos E.U.A existem por volta de 67.000 grupos de 12 passos apenas do AA (fonte Jornal do AA, Junab), fora outras inúmeras entidades que adotaram estes principios como NA, N/A, FA, que outra “instituição” leva gratuitamente,aceita incondicionalmente e transforma socialmente de maneira tão abrangente como os 12 passos. Me diz ???? Agora vai uma dica, para que sabe ler um pingo é letra: Conflito com figuras paternas, Pai punidor, Deus punitivo, ou não introjeção de uma figura paterna, intelectualização como mecanismo de defesa do ego, e aí vai…Defesas que me impedem de auto-aceitar, e admitir que minha vida está incontroláve… porque a vida é incontrolável mesmo.
    Sou de abordagem Psicanalítica mas acho o livro “Ciência e comportamento” do Skinner um divisor de águas, entre aquilo que existia e não era dito ( um não dito) , e agora está escrito(a palavra justa)…Tipo eureka !!! é isso !!!!
    Mente aberta, boa vontade e humildade…podemos apreciar o mundo com uma visão magnífica das coisas!!!! Beijos a todos !!! Glauco F. Menezes

  3. Com todo respeito, vai beber, adquiri a doença do alcoolismo e depois praticar os Doze Passos para escrever a respeito…

  4. Olá Lisiane Bizarro

    Você escreveu o comentário acima.

    Você disse que o texto sobre “Uma alternativa humanista aos 12 passos do A.A.” não é de B. F. Skinner. É de R. B. Skinner. E citou como fonte:
    http://silkworth.net/magazine_newspaper/humanist_jul_aug_1987.html.

    Fiz uma busca na Internet e encontrei:

    Sítio confiável da The B. F. Skinner Foundation:
    http://www.bfskinner.org/BFSkinner/Bibliography.html.

    Verifique o ano de 1987: A humanist alternative to A. A.’s Twelve Steps. The Humanist, July/August 1987, 47, 5.

    Página 102 do livro Alcoholism: its treatments and mistreatments, de Irving Maltzman http://books.google.com.br/books?id=pG_1vPtbLRIC&lpg=PP1&hl=pt-BR&pg=PA102#v=onepage&q&f=false.

    Minha conclusão é de que está errada a página que você citou como fonte do comentário:
    http://silkworth.net/magazine_newspaper/humanist_jul_aug_1987.html.

    E, em decorrência, você também se equivocou.

    Saudações acadêmicas.

  5. NÃO ME PARECE UM ATO MUITO EQUILIBRADO DA PARTE DESTE ESCRITOR TENTAR, DE FORMA ARROGANTE, MODIFICAR UM GRUPO QUE ELE SEQUER CONHECE. HÁ EXELENTES PESQUISADORES NO CAMPO DA PSICOLOGIA QUE PODEM TESTEMUNHAR QUE OS 12 PASSOS DE NENHUMA FORMA SE COLOCA EM POSIÇÃO DOGMATICA OU EXTREMISTA. AGORA HÁ PSEUDOS ACAD~EMICOS QUE NADA MAIS SÃO QUE FUNDAMENTALISTAS DISFARÇADOS. SÃO OS XIITAS DO INTELECTUALISMO. OS ARROGANTES COM SUA EMPÁFIA E FALTA DE MATURIDADE E EQUILIBRIO.

  6. existem muitas alternativas ao programa de 12 passos A.A e N.A, uma pena não estarem disponiveis em portugues…
    http://www.cyberrecovery.net/alternativerecovery.html
    no site acima existe uma lista delas…

    se alguem estiver disposto a traduzir e iniciar qualquer uma destas, pode contar com a minha ajuda lucastrb@yahoo.com.br

    Não aguento mais frequentar reuniões de A.A e N.A. e ficar ouvindo sobre um poder superior que controla tudo… estamos em 2012… não acredito mais em fadas, papai noel…

  7. Caro lucastrb@yahoo.com.br, tb tenho um grau de alcoolismo/ compulsividade significativo, mas não suporto o AA com suas frases feitas e todo o dogma. Fico de saco cheio! Gostaria de achar algo mais prático, mais pé no chão. Não quero saber de espirirualidade.

  8. Gente, vamos ter uma mente aberta e respeitar AA, quem não gosta tem o seu direito, mais temos que respeitar essa instituição que não tem vinculo algum religioso, se não estão afim de frequentar procure outra forma de parar de beber ou continuem alcoólatras, sem quere ofender alguém!

  9. Usar AA pra querer aparecer é no mínimo um ato de covardia e falta de equilíbrio. Essa organização não tá nem aí pra tais pessoas. Basta dizer que já tem 83 anos salvando vidas e nunca se deixou corromper pelo dinheiro. Se não podem ajudar, não queiram atrapalhar.

  10. Estou frequentando o N/A (neuróticos anonimos pois felizmente nunca tive problemas com álcool ou drogas). Também acho muito desconfortável esse viés dos 12 passos para o Poder Superior. Mas olha bem: os 12 passos foram escritos na década de 60, numa época em que o pensamento cristão, seja católico, luterano ou Gospel, ainda eram fortemente predominantes sobre homem ocidental, Brasil inclusive. Só de encontrar uma instituição que não te força a ler toneladas de “bibliório”como requisito para se fazer parte, já foi algo notável para a época. Só o fato de os 12 passos incluírem “NA FORMA COMO O CONCEBEMOS” para falar de Deus, foi um grande passo para a separação de religião e método, ainda que apenas em tese. Sem contar que também evita de uma corrente cristã (católica, protestante) ou ate mesmo muçulmana e judaica, entrar em conflitos uns com os outros por motivo de religião.

  11. Sou Conhecido como Passologo !!!
    Tenho 43 Anos de Sobriedade continua !!!
    As vezes faço comparações da entrega total da minha vontade e da minha Vida / como se fosse uma cirurgia Comum, com um medico qualquer!!!
    Não Troco os Passos / ele não é Ditador !!!

  12. Eu sou Ateu, não acredito em Deus como o das religiões,não acredito em divindades, religiões para mim é cultura de uma civilização, são dogmas de um povo,estatutos de uma sociedade que serviram para o bem e para o mal, isso independentemente muitas vezes de
    o
    homem saber que em determinada época as religiões possam ter feito mal para as pessoas ou bem. Eu acredito que existem coisas que são maiores que nós humanos, por exemplo: o avião , o automóvel ,a lua, o sol, a chuva, existem coisas que nós não temos o poder de controlar ou de usar, etc,…quem não tem condições de dirigir um carro ou pilotar um avião jamais poderá fazer isso sem o tal conhecimento , e existem coisas que pessoas não podem usar, ou comer , ou fazer , devido a sua condição material , humana, e nessas condições eu coloco o ato de beber álcool(bebidas alcoólicas). A máquina, o corpo, a cabeça, a pessoa que pensa não poderá beber álcool por ser um doente de alcoolismo, eu não posso beber porque tenho uma doença por nome alcoolismo, e evito o primeiro gole.

  13. Sou mestrando em filosofia e achei esse artigo buscando (Jung e a espiritualidade) que me levou para os Alcoolicos Anonimos e seus 12 passos. A espiritualidade e de importancia enorme na teoria de Yung e tenho estudado bastante a questao do transcedente em Kirkgaard e Nietzsche. Me parece que o sucesso do AA se encontra na fe. Kirkgaard sugere uma “solucao religiosa” com base na fe e Nietzsche sugere o “Ubermensch” como solucao para o nilismo. Portanto, o nilismo nao e uma opcao para o ser humano e Nietzsche reconhece essa necessidade psicologica que temos no transcedente, seja ela ilusoria ou nao. Acho a solucao de Nietzsche bastante dificil e acredito que a fe e realmente o elemento principal na cura dessas pessoas. Vejo a “cura dos vicios” da igreja universal e percebo que a fe realmente cura pessoas. Meu teclado nao tem acentuacao do portugues!

  14. Os 12 passos originais do AA tanto serve pro AA como pro NA e pra todos os problemas e adversidades enfrentadas na vida então sou contra mudar estes passos é preciso ajuda de todos do grupo.

  15. Não tem nada haver com religião e sim com Espiritualidade o que é totalmente diferente , religião não tem nada haver com Espiritualidade.

  16. numa apresentação de Ricky Gervais, formado em nada que tenha relevância para o tema, ele apresenta uma versão que eu tomo como resposta para GRANDE (infelizmente) parte dos comentários.
    na anedota, ele diz que há gente que, vendo um anúncio de aulas de guitarra num outdoor, se revolta: “eu odeio o som de guitarra!”
    então, raivosamente, telefonam no número que consta no outdoor e dizem, ao serem atendidos: “EU NÃO QUERO AULAS DE GUITARRA! ESTOU OFENDIDO COM O OUTDOOR!”
    quando, talvez, fosse mais prático e decente entender que o tal outdoor, no fim das contas, não o impede de ir buscar aulas de piano, tuba ou, não sei, mergulho.

  17. vejamos se alterando o conteúdo meu comentário é publicado.
    apesar de concordar com a necessidade de uma abordagem (ou alternativa, nenhum dos termos observado pela vasta maioria dos comentaristas aqui) humanista, me parece que Skinner “secou” os doze passos de maneira que eles perdem o peso de “desígnio” que é justamente aquilo buscado por pessoas nessa situação: não me parece eficiente simplesmente trocar “deus” por “seus amigos e parentes”, pois se é chegado o momento de apelar para os doze passos, “amigos e parentes” já perderam juridição. Está absolutamente correta a intenção, mas não ME parece que seja efetiva sem um vasto diálogo sobre “um homem não ser uma ilha”, sobre um significado de amor que seja mais palpável e poderoso que “temer a deus”…
    não basta apenas substituir os termos sem se criar uma nova sacralidade. sou, contudo, completamente a favor de se criar uma nova sacralidade, cívica e secular.

  18. Quando se busca pelos doze passos, é porque amigos e familiares não são mais uma rede de apoio, embora possam voltar a ser! Acredito na espiritualidade presente no método, sem direcionamento religioso. Quem está em recuperação, após seguir os passos e está feliz com sua vida, ainda que seja ateu, não os renega. Muitas vezes, dependentes que tentaram qualquer método, sem sucesso, vão responsabilizar o mesmo por isso, uma fragilidade de comportamento oriunda da própria doença. Sugiro que pesquisadores em questão tenham uma profunda imersão na doença, recuperação, familiares, metodologias, ciência para propor possibilidades que não sejam rasas de conhecimento. Quanto aos adictos, que se sentem ofendidos, não são obrigados! Busquem suas próprias metodologias caso tenham autonomia para tal.

Os comentários estão desativados.