O que é?

      Como garantir o direito de a criança brincar, se na escola, local em que as crianças permanecem por muito tempo de sua vida, não se brinca e o brincar é desprezado? Qual a contribuição da Universidade no sentido de garantir à criança este direito? Formar professores na perspectiva lúdica é uma contribuição possível.

      Este site compartilha uma experiência brasileira desenvolvida na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (instituição de ensino superior pública do sul do Brasil, situada na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul), onde a formação que aprofunda o papel da atividade lúdica na Educação vem se concretizando através de ações como o Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?” e disciplinas tais como O Jogo e a Educação na Faculdade de Educação.

      A origem desta experiência remonta ao curso de extensão “O Jogo e a Educação” desenvolvido em 1995 e que serviu de ensaio à criação de atividade de ensino de mesmo nome, oferecida ao curso de licenciatura de Pedagogia desde 1996. Ao atingir a comunidade universitária com esta formação, a Universidade mostra-se engajada na defesa do direito de a criança brincar, enquanto articula projetos acadêmicos em torno do tema, constitui acervo de brinquedos, disponibilizando-os aos alunos em suas práticas de ensino, e desenvolve oficinas abertas à comunidade, grupo de estudos e assessoria sobre organização de espaços lúdicos e atividades de ensino na forma de disciplinas específicas sobre o Jogo e a Educação nos cursos de formação de professores.

      Pretendendo atingir não só os professores de educação infantil — mas também aqueles que trabalham com crianças maiores, adolescentes e adultos — estas atividades representam no desenvolvimento da dimensão lúdica na Educação uma alternativa de promoção da inclusão social, já que o jogo enseja o questionamento dos padrões de funcionamento da escola e resgata o prazer de aprender. Assim, o brincar colabora com o sucesso escolar, assegurando o direito à efetiva escolarização — uma das expressões da inclusão social.

Por que o catavento é o símbolo do Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?”