Qual é o tratamento para corrimento uretral?

06/06/2019 - atualizada em: 08/06/2019

O tratamento inicial é feito com:

  • Ceftriaxona 500 mg, intramuscular, em dose única associado à
  • Azitromicina 500 mg, 2 comprimidos, em dose única

Na ausência de azitromicina, pode-se usar doxiciclina 100 mg, 1 comprimido, de 12 em 12 horas, por 7 dias, no entanto pode haver falha no tratamento de uretrites por patógenos atípicos. Não se recomendam regimes com ciprofloxacino devido à alta prevalência de resistência a quinolonas por Neisseria gonorrhoeae. O tratamento em monoterapia com azitromicina não é recomendado pela possibilidade de emergência de resistência a esse antibiótico. Deve ser usado exclusivamente no caso de alergia comprovada a cefalosporinas, na posologia de azitromicina 500 mg, 4 comprimidos, em dose única.

Deve-se dar preferência para o tratamento diretamente observado no momento da primeira consulta e do estabelecimento do diagnóstico. A resolução dos sintomas pode levar até 7 dias após a conclusão da terapia. Parcerias sexuais devem sempre ser tratadas uma vez que, mesmo assintomáticas, podem ser portadoras da bactéria e perpetuar a transmissão da doença. O tratamento de todos os contatos sexuais dentro dos últimos 60 dias também deve ser feito com: ceftriaxona 500 mg, intramuscular, associada à azitromicina 500 mg, 2 comprimidos, ambos em dose única. Deve-se orientar abstinência sexual por 7 dias ou até que os contatos sexuais sejam adequadamente tratados. Também é importante orientar o uso de preservativos e oferecer testagem para HIV, sífilis, hepatite C e hepatite B, após verificar o estado vacinal.

Se não houver melhora dos sintomas com o tratamento inicial, deve-se considerar a possibilidade de uretrite por Trichomonas vaginalis. O tratamento de escolha é feito com metronidazol 400 mg, 5 comprimidos, em dose única. Outros esquemas podem ser utilizados: metronidazol 500 mg, de 12 em 12 horas, por 7 dias OU clindamicina 300 mg, de 12 em 12 horas, por 7 dias OU tinidazol 500 mg, 4 comprimidos, em dose única.

Se o paciente permanecer sintomático, após tratamento para tricomoníase e for excluída a possibilidade de reinfecção, deve-se considerar falha terapêutica. Possível reinfecção deve ser tratada com as doses habituais. O tratamento indicado nos casos de falha é feito com: ceftriaxona 500 mg, intramuscular E azitromicina 500 mg, 4 comprimidos, ambos em dose única. No caso de pacientes com alergia grave comprovada a cefalosporinas, pode-se utilizar gentamicina 240 mg IM E azitromicina 500 mg, 4 comprimidos, ambos em dose única.

 

Referências:

Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para atenção integral às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis (IST). Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2015 [citado em 2019 Maio 31]. p. 43. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_clinico_diretrizes_terapeutica_atencao_integral_pessoas_infeccoes_sexualmente_transmissiveis.pdf

Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para atenção integral às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis (IST) (em revisão). Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2018. p. 112.

Ministério da Saúde. Nota Informativa nº 6-SEI/2017-COVIG/CGVP/DIAHV/SVS/MS. Atualização da recomendação nacional do tratamento preferencial da infecção gonocócica anogenital não complicada (uretra, colo do útero e reto). Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017 [citado em 2019 Maio 31]. Disponível em:  http://www.aids.gov.br/pt-br/legislacao/nota-informativa-no-6-sei2017-covigcgvpdiahvsvsms

Swygard H, Seña AC, Cohen MS. Treatment of uncomplicated Neisseria gonorrhoeae infections [Internet]. Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2018 [citado em 2019 Maio 31]. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/treatment-of-uncomplicated-neisseria-gonorrhoeae-infections

DynaMed Plus [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services. 1995 – . Record nº T115615, Gonococcal urethritis; [atualizado em 2018 Nov 30, citado em 2019 Maio 31]. Disponível mediante login e senha em: http://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T115615/Gonococcal-urethritis

DynaMed Plus [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services. 1995 – . Record nº T114223, Chlamydia genital infection; [atualizado em 2018 Nov 30, citado em 2019 Maio 31]. Disponível mediante login e senha em: https://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T114223

Center for Diseases Control. 2015 Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines. Gonococcal infections. Atlanta, GA: CDC; 2015 [citado em 2019 Maio 6]. Disponível em: https://www.cdc.gov/std/tg2015/gonorrhea.htm

Center for Diseases Control. 2015 Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines. Diseases characterized by urethritis and cervicitis. Atlanta, GA: CDC; 2015 [citado em 2019 Maio 6]. Disponível em: https://www.cdc.gov/std/tg2015/urethritis-and-cervicitis.htm

WHO guidelines for the treatment of Neisseria gonorrhoeae. Geneva: WHO; 2016 [citado em 2019 Maio 31]. Disponível em:  https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/246114/9789241549691-eng.pdf;jsessionid=B56BA36B361F746C84EF94A4A453F729?sequence=1

Teleconsultoria por:

Alexandre Wahl Hennigen

ver Lattes

Revisão por:

Elise Botteselle de Oliveira

Médica de Família e Comunidade

ver Lattes

Outras Perguntas

A prescrição de galactagogos é indicada para estimular a produção de leite materno?

10 min leitura ler mais

Como iniciar tratamento para HIV na APS?

7 min leitura ler mais

Como iniciar tratamento em pacientes com diagnóstico de coinfecção TB-HIV?

6 min leitura ler mais

Caso suspeito de sarampo: quando notificar e qual a conduta?

9 min leitura ler mais

Quais são os sintomas do sarampo e seus diagnósticos diferenciais?

6 min leitura ler mais