Archive for the tag 'Comgrad/Eco'

Ao início da reunião foi lida a ata da reunião anterior, com o enquadramento das 4 disciplinas aprovadas anteriormente no currículo anterior nos eixos de formação do currículo da economia. As disciplinas Avaliação de Tecnologias em Saúde, Farmacoeconomia, Economia Política do Estado Desenvolvimentista e Métodos Quantitativos em Economia da Saúde se enquadraram em políticas públicas, e Economia do Comportamento Humano e Direito e Economia se enquadram no eixo teoria econômica.

Então comentou-se sobre as pesquisas que estão ocorrendo sobre o interesse em abrir/assistir eletivas, e a representante discente disse que a pesquisa da economia atingiu mais de 10% dos alunos, enquanto o professor Ronaldo falou que está recebendo notificações de professores interessados em ministrar algumas disciplinas. Foi decidido que provavelmente ao final de maio se retorne ao assunto em nova reunião. O professor Ronaldo informou que recebeu um ofício do DAECA questionando sobre o atraso na disciplina de direito comercial nas turmas C e D e a funcionária Angela foi até o departamento responsável, onde foi informada pela chefe que as aulas iniciariam na semana que vem.

O professor Ronaldo falou sobre o PAG – Programa de Apoio a Graduação, proposto pela Prograd, e que terá duas formas de atuação: aulas no sábado pela manhã e tarde de algumas disciplinas e projetos com suporte financeiro para estudar a evasão e retenção dos alunos no curso. O edital para esse projeto foi levado aos professores via e-mail, não sendo demonstrado interesse pelo corpo docente até então. Os professores membros da Comgrad se mostraram favoráveis a montar o projeto juntos.

Para um processo de seleção de 2 alunos formados para estudos interdisciplinares na Espanha, com duração de 2 semanas, decidiu-se que serão convidados os alunos laureados nos últimos semestres.

A última parte da reunião destinou-se a avaliação das resoluções contendo os critérios para a execução de créditos complementares. Foram realizadas resoluções, uma para cada currículo. Na versão final, em ambas há a obrigatoriedade dos alunos entrarem com a solicitação de liberação um semestre antes do de formatura, a validação dos créditos será concedida para atividades realizadas após a aprovação no vestibular do curso. Ainda, deverão ser realizadas no mínimo duas atividades diferentes dentre um grupo onde consta participação em projeto de extensão, participação em cursos, bolsa de iniciação científica e monitoria, disciplinas eletivas e adicionais excedentes e estágios não obrigatórios. A resolução do currículo em extinção contém a modificação de que os alunos que ingressaram antes de 2006 deverão realizar também créditos complementares para se formar a partir de 2011.

Representante Discente: Tanise Brandão Bussmann

Ao ingressar no curso de Economia os estudantes tomam conhecimento que há um grande número de cadeiras eletivas, as quais podem indicar um caminho profissional a ser seguido. Em boa parte dos casos, essas cadeiras exigem pré-requisitos para que o estudante se matricule. O problema é que há um grande números de cadeiras eletivas que não costumam abrir para a matrículas. O DAECA realizou um estudo junto ao departamento de Economia para produzir um documento que contenham todas eletivas inclusive aquelas que não estão sendo oferecidas. Clique aqui para acessar o documento.

O DAECA, percebendo essa falha entre as demandas individuais dos alunos e a oferta efetiva de eletivas, está realizando um levantamento de quais disciplinas os alunos têm mais interesse em cursar nos próximos semestres. É fundamental que todos estudantes respondam a planilha, que está disponível em http://tinyurl.com/y9cymxe. Essa pesquisa nos permitirá conhecer melhor os interesses e, com isso, lutar para que essas disciplinas abram futuramente.

Dia 19 de março foi realizada a primeira reunião da COMGRAD da Economia no ano de 2010. Estavam presentes a representante discente Tanise, a Ângela, e os professores Giácomo, Ricardo, Ronaldo e Sérgio.

Foram aprovadas as atas n° 11 e 12 de 2009, que se referiam, entre outros, aos critérios para o ingresso extravestibular, realizado por transferência interna.

Depois disso, foram realizadas alterações em algumas súmulas das disciplinas, que foram solicitadas por professores, que terão vigência no novo e antigo currículo.

Então realizou-se uma análise sobre as eletivas ministradas para o curso de Economia pelo Decon e percebeu-se que uma grande parcela não delas não é disponibilizada desde 2004, ou foi disponibilizada uma só vez. No total, são 16 disciplinas. Após isso, iniciou-se uma discussão de que modo deveria se proceder para decidir quais disciplinas devem ser excluídas. Determinou-se então, que seria realizada uma consulta aos docentes que fazem parte do Decon, consultando-os sobre o interesse em abrir alguma eletiva nos próximos dois anos, juntamente com uma consulta aos estudantes de economia sobre as eletivas que eles tem interesse em cursar nos próximos dois anos. Em reunião posterior será realizado o corte das disciplinas que podem ser eliminadas do currículo sem perdas para a universidade ou seus alunos. O corte de eletivas se faz necessário uma vez que, caso não sejam cortadas as menos demandadas (e que a Comgrad achar menos importante) nós, alunos, vamos continuar com a ilusão de que um dia elas abrirão. No entanto a opção de consultar apenas os professores para decidir quais seria mais conveniente cortar não respeitaria nossos interesses particulares de realizar uma série dessas disciplinas, por isso realizaremos consulta semelhante junto aos discentes.

Voltando à reunião, decidiu-se pela inclusão de novas eletivas no curso, sendo elas Direito e Economia, introdução a Farmacoeconomia, Avaliação de Tecnologias em Saúde e Economia do Comportamento Humano, todas elas por iniciativa do professor Giácomo. O professor Sabino incluiu Métodos Quantitativos em Economia da Saúde e o professor Ronaldo Economia Política do Estado Desenvolvimentista.

O professor Ricardo colocou que poderia parecer contraditório a abertura de disciplinas ao mesmo tempo que estávamos discutindo a possibilidade de fecha-las, mas no entanto algumas das disciplinas são mais ligadas a temas atuais e aos temas de pesquisa de professores. Cabe a nós agora buscar que essas eletivas não virem “fantasmas” como as outras.

Assim, às 16h encerrou-se a reunião.