Novo artigo publicado por cientistas do PPGBAN

Os cientistas do Laboratório de Carcinologia do Depto. de Zoologia da UFRGS e vinculados ao PPG Biologia Animal, Dr. Felipe Ribeiro (PNPD) e Amanda Horch (mestranda), em parceria com o Dr. Jason Williams da Hofstra University (Estados Unidos), publicaram um novo artigo na revista Journal of Natural History. Tal publicação é referente à taxonomia de um grupo ainda pouco estudado no Brasil, os isópodos parasitas. O trabalho traz novas informações taxonômicas sobre duas espécies desse grupo, com novas ilustrações, registros de ocorrência e registros de novos hospedeiros.

https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00222933.2019.1704589

Laboratório de Ecologia de Insetos do PPGBAN na ZH

Trabalho realizado pelo Laboratório de Ecologia de Insetos do PPGBAN é divulgado em matéria da Zero Hora: a equipe de Zero Hora acompanhou uma expedição com Helena Piccoli Romanowski, Guilherme Atencio e Diego da Silveira Martins. O trio esteve na Estação Experimental Agronômica da UFRGS, em Eldorado do Sul, em busca da Campoleta.

https://gauchazh.clicrbs.com.br/ambiente/noticia/2020/01/conheca-a-campoleta-borboleta-vulneravel-a-extincao-e-que-so-existe-no-sul-do-brasil-ck5csfvzl00qm01r2xn4zcsbe.html

Horário especial

Informamos que, segundo a Portaria número 10007 de 06/11/2019, a UFRGS fará um horário diferenciado iniciando hoje, 13 de janeiro, até 28 de fevereiro: neste período, o expediente será entre 7:30 e 13:30.

Ecologia de Lagartos

Na semana de 9 a 13 de dezembro, ocorreu a disciplina de Ecologia de Lagartos, do PPG Biologia Animal, do Departamento de Zoologia, Instituto de Biociências, ministrada pela Profa. Laura Verrastro.

Faz anos que desenvolvemos a disciplina na Estação Agronômica, onde os alunos podem ter imersão e dedicação total com o assunto e se dedicar inteiramente ao tema de estudo.

Sempre super bem atendidos e recebidos pelo pessoal da EEA, temos oportunidade de realizar um excelente trabalho.

Iniciativa “Bicho da Semana”, e o estreante: gato-maracajá

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A partir da data de hoje, o PPGBAN se propõe a divulgar na capa do site fotos de animais estudados pelos cientistas membros do programa. Pedimos aos discentes e docentes que enviem registros dos animais os quais estudam para serem exibidos como capa do site. A cada semana, serão trocadas as imagens até três vezes, exibindo até três animais diferentes por semana, conforme formos recebendo as fotos. O primeiro animal a estrear essa ideia é o gato-maracajá.

O gato-maracajá (Leopardus wiedii) é uma espécie de pequeno felino que ocorre na região neotropical, apresentando uma ampla distribuição desde o México até ao Uruguai. No Brasil esta espécie é categorizada como Vulnerável, devido a diferentes tipos de ameaças antrópicas. A cientista do PPGBAN, Paula Horn, apresentou recentemente a sua dissertação de mestrado contemplando aspectos de ecologia do gato-maracajá na Mata Atlântica do Rio Grande do Sul. Seus resultados indicam que, nessa região, a espécie parece tolerar certos níveis de mudanças antrópicas na paisagem, ocorrendo em ambientes florestais mais pristinos, mas também em matrizes rurais, e que sua densidade responde positivamente à cobertura vegetacional, reforçando a teoria de dependência de ambientes florestais por este gato de hábito arborícola.

Guilherme Frainer recebe prêmio Internacional no Congresso Mundial de Mamíferos Marinhos

Doutor pelo PPGBan em 2019, o cientista Guilherme Frainer acaba de receber um prêmio Internacional no Congresso Mundial de Mamíferos Marinhos “The 2nd World Marine Mammal Conference”. O trabalho denominado “Echo-devo: ontogeny and evolution of the sound generating structures in dolphins (Odontoceti: Delphinida)” foi considerado o melhor trabalho sul Americano do congresso que se encerrou no dia 12 de dezembro em Barcelona, na Espanha. O trabalho desenvolvido no Laboratório de Sistemática e Ecologia de Aves e Mamíferos Marinhos da UFRGS e no Department II of Anatomy, da University of Cologne, contou com a orientação dos professores Ignacio Benites Moreno (CECLIMAR/UFRGS) e Stefan Huggenberger (Institute of Anatomy and Clinical Morphology, Witten/Herdecke University) da Alemanha. O trabalho apresentou novas teorias sobre o desenvolvimento e a evolução das estruturas envolvidas na produção do som de diversas linhagens de golfinhos. O Guilherme Frainer usou técnicas histológicas, além tomografias computadorizadas para gerar imagens em 3D e poder comparar as diversas fases do desenvolvimento e revelar padrões nunca antes descobertos. Por exemplo, foi possível entender como o órgão produtor de som surgiu durante a evolução das diferentes linhagens e como se aperfeiçoou em cada grupo frente às adaptações ao ambiente e a seus padrões comportamentais. O trabalho foi publicado recentemente no periódico Biological Journal of the Linnean Society, Volume 128, Issue 3, November 2019 (https://doi.org/10.1093/biolinnean/blz118).

O boto ou golfinho-nariz-de-garrafa, Tursiops gephyreus, na barra do rio Tramandaí, Rio Grande do Sul, Brasil. Modelos em 3D do crânio e das principais gorduras envolvidas na modulação do som dessa espécie foram sobrepostos à imagem. Arte de Guilherme Frainer em foto de Ignacio Moreno/CECLIMAR-UFRGS.