Acordos internacionais

1 – PROGRAMA CAPES-COFECUB – EDITAL N.19/2014: “POVOAMENTO INICIAL DA AMÉRICA VISTO A PARTIR DO CONTEXTO ARQUEOLÓGICO BRASILEIRO”

O projeto envolve cooperação científica entre uma instituição francesa e quatro instituições brasileiras de ensino e pesquisa. Pelo lado francês integra essa proposta o Museum National d’Histoire Naturelle (MNHN), através do Departamento de Pré-História. Pelo lado brasileiro, participam do acordo a Universidade Federal de Santa Catarina, através do PPG em História, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, também com o PPG em História, a Universidade Federal de Minas Gerais, através do PPG em Antropologia e Arqueologia, e a Universidade Federal do Oeste do Pará, através do Curso de Graduação em Arqueologia. Os pesquisadores que integram a equipe desenvolvem trabalhos independentes sobre o tema “povoamento americano em regiões distintas do Brasil”. O foco da proposta é o intercâmbio de informações a respeito dessas diferentes pesquisas e com base nesses dados pretendemos construir um modelo arqueológico para o período relativo ao fim do Pleistoceno e início do Holoceno que incorpore a discussão a respeito dos processos envolvidos na dinâmica de ocupação de locais pouco ou ainda não habitados, explorando os mecanismos de decisão que envolvem os movimentos de migração e os processos de reprodução e manutenção dos grupos humanos que sustentam e viabilizam esses deslocamentos, tal como tem sido desenvolvido para outras regiões do globo. Coordenação Geral: Lucas de Melo Reis Bueno (Universidade Federal de Santa Catarina) e Marylene Pathou-Mathis (Muséum National d’Histoire Naturelle). Pesquisadores: Adriana Schmidt Dias (PPGH – Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Agueda Vialou (Muséum National d’Histoire Naturelle), Andrei Isnardis (Universidade Federal de Minas Gerais), Antoine Lourdeau (Muséum National d’Histoire Naturelle), Claide de Paula Moraes (Universidade Federal do Oeste do Pará), Denis Vialou (Muséum National d’Histoire Naturelle). Financiamentos: CAPES e CNPq.

2 – Projeto OBSERVATOIRE INTERNATIONAL DES USAGES PUBLICS DU PASSÉ, da École des Hautes Études en Sciences Sociales (EESS – Paris/França), cujo principal veículo é a sua página virtual: http://usagespublicsdupasse.ehess.fr. A finalidade do projeto é permitir, a partir de uma rede internacional de correspondentes, uma observação global dos fenômenos relativos aos usos públicos do passado, tais como as comemorações, a patrimonialização e a produção da memória. Pesquisadores: os professores Benito Schmidt e Temístocles Cezar representam o PPGH nesta rede, do qual participam, pelo lado francês, os pesquisadores: Olivier Abel (Fonds Ricoeur), Stéphane Audoin-Rouzeau (CRH), Alban Bensa (IRIS), Stefano Bory (CEMS-IMM), Hamit Bozarslan (IISMM), Sabine Chalvon-Demersay (CEMS), Alain Cottereau (CEMS), Alain Delissen (CECMC), Marc Ferro, Eloi Ficquet (CEAf), François Hartog (CLGRCSA), Marie-Claire Lavabre (CEVIPOF, Sciences Po), Sylvie Lindeperg (Paris I), Sabina Loriga (CRH), Christophe Prochasson (CRH), Jacques Revel (CRH), Jean-Frédéric Schaub (CRH), David Schreiber (ENS), Isabelle Thireau (CECMC), Isabelle Ullern-Weité (EPHE), Cécile Vidal (CENA) e Michael Werner (CRIA).

3 – Acordo internacional ASOCIACIÓN DE UNIVERSIDADES GRUPO MONTEVIDEO (AUGM) – Comitê Acadêmico História, Regiões e Fronteiras.

A AUGM é uma rede de universidades públicas, autônomas e autogovernadas da Argentina, Uruguai, Chile, Bolívia, Paraguai e Brasil, que, em razão de semelhanças em seu caráter público e estruturas acadêmicas, desenvolvem atividades de cooperação, e é dentro desse espírito que nossos docentes têm participado de parcerias institucionais. Participantes: – Representantes da UFRGS no projeto: Fábio Kuhn e Eduardo Neumann.  Além da UFRGS, participam do Comitê pesquisadores brasileiros (UFSM e Unicamp), argentinos (UBA, UNCórdoba, UNRosário, UNTucumán, UNLitoral, UNMar del Plata), chilenos (USACH – Universidad de Santiago do Chile e Universidad de Playa Ancha- FAUH) e uruguaios (UDELAR – Universidad de La Republica).

4 – PROJETO DE ESTUDO AS SOCIEDADES AFRICANAS NO PASSADO E NO PRESENTE: MUTAÇÕES, ADAPTAÇÕES, RECOMPOSIÇÕES, da Rede Multidisciplinar de Estudos Africanos, vinculado ao ILEA – Instituto Latino-americano de Estudos Avançados da UFRGS. Pesquisadores: José Rivair Macedo (PPGH-Coordenador), Alberto da Costa e Silva (Academia Brasileira de Letras), Marina de Mello e Souza e Leila Leite Hernandez (USP), Valdemir Zamparoni (UFBA), Vanicléia Silva Santos (UFMG), Lucilene Reginaldo (UNICAMP), Elikia M’Bokolo (EHESS, Paris), Paulo Fernando de Morais Farias (Universidade de Birmingham), Karin Barber (Universidade de Birmingham) e Roquinaldo Ferreira (Universidade Brown). Para maiores detalhes, consultar: http://grupodeestudosafricanos.blogspot.com.br.

5 – ACORDO DE COOPERAÇÃO DIÁLOGOS ENTRE A HISTÓRIA DO BRASIL, DA AMÉRICA LATINA E DOS ESTADOS UNIDOS, entre o PPG em História da UFRGS e a Brown University, dos Estados Unidos.

O objetivo do acordo é favorecer o intercâmbio de professores e alunos das duas instituições que desenvolvem estudos sobre História do Brasil, América Latina e Estados Unidos.

Pesquisadores: Benito Schmidt e Carla Rodeghero e Regina Xavier (UFRGS), e na Brown University, os professores James Green e Roquinaldo Ferreira.

6 – GRUPO DE PESQUISA HISTÓRIA DAS CULTURAS E IDENTIDADES BRASILEIRAS E LATINO-AMERICANAS (sediado na UFRGS e registrado no diretório dos grupos de pesquisa do CNPq).

Instituições envolvidas: UFRGS, UNCUYO (Argentina), FURB (Blumenau)

Pesquisadores: Dr. Alessander Mario Kerber (UFRGS) – líder, Dra. Cintia Regia Rodrigues (FURB, Blumenau) e Dr. Diego Eduardo Niemetz (UNCUYO, Argentina)

7 – REDE LATINO-AMERICANA DE ESTUDOS MEDIEVAIS. A Rede tem como principal objetivo discutir e propor a formação de pesquisas colaborativas entre pesquisadores de universidades latino americanas. Discute-se a constituição de eixos que dialoguem em outras direções Brasil-México; Argentina-Costa Rica em relação aos Estudos Medievais, que não são comuns no âmbito dos estudos medievais. A REDE não é uma associação de pesquisadores. É um grupo de pesquisa. Dentre suas principais ações: elaboração de amplo banco de dados com sistemas de buscas cruzadas para estimular que a proposta da REDE seja concebida por pesquisadores que não a compõem; reuniões bianuais (2016 – Costa Rica; 2018 – Chapecó); publicações conjuntas; acordos internacionais de co-tutela. Instituições Participantes Universidad Gabriela Mistral – Chile; USP; UNICAMP; UFMG; UFRGS; UFFS; UNB; UFTM; UBA; UNIFESP; UFRGS; Universidad Nacional – Costa Rica; UNAM – México.

8 – PROJETO DE MAPEAMENTO DA TERRITORIALIDADE JESUÍTICO-GUARANI. (Geo referenciamento digital da mobilidade e os processos regionais no Atlântico Sul). O projeto visa reconstruir as características do processo de configuração territorial da região missioneira em longa duração enfatizando a organização social e política guarani destacando suas transformações. A partir do uso de sistemas de informação geográfica se pretende referenciar a organização sócio-política interna das reduções, suas variações comparativas, os processos de deslocamentos e mobilidade populacional. O objetivo é o de elaborar uma base de dados digital da história de cada redução, que inclua toda a informação publicada e inédita. O projeto conta com uma equipe interdisciplinar de profissionais que tem colaborado previamente em atividades académicas. Está conformado por integrantes da Argentina: Guillermo Wilde, do CONICET e da Universidade Nacional de San Martín, Ignacio Telesca (CONICET e Universidade Nacional de Formosa), Leonardo Cerno (CONICET e Universidade Nacional de Posadas), Cesar Pereira (bolsista de Doutorado CAPES na Universidade de Buenos Aires), Fábian Vega (bolsista de doutorado CONICET na Universidad de Buenos Aires). No Brasil, Eduardo Neumann (Universidade Federal de Rio Grande do Sul), Artur H. F. Barcelos (Fundação Universitária de Rio Grande), Tiago Gil (Universidade de Brasília).  No Japão, Kazuhisa Takeda (Universidade de Meiji).

Resultados:  Encontro “Territorialidade e Razão Gráfica”, realizado na UFRGS em março 2018.

9 – ACORDO ENTRE O PPGH/UFRGS E A ÉCOLE FRANÇAISE DE ROMA. Trata-se de acordo de cooperação acadêmica no âmbito das ciências humanas e sociais com a proposição das seguintes atividades: Intercâmbio entre pesquisadores das instituições para missões de ensino e de pesquisa; Organização e divulgação de seminários e conferências firmados no âmbito deste acordo; Estímulo à publicação de resultados das atividades realizadas no âmbito deste acordo; Acolhida recíproca e supervisão de estudantes, doutores e pós-doutorandos vinculados (as) ao PPGH-UFRGS e à EFR; Acolhida recíproca de pesquisadores vinculados (as) ao PPGH-UFRGS e à EFR. As atividades previstas são na forma de estágio de curta duração, oferta de disciplinas que deverão ser organizadas em conjunto pelas duas instituições garantindo a oferta de uma atividade por ano durante a vigência do acordo. O acordo foi oficialmente firmado em dezembro de 2018 e que tem duração de 04 anos. 

10 – ACORDO BILEATERAL DE MOBILIDADE ACADÊMICA – PPG em História da UFRGS e o Studi Storici da Università degli Studi di Milano: Documentos para a compreensão da história religiosa da Itália Medieval (séculos XIII-XIV): internacionalização e formação de quadros profissionais no Brasil

Projeto financiado pelo EditalFAPERGS/CAPES 06/2018 – Programa de Internacionalização da Pós-Graduação no RS. Vigência: desde 2019.

O tema da proposta é o estudo de documentação religiosa do período medieval produzida e/ou relacionada à Península Itálica entre os séculos XIII e XIV. O foco central está na formação de quadros profissionais qualificados para a realização de pesquisas na área dos estudos medievais a partir do uso de manuscritos, preferencialmente com documentação ainda não editada. Além disso, está calcada na ampliação da internacionalização do proponente tanto em termos de ensino e pesquisa (cursos ministrados no exterior, proposição de projeto de pesquisa e publicações) e institucionais (elaboração de acordo bilateral de cooperação, cotutela). A metodologia consiste em consolidar a formação técnica para a leitura de documentação do período medieval (latim, paleografia, codicologia) por meio de cursos oferecidos na UFRGS, atividades de pesquisa no exterior e domínio de elementos básicos para a realização dessas atividades (cadastro em arquivos e bibliotecas, leitura de instrumentos de pesquisa – catálogos – e manuseio de maquinário para tal – leitoras de microfilme, reprodução de fólios de manuscritos). O problema de pesquisa consiste em duas questões: Qual uso os medievalistas brasileiros fazem dos manuscritos medievais em suas pesquisas? Em que parcerias de cooperação estratégica podem contribuir para a qualificação das pesquisas realizadas no Brasil? Os resultados esperados consistem na realização de cursos sobre paleografia medieval, realização de dois congressos relacionados à temática religiosa e a documentação hagiográfica, missões de pesquisa e estudos na Itália e no Brasil; proposição de um projeto de pesquisa em agência de fomento fora do Brasil e acordo bilateral de cooperação institucional entre a UFRGS e a UNIMI voltado para a formação de quadros em história medieval. A proposta é coordenada pelos professores Igor Salomão Teixeira (UFRGS) e Marina Benedetti (UNIMI).