UFRGS e a Covid-19

RUs oferecem marmitas para beneficiários PRAE

< Voltar
Sumário
Foto: Flávio Dutra / Jornal da Universidade / UFRGS

Desde sexta-feira, dia 20 de março, Anderson percorre a pé os 4 km que separam sua casa, no bairro São João, até o RU do Câmpus Centro para buscar a marmita fornecida para almoço e jantar. Beneficiário da assistência estudantil concedida pela PRAE, ele recebe vale-transporte, auxílio para material escolar, assistência de saúde e gratuidade nos restaurantes universitários. O fechamento, em razão da pandemia de coronavírus, por isso, faz com que ele dependa das duas refeições diárias disponibilizadas Divisão de Alimentação da UFRGS para se manter durante o período de reclusão. 

“Eu não tenho mais fogão há bastante tempo. Vendi o bujão de gás porque precisava de grana e o fogão botei fora, porque não dava mais pra usar de tão velho”, diz. A alimentação subsidiada pela Universidade é, assim, fundamental para seu dia a dia. “Eu tenho um forninho em casa pra assar algumas coisas e esquentar comida quando preciso”, conta sobre o apartamento onde mora. 

Anderson vinha fazendo a pé trajeto até o RU 1, no Centro. “Eu estou sem passagens escolares. Como eu tranquei o curso no semestre passado, eu começo a receber o vale transporte somente a partir de abril”, explica para justificar por que preferia encarar os 50 minutos para ir e mais o mesmo tempo para voltar.  Afinal, segundo a determinação da Prefeitura,  estudantes podem usar o transporte coletivo entre 11h e 14h30 para buscar alimentação fornecida por instituições de ensino.

Desde quarta, dia 26, a vida do acadêmico ficou um pouco mais fácil: “Consegui uma bicicleta emprestada, mas ela estava com problema na câmara”, conta. Mas ele logo encontrou uma loja que consertasse. O atendimento, ressalta, foi feito individualmente e somente depois de ter agendado horário previamente por whatsapp. Agora, pedala por 20 minutos em cada trajeto.

Ao longo do caminho, o estudante de bacharelado em Filosofia usa uma máscara que ele mesmo improvisou com tecido da capa do bujão de gás. “O que me motivou a fazer que ir ao RU e não me colocar em risco nem as pessoas que eu encontre na rua e no restaurante”, explica. Ele atravessa bairros geralmente movimentados, como Moinhos de Vento e Independência e conta que, apesar da redução do movimento, ainda há pessoas na rua.

A comida fornecida pelos restaurantes universitários, segundo Anderson, é boa e variada. Ele, inclusive, tem usado a criatividade: da banana que recebeu, na segunda, dia 23, fez um doce. As cascas, ele congelou para fazer uma ‘carne louca’, um um tipo de refogado vegano que imita receita bastante conhecida no país. Assim, garante a alimentação para o fim de semana, quando não há fornecimento de marmitas.

Benefício para muitos

Anderson Antunes é um dos cerca de 400 alunos que estão retirando marmitas nos Restaurantes Universitários da UFRGS. Desde o dia 20 de março, os RUs estão com o funcionamento reduzido devido às medidas de contenção do Covid-19. A fim de colaborar com as medidas de isolamento social, o RU1, o RU2 e o RU4 estão fornecendo marmitas. Portanto, moradores das casas de estudante e de beneficiários PRAE podem retirar os alimentos nos câmpus Centro, Saúde e Agronomia. Os demais RUs estão fechados por tempo indeterminado.

Ludymila Barroso, Diretora da Divisão de Alimentação PRAE/UFRGS, enfatiza: “A substituição do serviço tradicional de bufê por marmitas segue recomendações do Ministério da Saúde e do Conselho Federal de Nutricionistas. Essa foi a principal medida que nós tomamos.” Entre café da manhã, almoço e jantar, estão sendo servidas 750 refeições por dia.

Para ter direito à retirada da marmita, os alunos precisam fazer a solicitação por meio de um formulário que foi enviado por e-mail. Caso tenham perdido o prazo, podem ainda solicitar à PRAE. 

Para garantir da qualidade sanitária dos alimentos, os horários são restritos: café da manhã entre 8h e 8h30min (exclusivamente para moradores das casas do estudante mantidas pela UFRGS); almoço entre 11h30min e 12h30min e jantar entre 18h e 18h30min. O cardápio, segundo informação da Divisão de Alimentação, pode ser encontrado no aplicativo UFRGS Mobile.

Para reduzir o risco de contaminação, a equipe foi reduzida; os funcionários em grupo de risco, dispensados. Entre cozinheiros, nutricionistas, estoquistas, auxiliares e motorista, 22 funcionários trabalham na sede da empresa terceirizada para produzir as marmitas. Nos RUs, apenas um funcionário fica responsável pela distribuição em cada local. Também são oferecidas máscaras para os terceirizados, mas seu uso não é obrigatório. “É recomendado que pessoas que não têm sintomas não utilizarem máscara. Tanto é que se algum funcionário estiver com sintomas, ele não vai estar nem trabalhando. Então, é bem possível que não se vejam funcionários com máscara”, esclarece Ludymila. 

A nutricionista responsável pela gestão dos espaços de alimentação da Universidade reforça as medidas que os alunos devem tomar para evitar a contaminação e manter a organização:

  • Manter a distância de 2m entre as pessoas na fila, evitando causar aglomerações
  • Higienizar as mãos com álcool gel, disponível na entrada do RU
  • Pegar a marmita com proteína indicada no formulário (vegetal ou animal)

A marmita é entregue em uma embalagem térmica, junto da salada, que fica em um saco ou pacote plástico. Os alunos também podem pegar uma fruta.

Anderson elogia o trabalho dos terceirizados: “Os funcionários estão sendo muito profissionais. Eles estão se  preocupando em entregar uma comida bem quentinha e bem acondicionada”.

Ao longo dos 50 minutos do trajeto entre o RU e sua moradia, o estudante reflete. “Está sendo uma experiência que vai mudar muito a maneira como a gente lida com tudo, principalmente com o que é público, com o que é serviço pra população. As pessoas vão começar a perceber mais a importância do que é estar estarmos organizados coletivamente de um jeito eficiente e que funcione e que seja igual e justo para todos. Isso é uma coisa que tem ocupado muito espaço na minha cabeça nesse trajeto.” 

Acompanhe a edição especial do JU sobre o coronavírus acessando https://www.ufrgs.br/jornal/.

Tags: