Prevenção do Diabetes

20 abril, 2017    tags: dieta exercício físico prevenção

Como abordamos no tópico sobre fatores de risco para diabetes, o diabetes tipo 1 se desenvolve em pacientes geneticamente susceptíveis que são expostos a fatores ambientais. O aumento no entendimento dos mecanismos da doença tornou possível considerar algumas medidas para retardar o processo auto-imune e a destruição das células beta (produtoras do hormônio insulina). Agentes imunossupressores, imunomoduladores e outros medicamentos já foram utilizados a nível de pesquisa, com resultados variáveis. Até o presente momento, a prevenção do diabetes tipo 1 encontra-se ainda em investigação.

 

Por outro lado, o prevenção diabetes tipo 2 deve ser buscada e alcançada em pacientes de alto risco de desenvolver diabetes. Indivíduos com pré-diabetes,  obesidade com parentes próximos com diabetes tipo 2 ou que pertencem a determinados grupos étnicos (asiáticos, hispânicos), são candidatos apropriados para intervenções preventivas. O objetivo da prevenção do diabetes é atrasar o desenvolvimento da doença, preservando a função das células beta, fundamental na transição do estado pré-diabético para o diabetes.

 

A Associação Americana do Diabetes (ADA) recomenda a modificação do estilo de vida como a intervenção inicial em indivíduos com pré-diabetes. As metas específicas incluem: perda de peso modesta (5 a 10% do peso corporal), exercício de intensidade moderada e parar de fumar. Além disso, a avaliação e o tratamento de fatores de risco cardiovascular, como hipertensão e dislipidemia, são importantes para reduzir complicações do diabetes.

 

Estudos demonstraram um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2 em grupos que praticavam  atividade física regular moderada, incluindo caminhada rápida, em comparação com grupos sedentários. Aconselha-se realizar exercício moderado, 30 minutos por dia, 5 dias por semana.

 

Naqueles pacientes que não conseguem aderir às mudanças de estilo de vida, o uso de metformina pode ser indicado. Esta medicação é relativamente barata e segura, sendo especialmente eficaz em indivíduos com menos de 60 anos, obesos e em mulheres com história de diabetes gestacional. Os pacientes em tratamento com metformina devem ser acompanhados e monitorados anualmente para o desenvolvimento de diabetes.